Novo documento apresenta diretrizes para a preparação ao Matrimônio e acompanhamento dos casais

Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida preparou o documento “Itinerários Catecumenais para a vida matrimonial. Diretrizes pastorais para as Igrejas particulares”, com uma metodologia renovada da preparação ao matrimônio e para toda a vida conjugal

Novo documento apresenta diretrizes para a preparação ao Matrimônio e acompanhamento dos casais
Papa Francisco com família mexicana em 2016 (foto: Vatican Media)

"A alegria do amor que se vive nas famílias é também a alegria da Igreja": estas são as primeiras palavras da Amoris laetitia, que constituem uma mensagem, mas também um apelo do Papa Francisco para que a Igreja saiba anunciar, especialmente aos jovens, a beleza e a abundância de graça que estão presentes no sacramento do matrimônio e na vida familiar. O convite é para formar e acompanhar os jovens para que não só compreendam, mas também experimentem a presença do Senhor no casal e assim, como diz o Papa Francisco, "amadureçam na certeza de que em seu vínculo há a mão de Deus".

Assim se inicia a apresentação do documento do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida que oferece aos pastores, aos cônjuges e a todos os que trabalham na pastoral familiar uma visão e uma metodologia renovada da preparação ao sacramento do matrimônio e para toda a vida conjugal.

O documento é uma iniciativa do "Ano da Família Amoris Laetitia" e responde ao desejo do Santo Padre de oferecer novos caminhos de preparação para o sacramento do matrimônio. 

NOVO CATECUMENATO

"Itinerários Catecumenais para a vida matrimonial. Diretrizes Pastorais para Igrejas particulares”, anota o Dicastério, destaca uma indicação repetidamente expressa pelo Papa Francisco em seu Magistério, ou seja, "a necessidade de um 'novo catecumenato' que inclua todas as etapas do caminho sacramental: os tempos da preparação para o matrimônio, da sua celebração e dos anos que se seguem", especialmente quando os cônjuges poderiam passar por crises e momentos de desencorajamento.

PREPARAR O TERRENO

Do Documento, lê-se, foram destacados dois novos aspectos: “antes de tudo, um olhar sobre o futuro da família, com uma preparação muito remota para a vocação matrimonial. Na verdade, trata-se de preparar o terreno, começando a trabalhar com crianças, adolescentes e jovens, plantando sementes cujos frutos poderão ser vistos nos próximos anos. Jovens que, caso contrário, provavelmente nunca se casariam. Isto porque a proposta não é simplesmente renovar a preparação imediata para o casamento, mas criar uma pastoral vocacional que anuncie às crianças e aos adolescentes a vocação ao matrimônio, de modo que eles sejam acompanhados pela descoberta gradual de um chamado à vida familiar cristã. De fato, hoje em dia uma preparação rápida dos noivos, pouco antes da celebração do rito, não é mais suficiente para que a Igreja cuide verdadeiramente daqueles que o Senhor chama para casar e construir uma família cristã” explica ainda a nota.

Em segundo lugar, “é enfatizada a importância do fato de que, ao lado dos sacerdotes, há casais que acompanham o catecumenato daqueles que pedem o sacramento do Matrimônio. Sua experiência de vida conjugal é decisiva para que haja compreensão, aceitação e gradualismo neste percurso, que, em muitas partes do mundo, entre outras coisas, é agora muitas vezes dirigido aos casais que já vivem juntos e que podem assim sentir-se compreendidos por aqueles que vivem sua experiência já familiar".

ACOMPANHAMENTO CONTÍNUO

"A preocupação do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida é a de transmitir aos bispos, aos agentes da pastoral familiar e aos formadores, o convite do Santo Padre para repensar seriamente a preparação para o Matrimônio como um acompanhamento contínuo antes e depois do rito sacramental. Uma proximidade competente e concreta, feita de vínculos entre famílias que se apoiam umas às outras”, comenta O Cardeal Kevin Farrell, Prefeito deste Dicastério.

O documento foi publicado em formato papel pela Libreria Editrice Vaticana e, por enquanto, está disponível apenas em italiano. Versões em outros idiomas serão publicadas em breve.

Fonte: Vatican News

Deixe um comentário