Há 67 anos, o jornal O SÃO PAULO reporta a vida eclesial e o olhar da Igreja para a sociedade

Há 67 anos, o jornal O SÃO PAULO reporta a vida eclesial e o olhar da Igreja para a sociedade, Jornal O São Paulo

Em 67 anos de história, mais de 3,4 mil edições do jornal O SÃO PAULO já foram publicadas. A primeira foi em 25 de janeiro de 1956. A criação do semanário arquidiocesano que passava a circular no lugar de O Legionário foi uma iniciativa do Cardeal Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta. 

“Se a imprensa, a boa imprensa, é órgão indispensável na estrutura de qualquer organismo da sociedade moderna, também para a Igreja é elemento necessário à propaganda e à defesa da fé e da moral, da doutrina e da prática da religião”, escreveu o então Arcebispo Metropolitano de São Paulo na ocasião. 

Nesses 67 anos, os atos e discursos de sete papas (Pio XII, João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e Francisco) e de cinco arcebispos (Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, Dom Agnelo Rossi, Dom Paulo Evaristo Arns, Dom Cláudio Hummes e Dom Odilo Pedro Scherer) foram retratados pelo jornal, bem como os fatos do mundo, do Brasil, da cidade e da Igreja, sempre pautados no princípio de que O SÃO PAULO é um jornal católico de notícias, que lê “os acontecimentos dentro e fora da Igreja, sob a ótica do Evangelho, da ética e da moral cristã”, como indica o ponto 18 dos atuais princípios editoriais.

No compasso do tempo e da tecnologia

Até maio de 1960, o jornal circulou em formato tabloide, quando passou ao tamanho standard. Desde o princípio, o O SÃO PAULO não se limitava a reportar os fatos do interno da Igreja: resultados de concursos públicos, notas informativas sobre acontecimentos na cidade, agenda de eventos culturais e até notícias esportivas são encontradas nas 12 páginas semanais das edições das duas primeiras décadas, em meio a notícias sobre a Igreja e artigos formativos. Na fase mais aguda do regime militar no Brasil, o jornal chegou a ter páginas censuradas. 

Na edição de 20 anos do jornal, em 24 de janeiro de 1976, notam-se algumas mudanças incorporadas ao longo dos anos: na capa, os principais destaques da edição são apresentados em textos curtos (chamadas) e nas páginas internas estava mais nítida a separação dos conteúdos. Uma década depois, na edição 1.551, de 24 de janeiro de 1986, percebe-se o número expressivo de charges e ilustrações que ajudavam o leitor a melhor compreender as notícias, e já havia informações dispostas em editorias, e muitas também eram as reportagens sobre a presença dos católicos nas diferentes mobilizações sociais. 

Nos 40 anos do jornal, em 1996, as máquinas de escrever já tinham dado lugar aos computadores na redação, nos quais os jornalistas podiam redigir seus textos e digitar informações chegadas via fax e os artigos de colaboradores escritos à mão. Também nos anos 1990, a diagramação das páginas – a forma como os textos e as fotos são dispostos – também passou a ser feita no computador, resultando em melhoria significativa na qualidade do jornal impresso.  

No jubileu de ouro, em 2006, o jornal, com 12 páginas, já era publicado semanalmente com a capa e a contracapa colorida, havia maior quantidade de reportagens temáticas e se manteve o expediente prioritário de noticiar as iniciativas da Arquidiocese e da presença da Igreja na vida da  cidade. Na redação, a chegada da internet no início dos anos 2000 facilitou a captação das notícias e a recepção dos textos de colaboradores por e-mail. Com o avanço da computação, o processo de diagramação permitiu mais alternativas para a disposição da informação, com gráficos e fotomontagens. 

Às vésperas da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, em julho de 2013, o jornal passou do formato standard para germânico, tendo todas as páginas coloridas desde então. A mudança do formato levou a aprimoramentos no fazer jornalístico do O SÃO PAULO. Em 2014, foram criadas algumas editorias, como Viver Bem, Pelo Brasil, Pelo Mundo e Com a Palavra. Também se tornaram mais frequentes reportagens especiais e cadernos temáticos, como os de “Fé e Cultura”, “Fé e Cidadania”, “Pascom em Ação” e “Laudato si’– por uma ecologia integral”. 

Com o crescente interesse dos leitores pelo conteúdo do semanário Arquidiocesano, o jornal O SÃO PAULO ingressou no ambiente on-line, em 2017, apresentando notícias atualizadas diariamente em www.osaopaulo.org.br, e postagens em nossas redes sociais (@jornalosaopaulo). 

Deixe um comentário