Deus vê e escuta toda a realidade… e nós nos maravilhamos

“A fé é um exercício do olhar”, a frase do sacerdote italiano Luigi Giussani bem poderia servir de epígrafe para essa edição do Caderno Fé e Cultura – ainda que, nos textos a seguir, talvez fosse melhor dizer que a fé é um exercício do olhar e do escutar. Um ver e um ouvir que se referem sobretudo à beleza que se esconde no real, que apaixona os amantes e revela, de forma maravilhosa, para aquele que tem fé, o … Leia mais

Confira a nova edição do Caderno de Fé e Cultura

“A fé é um exercício do olhar”. A frase do sacerdote italiano Luigi Giussani bem poderia servir de epígrafe para esta edição do Caderno Fé e Cultura – ainda que, nos textos que apresentamos, talvez fosse melhor dizer que a fé é um exercício do olhar e do escutar. Um ver e um ouvir que se referem sobretudo à beleza que se esconde no real, que apaixona os amantes e revela, de forma maravilhosa, para aquele que tem fé, o … Leia mais

Confira a segunda edição do Caderno Fé e Cultura

Publicação quinzenal on-line e impressa mensalmente, apresenta um olhar cristão sobre o ambiente cultural, em suas múltiplas expressões. Essa edição do Caderno Fé e Cultura contou com a colaboração de várias pessoas apaixonadas que estudam a obra e a pessoa de Edith Stein. A coordenação editorial desta publicação é do Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP. CLIQUE AQUI E LEIA NA ÍNTEGRA A VERSÃO ON-LINE

Edith Stein, brisa de humanidade arejando uma razão reduzida e sufocante

Atualmente, na cidade de São Paulo, nenhuma personalidade intelectual católica está tão presente nas reflexões acadêmicas e na espiritualidade de grupos e movimentos como Edith Stein (Santa Teresa Benedita da Cruz, 12 de outubro de 1891 – 9 de agosto de 1942), filósofa e monja carmelita, santa católica de origem judia, morta num campo de concentração nazista, mártir da Igreja. Sua influência é cada vez mais sentida, tanto pela riqueza de seu pensamento quanto pela profundidade de sua fé e … Leia mais

Formação integral da pessoa a partir da perspectiva de Teresa D’Ávila e Edith Stein

O Prof. Dr. Francisco Javier Sancho Fermin, da Ordem dos Carmelitas Descalços, doutor em teologia pela Faculdade Teresianum de Roma, professor de teologia e espiritualidade em Ávila, Burgos e Roma, codiretor da Cátedra Santa Teresa da Pontifícia Universidade de Salamanca e Vice-presidente da Fundação CITeS – Universidad de la Mística, mostra a importância da interioridade numa formação integral da pessoa, partindo do pensamento das duas grandes santas carmelitas. Veja o vídeo do evento organizado pela Coordenadoria de Pastoral Universitária e … Leia mais

Conheça mais sobre Edith Stein

Essa edição do Caderno Fé e Cultura contou com a colaboração de várias pessoas apaixonadas que estudam a obra e a pessoa de Edith Stein. Para conhecer mais sobre o grupo, acompanhar suas atividades e publicações, visite seu site: https://edithstein.com.br/.

Tem novidade no O SÃO PAULO: Caderno Fé e Cultura

Publicação quinzenal on-line e impressa mensalmente, apresenta um olhar cristão sobre o ambiente cultural, em suas múltiplas expressões. Nesta primeira edição, peregrinamos por alguns locais talvez improváveis nos quais Deus nos fascina com sua misteriosa presença, que de certa forma transparece até mesmo quando negada. A coordenação editorial desta publicação é do Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP. CLIQUE E LEIA A VERSÃO ON-LINE

Aquele que preenche toda a terra com sua ausência

“Quem é você, que preenche meu coração com sua ausência? / que preenche toda a terra com sua ausência?”, os versos são do sueco Pär Lagerkvist, Prêmio Nobel de Literatura de 1951, e estão em seu livro Aftonland (‘Terra do Anoitecer’, 1953, sem edição em português). Ele abandonou a fé cristã familiar, mas nunca conseguiu se desvencilhar de uma profunda religiosidade, a ponto de alguns o terem considerado “um cristão contra a própria vontade”. Lagerkvist inicia o poema dizendo que … Leia mais

Política e eleições a partir das reflexões do Papa Francisco e da Doutrina Social da Igreja

Diante de um quadro político extremamente agressivo e polarizado, as comunidades católicas têm tido dificuldade para dialogar sobre as escolhas a serem feitas nas eleições que se aproximam. Multiplicam-se, dentro do ambiente eclesial, as “bolhas ideológicas”, onde as pessoas tendem a concordar entre si, mas não contemplam os argumentos contrários. Nesse clima, as reflexões podem até ser frutíferas, permitindo aprofundar posições já cristalizadas, mas não colaboram para o diálogo constantemente proposto pelo Papa Francisco (cf. Discurso no encontro com a classe dirigente do Brasil; Querida Amazonia, QA 108; Fratelli tutti, FT 198ss).