‘Santa Teresinha ensina que a santidade está na busca da vontade de Deus em todas as coisas’

Cardeal Odilo Scherer (foto: Bruno Melo/arquivo)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer presidiu na manhã da sexta-feira, 1º, a missa da memória de Santa Teresinha do Menino Jesus.

A Eucaristia, celebrada na capela da residência do Arcebispo de São Paulo e transmitida  pela radio 9 de Julho e pelas mídias digitais, também marca o início do Mês Missionário.

Maria Francisca Teresa Martin, nasceu em Alençon, na França, em 1873. Entrou ainda muito jovem no mosteiro das Carmelitas de Lisieux e se exercitou de modo singular na humildade, na simplicidade evangélica e confiança em Deus, virtudes que também procurou inculcar especialmente nas noviças do seu mosteiro. Morreu a 30 de setembro de 1897, oferecendo a sua vida pela salvação das almas e pela Igreja.

Na homilia, Dom Odilo ressaltou que essa santa carmelita é conhecida pelo nome no diminutivo não pela insignificância, mas, porque viveu e ensinou a “pequena via” para a santidade, o caminho da simplicidade. O Arcebispo destacou, ainda, que Teresa de Lisieux procurou viver com profundidade o conselho de Jesus a ser como as crianças para entrar no Reino dos céus, vivendo como filha diante de Deus.

“Santa Teresinha queria agradar a Deus em tudo, fazer a sua vontade nas pequenas coisas do dia a dia, feitas por amor”, acrescentou o Cardeal, ressaltando esse como o grande legado espiritual dessa jovem doutora da Igreja.

Dom Odilo sublinhou que Santa Teresinha ensina que a santidade não é algo alheio à vida cotidiana e está ao alcance de todas as pessoas quando se busca realizar vontade de Deus em todas as ações da vida.

Ouvir a Palavra de Deus

No Evangelho do dia (Lc 10,13-16), Jesus ameaça as cidades ditas “impenitentes”. “Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que foram feitos no vosso meio, há muito tempo teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e sentando-se sobre cinzas”, disse o Senhor.

Ao comentar esse trecho, Dom Odilo explicou que Deus anuncia sua Palavra, passa pela vida das pessoas e lhes dá oportunidades. No entanto, algumas pessoas não aproveitam essas oportunidades e ficam indiferentes à manifestação divina em suas vidas e, como o próprio Cristo afirmou: “Quem vos escuta a mim escuta; e quem vos rejeita a mim despreza; mas quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou”.

“Há quem espera ouvir Deus lhe falar diretamente. Mas ele fala por mediações, por meio de pessoas, de situações, circunstancias, acontecimentos, por sua Palavra, por sua Igreja… São momentos em que somos mais claramente postos diante da realidade da vida, como um chamado a rever a vida e a reorientar os próprios caminhos”, enfatizou o Arcebispo. 

“Peçamos a Deus que estejamos sempre atentos à sua Palavra, à sua voz, que não desprezemos os momentos em que ele nos visita, mesmo quando se manifesta em meio às contradições da nossa vida”, concluiu o Cardeal.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter