Papa deseja ir ao Cazaquistão para Congresso de Religiões Mundiais

Francisco expressou essa intenção durante uma conversa por videoconferência com o presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev. O 7º Congresso Mundial de Líderes de Religiões Mundiais e Tradicionais acontece em setembro em Nursultan, capital do país

Papa deseja ir ao Cazaquistão para Congresso de Religiões Mundiais
Vatican Media

O Papa Francisco expressou a sua intenção de viajar ao Cazaquistão por ocasião do 7º Congresso Mundial de Líderes de Religiões Mundiais e Tradicionais que será realizado de 14 a 15 de setembro em Nursultan, capital do país. A notícia foi confirmada pelo diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni. O Pontífice falou sobre essa possibilidade durante uma conversa por videoconferência na manhã desta segunda-feira (11) com o presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev.

O convite feito em 2021

Em novembro de 2021, durante uma audiência com Francisco no Vaticano, o presidente do Senado do Cazaquistão, Ashimbayev, havia convidado o Papa para participar do evento internacional. Naquela ocasião, segundo relatou o próprio Ashimbayev sobre o encontro,  o Pontífice havia ressaltado o papel fundamental do país na promoção do diálogo inter-religioso na Ásia e no mundo.

Na época, apenas considerando a possibilidade da sua presença, o bispo da Santíssima Trindade em Almaty e presidente da Conferência Episcopal do Cazaquistão, dom José Luis Mumbiela Sierra, era entusiasta, antecipando que estariam prontos para receber o Pontífice, “20 anos após a visita de João Paulo II ao Cazaquistão”. O prelado enalteceu que sobre “a grande aproximação entre os valores do diálogo promovidos tanto por Francisco como pelo congresso. Sabemos também como o Santo Padre é atento às Igrejas da periferia, como a nossa”, disse dom José.

A inspiração em Assis

A primeira edição do congresso, que busca promover o diálogo entre as religiões, foi realizada em Astana, em 2003, tomando como modelo o “Dia de Oração pela Paz” no mundo, convocado em Assis por João Paulo II, em janeiro de 2002. A iniciativa tinha como objetivo reafirmar a contribuição positiva das diferentes tradições religiosas para o diálogo e a harmonia entre os povos e as nações após as tensões que se seguiram aos ataques do 11 de setembro de 2001.

O congresso inter-religioso deste ano terá como tema “O papel dos líderes das religiões mundiais e tradicionais no desenvolvimento sócio-espiritual da humanidade no período pós-pandêmico”.

Andressa Collet – Vatican News

Deixe um comentário