‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo

Na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes, o Cardeal Scherer presidiu missa na manhã da sexta-feira, 24, em paróquia da zona Oeste

‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo, Jornal O São Paulo
Cardeal Scherer preside missa na Paróquia Sagrado Coração de Jesus (fotos: Luciney Martins/ O SÃO PAULO)

Faltavam 30 minutos para o começo da missa, na manhã da sexta-feira, 24, mas no portão principal da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, no Parque Continental, Região Episcopal Lapa, dezenas de fiéis já aguardam para a entrada no templo. Para eles, a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, sempre celebrada na segunda sexta-feira após o Corpus Christi, é também dia para comemorar a festa patronal.

Em toda a Igreja, desde 1995, na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus também se celebra o Dia Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes, razão pela qual, antes do início da missa, o clero atuante na Região Lapa e o Vigário Episcopal na Região, Dom José Benedito Cardoso, participaram de um momento de espiritualidade, conduzido pelo Padre Carlos Alberto Contieri, Diretor do Pateo do Collegio (saiba mais na parte final da reportagem).

Às 11h, teve início missa, presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, tendo entre os concelebrantes, além dos padres, Dom José Benedito e Dom Jorge Pierozan, Bispos Auxiliares da Arquidiocese, sendo que este último foi Pároco desta igreja antes da nomeação ao episcopado.

“Olhando para o Sagrado Coração de Jesus, reconhecemos que Deus é todo coração para conosco”, afirmou Dom Odilo no começo da missa, quando também pediu orações ao povo por todos os sacerdotes, incluindo o Papa Francisco.

O Coração Deus no coração humano de Jesus

‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo, Jornal O São Paulo
Membros do Apostolado da Oração da paróquia

Ao falar sobre as origens da festa do Sagrado Coração de Jesus, Dom Odilo explicou, na homilia, que essa comemoração inicialmente ocorria de modo privado no século XVII, mas que no século XIX, precisamente em 1856, o Papa Pio IX a estendeu para toda a Igreja, em um momento no qual a humanidade mais valorizava a razão – época do Iluminismo – do que os sentimentos.

“O Sagrado Coração de Jesus faz referência ao coração humano, ao Coração de Jesus na cruz traspassado pela lança. Jesus, o filho de Deus feito homem, assumiu toda a nossa humanidade, e no humano e pelo humano Ele se expressou”, comentou, destacando, ainda, que ir aos significados do Coração de Jesus, “nos faz lembrar que Deus é todo coração para conosco”.

Dom Odilo apontou, ainda, que diferentemente do coração humano, que, por vezes, se encontra enrijecido, e, assim, não expressa misericórdia e compaixão pelo próximo, o Coração de Deus é bom, não guarda rancor ou mágoa, e sempre está disposto a acolher o homem que reconhece as próprias limitações e fragilidades. “Deus não tem um coração ruim, não tem um coração duro, Ele é bom, tem um coração cheio de amor, de misericórdia, de ternura”, enfatizou.

“Hoje, olhando para o Coração de Jesus, deveríamos todos nós renovar este pedido tão simples: ‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso coração’”, disse, pedindo à assembleia de fiéis e aos padres que repetisse com ele esta invocação.

‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo, Jornal O São Paulo

SACERDOTES: BONS PASTORES EM NOME DE JESUS

Aos sacerdotes, Dom Odilo exortou que eles sempre peçam para ter um coração semelhante ao de Cristo, a fim de que sejam bom pastores para seu redil, o povo de Deus.

“Para nós, caríssimos padres, fica sempre este chamado de sermos aqueles pastores que Jesus deseja, estando junto de seu povo. Não podemos negar, para não diminuir a graça que recebemos de Deus, que somos sacramentalmente pastores em nome de Jesus. Não devemos negar! E isso não é clericalismo, mas, sim, reconhecer o dom de Deus. Somos pastores em nome de Jesus e, por isso, somos chamados a ser pastores bons, lembrando o Bom Pastor por excelência”.

O Arcebispo também exortou que os sacerdotes sempre peçam humildemente a Deus a graça de serem bons pastores, e que com igual humildade reconheçam as próprias limitações e peçam aos fiéis orações pela vocação e ministério.

“Peçamos ao povo que nos ajude, que rezem por nós, para que sejamos, mais e mais, aqueles pastores que Cristo deseja, que estejam olhando para o seu povo, e que, sobretudo, não sejamos pastores de coração endurecido, de um coração que não se sensibiliza diante da ovelha perdida, enfraquecida, machucada e em situação de risco. Que Deus nos ajude a sermos, mais e mais, sacerdotes semelhantes ao coração de Jesus, o Bom Pastor”.

‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo, Jornal O São Paulo

SINAL DE AMOR PELA HUMANIDADE

Após a comunhão, a assembleia de fiéis, o Cardeal e os concelebrantes, rezaram a Oração pelas Vocações e, depois, voltados para o sacrário, também a Consagração ao Sagrado Coração de Jesus.

Ao fim da missa, Dom Odilo desejou a todos saúde, serenidade e muito empenho e fez votos de que o povo sempre se sinta amado por Deus e pelos sacerdotes.

As festividades na Paróquia Sagrado Coração de Jesus começaram com um tríduo e foram concluídas na sexta-feira, 24, com essa missa das 11h, e outra, às 20h, presidida pelo Pároco, o Padre Pedro Augusto Ciola de Almeida.

“Incentivamos a adoração ao Santíssimo Sacramento, que fazemos no dia de hoje junto com o Apostolado da Oração, e também que as pessoas acreditem mais na misericórdia de Deus. A devoção ao Sagrado Coração de Jesus existe para nós não termos dúvida de que Deus nos ama, quer o nosso bem, quer nos abençoar. O coração exposto de Jesus é um sinal do amor que Ele tem pela humanidade”, ressaltou o Pároco.

‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo, Jornal O São Paulo
Padre Contieri e o Cardeal Scherer ao fim da missa

A CENTRALIDADE DA PALAVRA DE DEUS

Antes do começo da missa presidida por Dom Odilo, o clero atuante na Região Lapa participou de um momento de espiritualidade, conduzido pelo Padre Carlos Alberto Contieri, Diretor do Pateo do Collegio, e especialista em Exegese Bíblica.

Em entrevista ao O SÃO PAULO, Padre Contieri explicou que foi refletido com os sacerdotes sobre a centralidade da Palavra de Deus na vida da Igreja, “um impulso que foi dado pelo Concílio Vaticano II, uma vez que todo o Concílio se voltou para a Palavra de Deus, mais especificamente a constituição dogmática Dei verbum. É lendo, meditando e acolhendo a Palavra de Deus que nós chegamos a conhecer o rosto e o coração de Deus. É pela Palavra de Deus, sobretudo pelo Verbo Encarnado, Jesus Cristo, que nós conhecemos o rosto do Pai”.

O Sacerdote detalhou, ainda, que é na Palavra de Deus, sobretudo no Evangelho, que é comunicado o Sopro de Deus à humanidade, o Espírito Santo, e que a Palavra faz com que  “a Igreja não perca a ousadia, a inspiração, a criatividade e o entusiasmo de anunciar aquilo que lhe é próprio: o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo no tempo em que a Igreja vive”.

Padre Contieri comentou, ainda, que a função da homilia é o de tornar claro para o todo o povo a Palavra de Deus lida na liturgia do dia. “Dependendo do texto, a homilia terá um aspecto mais explicativo, declaratório, exortativo ou iluminador. Entretanto, quando essa conversa de quem preside a Eucaristia com o povo faz com que as pessoas compreendam a mensagem do texto, não é necessário atualizar a Palavra de Deus, pois as pessoas já sentem a Palavra como contemporâneas da sua vida. Nesse sentido, eu disse hoje aos padres: não somos nós que atualizamos a Palavra de Deus, mas é ela que nos atualiza, pois se trata de uma palavra inspirada, que embora dita no passado, tem significado, pela ação do Espírito, no nosso tempo presente”, ressaltou.

Por fim, ao comentar sobre o Dia Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes, Padre Contieri destacou que é Deus quem santifica os sacerdotes, e assim “a santidade é, por um lado, um dom de Deus, é acolhida da ação do espírito que reza e fala em nós. Por outro lado, ela é a capacidade de entregar tudo a Deus, tudo que temos e somos, e é isso que, por assim dizer, dá credibilidade ao que nós realmente trazemos em nosso peito: o Espírito que Deus abundantemente derramou em nossos corações. E o fruto dessa graça é disponibilidade na entrega total a Deus e aos irmãos”, concluiu.

2 comentários em “‘Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao vosso’, pedem os padres e todo o povo”

  1. Gratidão a Dom Odilo e a todos os Padres desta celebração .Ela renovou em nossos corações -de Membros do Apostolado da Oração da RMOP- a alegria e a confiança de termos sido chamados ( as), nós também , para sermos bons Pastores em nossa Missão : oferecimento cotidiano de nossas vidas, intercedendo e agindo pelas causas da humanidade sofredora.

    Responder

Deixe um comentário