‘Que São Paulo Apóstolo nos contagie com seu vigor e coragem para a realização do bem’

Rezou o Cardeal Scherer, na missa da Solenidade da Conversão de São Paulo Apóstolo, na Catedral da Sé

‘Que São Paulo Apóstolo nos contagie com seu vigor e coragem para a realização do bem’, Jornal O São Paulo
Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Centenas de fiéis e autoridades civis e militares participaram na manhã da quarta-feira, 25, na Catedral da Sé, da missa da Solenidade da Conversão de São Paulo Apóstolo, patrono da Arquidiocese de São Paulo e padroeiro da capital paulista e do estado de São Paulo.

A celebração também foi ocasião para render graças a Deus pelos 469 anos de fundação da cidade de São Paulo, ocorrida em 1554, por missionários jesuítas, entre os quais São José de Anchieta e o Padre Manuel da Nóbrega.

“Convido a todos a nos unirmos em prece a Deus pela nossa cidade, por todas as suas necessidades, mas também para agradecer a Deus por todos aqueles que, dia a dia, a edificaram e a edificam. É uma cidade com tantos desafios, mas também com tantas possibilidades e potencialidades a serem colocadas a serviço dessa imensa comunidade urbana”, disse o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, na saudação inicial.

“Em nossa Arquidiocese, temos o lema de que ‘Deus habita esta cidade’. Cremos nisso e queremos que Ele esteja conosco e com todos que constroem esta cidade, amparando-lhes, protegendo-lhes, dando-lhes força e luzes, e ajudando para que cada um, em suas competências, edifique esta cidade naquilo que é bom para todos”, prosseguiu Dom Odilo.

CIDADE ACOLHEDORA E DE OPORTUNIDADES

Antes dos ritos da missa, o Arcebispo Metropolitano saudou as autoridades civis e militares presentes à Catedral da Sé, entre as quais o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, e o governador do estado, Tarcísio de Freitas; bem como as lideranças religiosas de outras igrejas cristãs e das expressões de fé judaica, muçulmana, budista e de matriz africana, além dos Bispos Auxiliares da Arquidiocese e Dom Algacir Munhak, Bispo de São Miguel Paulista, diocese cujo território abrange parte da cidade de São Paulo.

A convite do Arcebispo, o prefeito da capital falou aos participantes da missa, destacando a vocação acolhedora de São Paulo.

“É uma cidade com muitos desafios, mas nós, com união, oração, trabalho e dedicação, vamos tornar nossa cidade cada dia melhor e mais inclusiva, solidária, para que as pessoas possam trazer o seu sonho, e aqueles que aqui já estão também possam realizar seus sonhos”, disse Nunes, agradecendo a todos que se empenham para tornar a cidade melhor.

Também o governador Tarcísio de Freitas lembrou que São Paulo é uma cidade acolhedora, que não tolera preconceitos e que se consolidou como referência mundial em cultura, gastronomia e ambiente de negócios.

“Que neste novo ciclo, possamos construir uma cidade em que saciemos os que têm fome, tragamos o teto a quem não o tem, que possamos trabalhar pela recuperação dos dependentes químicos, das famílias, e trazer  dignidade”, desejou o governador, que assumiu a função no começo deste mês, após ser eleito em outubro de 2022.

‘Que São Paulo Apóstolo nos contagie com seu vigor e coragem para a realização do bem’, Jornal O São Paulo

GRATIDÃO E ORAÇÃO PELO BEM DA CIDADE

Na homilia, o Cardeal Scherer destacou que ao se comemorar os 469 anos da fundação de São Paulo, deve-se também render graças a Deus por todos os que ao longo deste tempo atuaram pelo bem da cidade. “Como membros desta comunidade urbana, somos hoje desafiados a ser dignos continuadores da obra daqueles que nos precederam e a escrever nossas páginas na história de São Paulo”, destacou.

Dom Odilo disse que reza a Deus para que inspire as autoridades que governam a cidade, bem como os legisladores, promotores da Justiça e vigias do direito e da dignidade para que os sustente em sua missão pública; e que também o faz para que todas as instituições e organizações da sociedade civil possam continuar contribuindo para “uma cultura de solidariedade e justiça, de respeito pelos direitos de cada pessoa e de valorização daquilo que enobrece e dignifica o convívio humano na cidade de São Paulo”.

MISSIONÁRIO DO EVANGELHO DE CRISTO

Ainda na homilia, o Arcebispo Metropolitano rogou para que São Paulo Apóstolo “nos contagie a todos com seu vigor e coragem para a realização do bem e para a edificação de uma verdadeira comunidade humana, lutadora para a superação dos males, solidária, fraterna e sempre mais justa para com todos os seus membros”.

Recordando a 1a leitura proclamada na missa (cf. At 22, 3-16), na qual o próprio São Paulo Apóstolo relata o episódio de sua conversão após encontrar-se com Cristo, ser envolvo em uma luz radiosa e, a partir de então, compreender a nova vida e os valores que deveria seguir, Dom Odilo lembrou que Saulo, anteriormente perseguidor dos cristãos, tornou-se o Apóstolo Paulo, um ardoroso discípulo de Cristo.

“Paulo, convertido em discípulo fiel e amigo de Cristo, tornou-se o maior dos missionários do Evangelho de Cristo no início do Cristianismo. Ele levou a Boa Nova a muitos povos e estabeleceu o início da Igreja entre eles em pouco tempo. Não teve medo de entrar nas cidades e de levar o Evangelho aos seus areópagos mais diversos, de dialogar com as várias culturas, de testemunhar o nome de Cristo no coração do império romano”, ressaltou Dom Odilo.

‘Que São Paulo Apóstolo nos contagie com seu vigor e coragem para a realização do bem’, Jornal O São Paulo

CONTINUADORES DA MISSÃO NA CIDADE

O Cardeal Scherer também lembrou que a Igreja em São Paulo se inspira no agir do Apóstolo para realizar no presente o anúncio da Boa Nova, por meio das diferentes estruturas eclesiais, como as paróquias, grupos, organizações, serviços e iniciativas pastorais, uma Igreja que ao longo do sínodo arquidiocesano, já em fase conclusiva, busca refletir sobre como renovar e reativar a sua presença e atuação na cidade.

“Queremos aprofundar a conversão pastoral missionária para realizarmos, de maneira mais eficaz, a missão de Cristo e de Paulo que continua, a missão de Anchieta de Nóbrega, que começou em 1554, de Frei Galvão e Madre Paulina, que aqui santificaram suas vidas, e de todos os missionários e missionárias, ilustres ou desconhecidos, que já marcaram esta cidade com sua presença e testemunho”, disse o Arcebispo.

“Como Igreja Católica, queremos ser membros vivos e ativos da comunidade urbana, participando das organizações e instituições da sociedade, colocando-nos a serviço da pessoa humana, onde quer que ela esteja precisando de ajuda. Queremos ser testemunhas dos valores do Reino de Deus, que é um bem para todos”, prosseguiu.

PELO BEM DE TODO O POVO

Ao final da homilia, Dom Odilo pediu a São Paulo Apóstolo para que “nos ensine a acolher, de coração aberto, a Palavra de Deus, a abrir nossos olhos à luz do Evangelho. Como fez com tantos povos, hoje ainda conduza muitos a Cristo; contagie-nos com sua fé inabalável e com sua coragem e ardor missionário, para sermos, hoje, testemunhas de que Deus habita esta cidade imensa e quer bem a todo este povo”.

Aqueles que mais sofrem na cidade, como os doentes, os pobres, as pessoas em situação de rua, os dependentes químicos e todos que de algum modo se sentem excluídos na maior metrópole do País foram recordados pelo Arcebispo durante a oração dos fiéis, que pediu que aqueles que habitam a cidade possam estar abertos às necessidades dos que mais precisam de ajuda.

Também as novas gerações, futuro da cidade que se encaminha para os 500 anos de história no ano de 2054, tiveram destaque na celebração: seis crianças atendidas em um dos projetos do Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (Bompar) depositaram flores aos pés da imagem de São Paulo Apóstolo, à frente do presbitério da Catedral da Sé.

‘Que São Paulo Apóstolo nos contagie com seu vigor e coragem para a realização do bem’, Jornal O São Paulo

A missa da Solenidade da Conversão de São Paulo Apóstolo foi transmitida pelas mídias sociais da Arquidiocese de São Paulo e da Catedral da Sé, pela rádio 9 de Julho e pelas tevês Canção Nova e Rede Vida.

‘Que São Paulo Apóstolo nos contagie com seu vigor e coragem para a realização do bem’, Jornal O São Paulo

Na manhã da quarta-feira, 25, houve o tradicional ato cívico em homenagem aos fundadores da cidade de São Paulo no monumento erguido diante do Pateo do Collegio, com a presença do prefeito Ricardo Nunes, do governador Tarcísio de Freitas, autoridades militares e do Cardeal Odilo Scherer, Arcebispo de São Paulo (foto: Luciney Martins)

Deixe um comentário