Confira nossa versão impressa

O problema do mal

Para sua análise e discernimento sobre o homem e as sociedades, a Igreja sempre teve em conta o problema do mal: “Ignorar que o homem tem uma natureza ferida, inclinada para o mal, dá lugar a graves erros no domínio da educação, da política, da ação social e dos costumes” (Catecismo da Igreja Católica, CIC, 407).

Segundo Bento XVI, “o dado empírico é que existe uma contradição no nosso ser. Por um lado, cada homem sabe que deve fazer o bem e intimamente até quer fazê-lo. Ao mesmo tempo, porém, sente também o outro impulso para fazer o contrário, para seguir o caminho do egoísmo, da violência, para fazer só o que lhe apraz, mesmo sabendo que assim age contra o bem, contra Deus e contra o próximo” (Audiência Geral, 03/12/2008). 

Hannah Arendt constata a banalidade do mal. Não é preciso ser nenhum vilão, um monstro ou um demônio para causar o mal: “O problema com Eichmann era exatamente que muitos eram como ele, e muitos não eram nem pervertidos, nem sádicos, mas eram e ainda são terrível e assustadoramente normais” (do livro de sua autoria “Eichmann em Jerusalém). A falta de consciência do mal praticado é o que choca a filósofa alemã. 

Esse mal que acossa todo ser humano não pode ser ignorado a quem se dispõe a tratar de justiça, política e educação. Está presente no homem comum, em todo ser humano, a inclinação ao egoísmo e ao orgulho. E, quanto mais envolvido no mal, mais obscurecida fica sua consciência moral: “O pecado arrasta ao pecado; gera o vício, pela repetição dos mesmos atos. Daí resultam as inclinações perversas que obscurecem a consciência e corrompem a apreciação concreta do bem e do mal” (CIC, 1865).

Por outro lado, a razão humana é capaz de vencer o mal, uma vez que tem a capacidade de reflexão e discernimento entre o bem e o mal, o que a Igreja denomina de consciência moral: “Presente no coração da pessoa, a consciência moral leva-a, no momento oportuno, a fazer o bem e a evitar o mal. E também julga as opções concretas, aprovando as boas e denunciando as más” (CIC, 1777). E, ainda: “A consciência moral é um juízo da razão pelo qual a pessoa humana reconhece a qualidade moral de um ato concreto que vai praticar, que está prestes a executar ou que já realizou” (CIC, 1778). Portanto, a consciência moral identifica o mal e dá ao homem a liberdade de escolha.

A consciência, porém, precisa ser formada na verdade para vencer a inclinação ao egoísmo e ao orgulho que trazem a morte e a destruição (cf. CIC, 1783ss.) O mal pode ser praticado por qualquer um que se veja imbuído de um motivo egoísta ou mesmo por preguiça de buscar a verdade. No caso de Eichmann, a justificativa para os crimes nazistas que cometera era o argumento da obediência a ordens superiores, como se isso o isentasse da culpa e escondesse o desejo egoísta de “subir na carreira”.

Segundo o Catecismo, “quando o homem pouco se importa de procurar a verdade e o bem e quando a consciência se vai progressivamente cegando, com o hábito do pecado” (CIC, 1791), a pessoa é culpada do mal que comete. O princípio da caridade, na verdade lançado à luz por Bento XVI, é caminho de formação das consciências para vencer o mal no mundo. O Papa Emérito ressalta a importância de sempre vincular o amor à verdade, pois deixá-lo à margem das mais diversas e contraditórias concepções superficiais o fazem perder sua força impulsionadora. Então, verdade seja dita: praticar o amor ensinado por Jesus “purifica a nossa capacidade humana de amar e eleva-a à perfeição sobrenatural do amor divino” (CIC, 1827), tornando-nos avessos ao mal. Desejemos amar como Deus nos ama! Rezemos: “Senhor, livra-nos do mal e de praticar o mal”. 

Daniela Jorge Milani é mestra e doutora em Filosofia do Direito pela PUC-SP e advogada em São Paulo.

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

Dom Luiz inaugura capela da medalha milagrosa na Paróquia São Felipe Néri

Também se comemorou o centenário do fundador da Congregação e da Paróquia, o Padre Aldo Giuseppe Maschi (1920-1999) Na sexta-feira, 27 de novembro, Dom Luiz...

Pastoral do menor da Região Sé promove encontro on-line

O missionário José Cícero conduziu o momento de espiritualidade A Pastoral do Menor da Região Episcopal Sé realizou um encontro on-line em 26 de novembro,...

Em busca da unidade: bispos terão manual da Santa Sé sobre ecumenismo

Nesta sexta-feira, 4, na Sala de Imprensa da Santa Sé, no Vaticano, será apresentado o documento intitulado “O bispo e a unidade dos cristãos:...

Carreata marca os 50 anos da Paróquia Nossa Senhora de Casaluce

A comunidade instalada no bairro do Brás a mais de um século, foi elevada paróquia no dia 19 de outubro de 1970 No sábado, 28...

Rede Mundial de Oração do Papa torna-se Fundação Vaticana

A Sala de Imprensa da Santa Sé divulgou nesta quinta-feira, 3, um comunicado informando que, por decisão do Papa Francisco, a Obra Pontifícia “Rede...

Newsletter