Papa envia mensagem a membros da Comissão Internacional Católica para as Migrações

O Papa Francisco enviou uma mensagem aos participantes ao Conselho Plenário da Comissão Internacional Católica para as Migrações, na segunda-feira, 30. A ocasião é para a eleição da nova estrutura de gestão da Comissão, para aprovar os novos estatutos e determinar as linhas operacionais para os próximos anos.

Papa envia mensagem a membros da Comissão Internacional Católica para as Migrações, Jornal O São Paulo
Foto: Vatican Media

Sublinhando a sua natureza e missão eclesial que distingue de outras organizações que operam na sociedade civil e na Igreja, o Papa explica que “a Comissão é uma expressão colegial da ação pastoral, no campo da migração, dos bispos que, em comunhão com o Papa, participam de sua “solicitude pela Igreja Universal em um vínculo de paz, amor e unidade”. E recorda que na Constituição Apostólica Praedicate Evangelium, a Comissão é mencionada e colocada entre as competências do Dicastério para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral (cf. Art. 174 § 2), para que sua natureza e missão sejam salvaguardadas de acordo com os princípios originais.

AS DUAS DIREÇÕES DA COMISSÃO

“A missão eclesial da Comissão – continua Francisco – é realizada em duas direções: ad intra e ad extra. Antes de tudo, é chamada a oferecer assistência qualificada às Conferências Episcopais e dioceses que têm que responder aos muitos e complexos desafios migratórios de nosso tempo. Portanto, está empenhada em promover o desenvolvimento e a implementação de projetos pastorais migratórios e a formação especializada de agentes pastorais no campo da migração, sempre a serviço das Igrejas particulares e de acordo com suas próprias competências.

Ao falar sobre as competências “ad extra” o Pontífice escreveu: “a Comissão é chamada a responder aos desafios globais e emergências migratórias com programas direcionados, sempre em comunhão com as igrejas locais. Também lhe são confiadas atividades de advocacy como uma organização da sociedade civil no âmbito internacional. A Comissão envolve a Igreja e trabalha para uma maior consciência internacional das questões migratórias, a fim de promover o respeito aos direitos humanos e a promoção da dignidade humana, de acordo com as diretrizes da doutrina social da Igreja.

Depois de esclarecer as competências da Comissão Francisco fez os agradecimentos pelo trabalho de todos destacando a ação determinante do grupo. E concluiu: “Agradeço, em particular, seus esforços para ajudar as Igrejas a responder aos desafios do deslocamento maciço causado pelo conflito na Ucrânia. Este é o maior movimento de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial”.

Fonte: Vatican News

Deixe um comentário