Tradições e inovações nos festejos natalinos em diferentes partes do Brasil

É Natal! As ruas e praças se enchem de luzes e sempre há programações especiais em todos os cantos do País. Tempo de recordar as tradições que atravessam gerações, mas também de se propor inovações que façam ressurgir a esperança de dias melhores, a partir do nascimento do Deus-Menino. A seguir, O SÃO PAULO detalha alguns dos festejos natalinos em cidades de diferentes regiões do Brasil. 

AS ‘PASTORINHAS DE TIRADENTES’ ENCANTAM MINAS GERAIS

Diante dos presépios montados em igrejas, salões comunitários e casas de algumas cidades mineiras, crianças e adolescentes cantam louvores pelo nascimento do Menino Jesus. Os grupos de “Pastorinhas de Tiradentes” hoje são menos frequentes do que em décadas passadas, mas ainda resistem. 

Na cidade de Tiradentes, uma apresentação ocorreu às vésperas do Natal de 2019, organizada pela Paróquia de Santo Antônio, com o apoio do Centro Cultural Sesi Minas Yves Alves. A íntegra pode ser vista no link a seguir: https://cutt.ly/5Y6QN2v

No artigo “Pastorinhas da Vargem de Baixo”, Ulisses Passarelli, organizador de congadas e folias culturais, detalha um pouco sobre essa tradição de Natal: no geral, a apresentação é feita por cerca de 25 crianças, devidamente trajadas: quatro meninos interpretam pastores; três, os Reis Magos; quatro meninas são as ciganas; uma é a libertina (uma típica mulher de Jerusalém) e as demais são as pastoras. A apresentação dura cerca de 15 minutos, tendo essencialmente cânticos entoados sem acompanhamento de instrumentos. Eis um dos cânticos: 

Senhora dona da casa, 

Dê licença para entrar; 

Viemos de longes terras 

O presépio visitar. 

Somos pobres pastorinhas 

Nada temos para dar;

Damos flores a Jesus

Paz pedimos para este lar; 

Meu Jesus por mim nascido 

Na lapinha de Belém 

Foi nascer tão pobrezinho para nos enriquecer. 

Na cidade de Belém 

Ainda temos que chegar 

E por isso não podemos, 

Não podemos demorar. 

Gloria in excelsis Deo! (Refrão)

UM PRESÉPIO FLUTUANTE EM MANAUS

Prefeitura de Manaus

Crianças e adultos das comunidades de Santa Maria, São Sebastião e Três Unidos, em Manaus (AM), correram para as margens do Rio Negro, no dia 16, para avistar algo inédito: um presépio flutuante, de 30 metros de altura. Ao cair da tarde, a estrutura montada sobre a embarcação de 49 metros de comprimento por 15 metros de largura se ilumina e a todos encanta: a frente, a representação da cena do nascimento do Menino Jesus – com os Reis Magos, a Virgem Maria, São José, o Menino Jesus, o anjo e os animais na estrebaria; ao centro, uma grande árvore de Natal; e, por fim, o trenó do Papai Noel e os brinquedos que serão distribuídos em 38 comunidades ribeirinhas. 

O presépio flutuante é uma iniciativa da Prefeitura de Manaus e foi arquitetado pelo artista plástico Rossy Amoedo. 

O  GRANDE DESFILE DE NATAL EM GRAMADO (RS) 

Danças, cores e trilhas sonoras próprias desta época do ano. Desde 1986, este é o cenário do Natal de Luz de Gramado (RS), considerado o maior evento natalino da América Latina. Uma das principais atrações é o “Grande Desfile de Natal”, no Expo Gramado.

O grande desfile é composto por alas temáticas. A abertura é com a ala da Luz Sagrada, representando o nascimento do Menino Jesus. As alas seguintes são: Celebrações Natalinas, que remete à alegria desta época do ano; Doces Enfeites, que recorda as guloseimas da ceia de Natal; e a ala Branca, em que a corte da Rainha de Neve prepara a chegada do Papai Noel. 

A programação iniciada em outubro prosseguirá até o fim de janeiro de 2022. Uma das novidades é a opereta natalina “O Primeiro Milagre do Menino Jesus”, escrita por Gian Carlo Menotti. No enredo, os Reis Magos, no caminho para encontrar o recém-nascido em Belém, são acolhidos para um breve descanso em uma casa onde um garoto com deficiência física vive com sua mãe.  

EM ALAGOAS, O REISADO ANUNCIA A CHEGADA DO MESSIAS

Entre 24 de dezembro e 6 de janeiro, as ruas de muitas cidades de Alagoas são tomadas por músicos, cantores e dançarinos que vão de porta a porta anunciar a chegada do Menino Jesus e também homenagear os três Reis Magos. Em meio aos cantos e declamações de poemas, há os entremeios, que são representações teatrais curtas.

Um itinerário típico do reisado envolve, por primeiro, a abrição da porta da casa visitada e a entrada dos tocadores, para que executem marchas e contramarchas em ritmo ligeiro e passos arrastados. Na sequência, acontece a Louvação ao Divino, quando o reisado se dirige ao presépio ou à capela da casa visitada. Todos se ajoelham, fazem cantos de louvação. Na sequência, de volta  à sala da residência, acontecem outras partes da encenação

Uma das músicas entoadas neste festejo jesuíno é “Reisado de Alagoas (Maceió) – o Sr. Dono da Casa”, de autoria de Laura Campanér: 

O sinhô dono da casa 

O sinhô dono da casa 

Hora de sê festejado 

Hora de sê festejado 

O sol entra pela porta 

O sol entra pela porta 

E o luar pelo telhado 

O sol entra pela porta 

Aqui estou na vossa porta 

Aqui estou na vossa porta 

Com a mão na fechadura 

Com a mão na fechadura 

Onde estás que não me falas 

Onde estás que não me falas 

Coração de pedra dura? 

Coração de pedra dura? 

O sinhô dono da casa 

O sinhô dono da casa 

Olho da cana caiana 

Olho da cana caiana 

Quanto mais a cana cresce 

Quanto mais a cana cresce

Mais aumenta a sua fama 

Mais aumenta a sua fama 

Que três Reis são aqueles 

Que três Reis são aqueles 

Que vêm da parte do mar? 

Que vêm da parte do mar? 

São os três Reis do Oriente 

São os três Reis do Oriente 

Que a Jesus vão festejar 

Que a Jesus vão festejar

‘AUTO DE NATAL’ EM CÁCERES

Grupo Chalana

Como na maioria das cidades brasileiras, em Cáceres (MT) há iluminações especiais por ocasião do Natal, incluindo a da Catedral São Luiz e das ruas e praças da região central. Desde 2019, porém, o local tem se tornado conhecido nacionalmente pela encenação do “Auto de Natal”, em que mais de 200 pessoas participam do espetáculo ao ar livre, por cerca de duas horas, encenando o nascimento de Jesus e recordando passagens bíblicas. Este é considerado o maior Auto de Natal do estado de Mato Grosso. 

Os participantes, na sua maioria, são os fiéis de paróquias da Diocese de São Luiz de Cáceres. A peça é conduzida pelo Grupo Chalana, com apoio da secretaria de cultura do estado. Os cenários são confeccionados pelos detentos da Cadeia Pública de Cáceres, sob a supervisão do cenógrafo Marcionei Miranda Prado. 

Deixe um comentário