Capital paulista tem dia com a paralisação de linhas de ônibus

Rodízio municipal está suspenso nesta terça-feira, 14. Motoristas e cobradores pedem reajuste salarial de 12,47%

Capital paulista tem dia com a paralisação de linhas de ônibus, Jornal O São Paulo
Foto: SindMotoristas

Sem acordo entre os trabalhadores e os empresários do setor de transportes na cidade de São Paulo, a população vive um dia de caos nesta terça-feira, 14, com a paralisação das linhas de ônibus municipais em todas as regiões da cidade. Desde a meia noite, os terminais de ônibus estão fechados.

A SPTrans, empresa municipal que cuida da gestão dos transportes, obteve decisão liminar na Justiça do Trabalho, no dia 31 de maio, que determinou a manutenção de 80% da frota operando nos horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e 60% nos demais horários, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

Em nota à imprensa, a SPTrans assegura que irá solicitar à Justiça a cobrança desta multa, além de autuar as empresas pelo não cumprimento das viagens.

Conforme atualização feita às 8h pela SPTrans, durante a madrugada, 46 linhas do Noturno, de 150, operaram normalmente. A partir das 4h, a operação em todas as garagens dos grupos estrutural e de articulação regional foi interrompida. O Grupo Local de Distribuição não foi afetado, ou seja, aqueles microônibus ou outro linhas que operaram de bairro a bairro, uma frota de cerca de 5 mil veículos.

RODÍZIO E MUDANÇAS DE LINHAS

No Terminal Campo Limpo, 12 linhas de ônibus estão sendo estendidas até a Vila Sônia, onde os passageiros podem realizar a integração com o Metrô.

As 11 linhas que vão até o Terminal Vila Nova Cachoeirinha estão levando os passageiros até o Metrô Barra Funda.

Sete ônibus estão realizando o transporte de passageiros entre os terminais Varginha e Grajaú, onde é possível fazer a conexão com a linha 9 Esmeralda da CPTM.

Segundo a SPTrans, as seguintes empresas estão com a operação paralisada em suas garagens: Santa Brígida (Zona Norte); Gato Preto (Zona Norte); Sambaíba (Zona Norte); Express (Zona Leste); Viação Metrópole (Zona Leste); Ambiental (Zona Leste); Via Sudeste (Zona Sudeste); Campo Belo (Zona Sul); Viação Grajaú (Zona Sul); Gatusa (Zona Sul); KBPX (Zona Sul); MobiBrasil (Zona Sul); Viação Metrópole (Zona Sul); Transppass (Zona Oeste); e Gato Preto (Zona Oeste).

Já as que estão operando normalmente, no transporte bairro a bairro são: Norte Buss (Zona Norte), Spencer (Zona Norte), Transunião (Zona Leste), UPBUS (Zona Leste), Pêssego (Zona Leste), Allibus (Zona Leste), Transunião (Zona Sudeste), MoveBuss (Zona Leste), A2 Transportes (Zona Sul), Transwolff (Zona Sul), Transcap (Zona Oeste) e Rodobus (Zona Oeste).

Devido a essa paralisação, o rodízio municipal de veículos foi suspenso nesta terça-feira. Assim, carros com placas de final 3 e 4 podem circular livremente pela cidade sem limite de horário. A CET também liberou, no período da manhã, a circulação nas faixas e corredores de ônibus. A medida será reavaliada à tarde.

RAZÕES PARA A PARALISAÇÃO

Os motoristas e cobradores de ônibus do transporte público de São Paulo estão em campanha salarial.  Com data-base em 1º de maio, as negociações salariais dos trabalhadores com as empresas de transporte começaram em março, por meio de suas entidades sindicais: o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (SindMotoristas)  e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss).

O SindMotoristas pede reajuste de 12,47%, referente ao índice do INPC/IBGE, entre outras reivindicações como 100% das horas extras, fim da hora de almoço não remunerada e PLR.

Um audiência foi realizada na semana passada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O SPUrbanuss propôs reajuste de 10%, pago em parcela. Depois, aceitou o reajuste de 12,47%, mas apenas a partir de outubro. Em assembleia, os sindicalizados do SindMotoristas recusou a proposta e oficializou a paralisação para esta terça-feira.

O julgamento do dissídio da greve e econômico ficou agendado para acontecer na quarta-feira, dia 15, às 15h.

(Com informações da SPTrans, CET e SindMotoristas)

Deixe um comentário