Papa conclui reunião com cardeais sobre a reforma da Cúria Romana

Na missa de encerramento, Papa pede que eles se deixem ‘surpreender’ pelo encontro com Cristo

Papa conclui reunião com cardeais sobre a reforma da Cúria Romana, Jornal O São Paulo
Foto: Vatican Media

Desde o início do pontificado do Papa Francisco, nunca a reunião do colégio cardinalício foi tão numerosa. Entre os dias 27 e 30 de agosto, cerca de 200 cardeais estiveram em Roma para participar do consistório convocado pelo Papa Francisco, e puderam se conhecer melhor e discutir a reforma da Cúria Romana, que vem sendo realizada nos últimos nove anos.

A missa que concluiu o encontro, na terça-feira, 30, foi celebrada com o ritual previsto para as celebrações “Pela Igreja”. O Papa Francisco fez referência à passagem do Evangelho de São Mateus (28,20), em que Cristo, após a Ressurreição, diz: “Estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,20). Em sua pregação, Francisco disse aos cardeais, antigos e novos, que é preciso sempre se deixar “surpreender” por Cristo, “ir com Ele para o mundo”.

As grandes responsabilidades que têm não podem diminuir esse fervor, afirma o Pontífice. Como já é marca dos discursos de Francisco para novos cardeais e bispos, ele fez um chamado à humildade. Disse-lhes que eles precisam fugir da tentação de se sentir “elevados”, para que não se sintam como se fossem a melhor parte da Igreja.

“A surpresa [causada pelo encontro com Cristo] é o caminho de salvação!”, disse o Papa. “Que Deus a conserve sempre viva, porque isso nos liberta da tentação de se sentir ‘nas alturas’, de nutrir a falsa segurança que hoje, na verdade, é diferente, não é mais como no início, pois hoje a Igreja é grande, sólida, e nós somos colocados nos graus eminentes de sua hierarquia… Sim, há também isso, mas há também muito engano”, continuou.

Por isso, é preciso recuperar sempre a “surpresa de ser Igreja”, para não “mundanizar” a espiritualidade, “e, com isso, tornar atraente a comunidade dos que creem, primeiro para eles mesmos e, depois, para todos”. Na verdade, disse, a “alegria” do encontro com Cristo os define. Um ministro da Igreja “é alguém que sabe se maravilhar diante dos desenhos de Deus e, com esse espírito, ama apaixonadamente a Igreja, pronto para servir a sua missão onde e como quer o Espírito Santo”.

De acordo com comunicado do Vaticano, o encontro dos cardeais com o Santo Padre “se desenvolveu em clima fraterno”. Participaram quase 200 pessoas, entre cardeais, patriarcas orientais e superiores da Secretaria de Estado. Eles tiveram reuniões em pequenos grupos, divididos por língua, e discussões em assembleia plenária sobre a constituição apostólica Praedicate Evangelium, que reforma a Cúria Romana, “e sobre a vida da Igreja”, diz a nota. Também se falou sobre o “Jubileu da Esperança”, que será celebrado em 2025.

Deixe um comentário