Caritas Arquidiocesana de São Paulo abre nova sede

Cardeal Scherer abençoou as instalações localizadas na zona Norte da capital paulista

Caritas Arquidiocesana de São Paulo abre nova sede, Jornal O São Paulo
Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Foi inaugurada na terça-feira, 31 de maio, a nova sede da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP). Localizada na Parada Inglesa, na zona Norte da capital paulista, o prédio onde antes funcionava o centro de pastoral da Região Episcopal Santana passa a abrigar esse organismo de animação, promoção, caridade e articulação da ação social. 

A inauguração contou com a presença do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, que abençoou as instalações. 

No edifício de dois andares, funcionarão os serviços de atendimento realizados pela CASP e os departamentos administrativos. Há, ainda, salas de aula, de informática, e para reuniões e palestras. 

REFUGIADOS 

O maior projeto da CASP nos últimos anos é o Serviço de Acolhida e Orientação para Refugiados, em convênio com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), que desenvolve quatro programas: assistência social, integração local, proteção local e saúde mental. 

O setor de assistência faz o encaminhamento dos refugiados ou solicitantes de refúgio para abrigos públicos ou privados, além de uma avaliação social para a concessão de uma pequena ajuda financeira limitada para perfis de alta vulnerabilidade, e, também, a entrega de itens de necessidades básicas e encaminhamentos para o serviço de saúde. 

Já o programa de integração faz encaminhamento dos refugiados para cursos profissionalizantes, de língua portuguesa, auxilia na emissão de documentos e elaboração de currículos. 

A proteção oferece o apoio e orientação jurídica para a regularização migratória em contato direto com o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) e o auxílio para aqueles que já têm o refúgio reconhecido e desejam trazer a família para o Brasil. 

O programa saúde mental proporciona atendimento psicológico individual ou em grupo e organiza passeios culturais e outras formas de integração. 

Em 2022, além da parceria com o Acnur, a Caritas realiza mais dois projetos nessa área: Projeto Autonomia para Jovens Refugiados, com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; e o Projeto Labores – Inserção Social e Produtiva da Pessoa em situação de refúgio, com o Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

Caritas Arquidiocesana de São Paulo abre nova sede, Jornal O São Paulo

ATENDIMENTOS 

Apenas no serviço para refugiados, a CASP atende uma média de 6,5 mil pessoas por ano. Nos últimos meses, a maior procura pelo serviço tem sido por parte de venezuelanos e afegãos. Nesses casos, assim como com os ucranianos, além da solicitação de refúgio, há a possibilidade da obtenção de vistos humanitários para residência no Brasil. Durante o atendimento e triagem, os agentes da CASP orientam as pessoas sobre esses documentos. 

Durante a pandemia, a Caritas Arquidiocesana se adaptou ao atendimento remoto, o que permitiu que o serviço não fosse interrompido, porém, apresentou diversas dificuldades, por se tratar de público de alta vulnerabilidade. “Nem todos os refugiados têm celular e conexão à internet, o que gera uma exclusão digital”, explicou Talitha Iamamoto, coordenadora do Serviço de Acolhida e Orientação para Refugiados, destacando a necessidade da retomada do atendimento presencial em um espaço adequado. 

Em termos gerais, a Lei 9.474/1997 estipula que será reconhecido como refugiado todo indivíduo que, devido a “fundados temores de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou opiniões políticas”, pedir proteção para deixar seu país de origem ou no qual esteja legalmente vivendo. Também será reconhecido como refugiado todo indivíduo que, não tendo nacionalidade e estando fora do país onde antes teve sua residência habitual, não possa ou não queira regressar em função das circunstâncias já citadas, bem como aquele que, devido a grave e generalizada violação de direitos humanos, é obrigado a deixar seu país de nacionalidade para buscar refúgio em outra nação. 

OUTROS SERVIÇOS 

Outro eixo de atuação da Caritas Arquidiocesana é nas situações emergenciais, como catástrofes naturais e humanitárias. Nesse sentido, a entidade participa do protocolo de intenções da Defesa Civil do Estado de São Paulo, por meio do qual os agentes recebem treinamento para atuar nas situações emergenciais. Para melhor realizar a sua missão, a CASP conta com núcleos nas seis regiões episcopais da Arquidiocese. 

A entidade também tem se dedicado à formação de voluntários para o serviço caritativo nos mais variados âmbitos. “A Caritas é uma grande casa e escola de caridade”, afirmou o Padre Marcelo Maróstica Quadro, Diretor da CASP, ressaltando que, nos últimos cinco anos, o organismo ofereceu para o Acnur 33 profissionais que antes foram seus voluntários e agentes e que agora integram o quadro de colaboradores dessa agência da ONU. 

A Caritas Arquidiocesana também é responsável por projetos de geração de renda e a economia popular solidária, em sintonia com os ensinamentos da Doutrina Social da Igreja. 

O Diretor da entidade enfatizou que a inauguração da nova sede marca o início de uma nova fase para a CASP, chamada a ser cada vez mais uma expressão da Igreja “em saída”, que vai ao encontro dos que mais precisam. Nesse sentido, é previsto um fortalecimento dos núcleos regionais e a formação de agentes nas bases das comunidades, inclusive no atendimento aos refugiados, identificando as comunidades com maior concentração dos estrangeiros e capacitando seus próprios membros para o atendimento e orientação a pessoas que não tenham condições de ir até a sede da Caritas Arquidiocesana

Caritas Arquidiocesana de São Paulo abre nova sede, Jornal O São Paulo

CARIDADE ORGANIZADA 

Antes de abençoar as novas instalações da entidade, o Cardeal Scherer ressaltou que “a Caritas é uma expressão da caridade organizada em função das necessidades reais que se apresentam na cidade”. O Arcebispo reforçou que o serviço da CASP nunca cessará, pois sempre haverá uma nova frente de atuação para se dedicar. 

O Arcebispo incentivou que a Caritas Arquidiocesana expanda cada vez mais seus serviços, não apenas nos núcleos regionais, mas que cada paróquia, comunidade ou organização eclesial seja um local de referência para essa obra da Igreja. 

José Egas, representante do Acnur no Brasil, sublinhou a excelência do trabalho da Caritas Arquidiocesana de São Paulo no serviço aos refugiados que é referência para todo o estado de São Paulo. “Esperamos que nossa parceria seja cada vez mais forte. Que vocês possam contar conosco sempre”, manifestou, agradecendo a todos os agentes e voluntários da entidade. 

No fim da cerimônia, José Egas foi homenageado pelos membros da CASP, já que, após quatro anos de trabalho no Brasil, partirá em julho para uma nova missão em Genebra, na Suíça. 

HISTÓRIA 

A primeira organização da Caritas foi fundada em Friburgo, na Alemanha, em 1897. Outras organizações nacionais da Caritas foram formadas na Suíça (1901) e nos Estados Unidos (1910). 

Aos poucos, outras nações começaram a fundar suas Caritas, até que, em 1950, iniciou-se o caminho da criação de uma entidade que reunisse todas essas expressões de caridade, o que se concretizou no ano seguinte, com a criação da Caritas Internationalis, uma confederação que atualmente conta com 170 organizações de mais de 200 países. 

A Cáritas Brasileira foi fundada em 12 de novembro de 1956, por incentivo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). 

Em 4 de abril de 1968, foi criada a Caritas Arquidiocesana de São Paulo. Na época, o estatuto da entidade, aprovado pelo então Arcebispo, Cardeal Agnelo Rossi, já ressaltava como missão: desenvolver a ação social da Igreja Católica visando à justiça social ungida pela caridade cristã, mediante a técnica e os processos do Serviço Social; planejar, promover, incentivar, orientar, coordenar as atividades das obras ou dos movimentos de inspiração católica existentes ou que venham a existir na Arquidiocese de São Paulo, tendo como objetivo a promoção integral do homem e da comunidade, por meio de uma ajuda que consista em um desenvolvimento global, não somente econômico, mas na elevação da pessoa, com todas as suas faculdades, porque não há verdadeiras perspectivas de progresso, de equilíbrio e de paz à humanidade sem a intervenção de fatores morais e espirituais; prestar assistência a quem dela necessite, sem discriminação de qualquer espécie. 

CARITAS ARQUIDIOCESANA DE SÃO PAULO 

Endereço: Av. Mal. Eurico Gaspar Dutra, 1853 – Parada Inglesa – São Paulo, SP
CEP: 02239-010 
Telefone: (11) 93904-5321 
Horário de funcionamento do Serviço de Acolhida e Orientação para Refugiados: segunda, terça, quinta e sexta-feira, das 8h30 às 17h30, exceto feriados. 

Conta de doação para o projeto com refugiados:
Banco Bradesco
Agência 99 
Conta 1000161-7
CNPJ 62.021.308.0001-70 
Caritas Arquidiocesana de São Paulo 

Conta de doação para a Caritas geral: 
Banco Bradesco
Agência 99
Conta 1000154-4 
CNPJ 62.021.308.0001-70 
Caritas Arquidiocesana de São Paulo 

Deixe um comentário