VII Simpósio Internacional sobre Migração e Religião aborda a perspectiva da ecologia integral

Evento aconteceu dos dias 06 a 08 de junho, de maneira on-line

VII Simpósio Internacional sobre Migração e Religião aborda a perspectiva da ecologia integral, Jornal O São Paulo
Reprodução

Com o objetivo de reunir pesquisadores e estudantes que se dedicam ao estudo das relações entre religião e migração na Pan-Amazônia, o Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião e de Ciências Sociais da PUC-SP, o Centro de Estudos Migratórios da Missão Paz e a Scalabrini International Migration Institute (SIMI) realizaram entre os dias 6 e 8 de junho, na modalidade on-line, o VII Simpósio Internacional sobre Migração e Religião, com o tema “Religião e migração na perspectiva da ecologia integral. Um olhar a partir da Pan-Amazônia”. 

Na manhã do dia 06, o Professor Dr. Wagner Lopes Sanchez coordenou a abertura do simpósio, que contou com a presença da Professora Dra. Carla Reis Longhi, diretora da Faculdade de Ciências Sociais; do Professor Dr. Edin Sued Abumansur, do Professor Dr. Padre Paolo Parise, da Missão Paz, que tem atuação na Arquidiocese de São Paulo, além do Professor Dr. Aldo Skoda, do SIMI em Roma. 

ECOLOGIA INTEGRAL: TEMA URGENTE DE DISCUSSÃO

Sanchez ressaltou que o tema da migração e religião há muitos anos estão presentes no cenário internacional. “Cada vez mais os trabalhos que se dedicam ao estudo do fenômeno migratório percebem, descobrem que a questão religiosa é importantíssima para entendermos estes movimentos migratórios que estamos presenciando hoje”, ressaltou. O professor também enfatizou que a questão ecológica é central na agenda dos muitos países, inclusive do Brasil. 

“Pensar neste tema é mais do que necessário, é, sobretudo, urgente! É na Pan-Amazônia que vivem a maior parte dos nossos povos da floresta e que têm muito a nos ensinar em termos de relações entre pessoas e natureza. A questão ecológica e a importância destes povos é para nós relevante do ponto de vista humano, social e político” destacou. 

PAPA FRANCISCO E A ECOLOGIA INTEGRAL

Na sequência, houve a fala do Professor Dr. Padre Fabio Baggio, C.S., secretário do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Integral, na seção de Migrações e Refugiados do Vaticano, que ajudou a organizar os primeiros simpósios sobre migração e religião. 

Padre Fabio afirmou que o tema escolhido para o simpósio deste ano é atual. “O Papa Francisco colocou [a questão migratória] entre as prioridades pastorais do seu pontificado, convidando repetidamente a toda a Igreja a escutar, discernir e agir de modo pró-ativo” afirmou. 

O Sacerdote também recordou a encíclica ‘Laudato si’ escrita pelo pontífice, e exortou os participantes a refletirem sobre os principais elementos de uma ecologia integral, que inclua claramente as dimensões humana e social. Ressaltou, ainda, que a ecologia integral deve ser ambiental, econômica e social, uma ecologia que estuda as relações entre todos os organismos vivos e o ambiente em que se desenvolvem. 

“A ecologia integral deve ser também cultural, a fim de proteger o patrimônio histórico, artístico e cultural de todas as civilizações humanas.” enfatizou o Sacerdote, que também recordou as palavras do Papa Francisco, ao falar que “a ecologia integral deve ser uma ecologia de vida cotidiana, que visa a assegurar uma melhora integral de qualidade de vida humana, garantido espaço da expressão individual e coletiva, e promovendo a beleza e a harmonia” concluiu. 

ASSISTA A ÍNTEGRA DA PALESTRA DE ABERTURA

MIGRAÇÃO, RELIGIÃO E MEIO AMBIENTE

Após a cerimônia de abertura, o evento contou com conferências que abordaram os diversos aspectos da migração e sua relação com o meio ambiente e a religião. 

Ainda pela manhã, no dia 6, o Prof. Dr. João Carlos Jarochinski Silva, da Universidade Federal de Roraima, ressaltou a perspectiva a partir da Pan-Amazônia, levando em consideração os três eixos principais do simpósio: Migração, Religião e Meio Ambiente. 

À tarde, os participantes puderam conhecer mais sobre o “Panorama da Migração Venezuelana na América Latina”, com conferências sobre os trabalhadores transfronteiriços na tríplice fronteira do Peru, Colômbia e Brasil. Além de refletirem sobre a realidade dos migrantes na fronteira amazônica entre Peru e Brasil. Por fim, Padre Fábio encerrou o primeiro dia do simpósio, ressaltando a relação entre ecologia integral e migrações. 

“LAUDATO SI” E PAN-AMAZÔNIA

No segundo dia de simpósio, o Prof. Ms. Julio Gulin coordenou o primeiro painel de apresentações, que abordou a questão ecológica no Cone Sul da América Latina, enfatizando a ocupação urbana do conubrano de Buenos Aires, além de falar sobre o Movimento “Laudato Si” e a unidade de vinculação e desenvolvimento comunitário da Universidade Católica no Chile. 

Neste mesmo dia, o simpósio contou com a presença do Prof. Dr. Virgílio Viana, da Fundação Amazônia Sustentável, que destacou os grandes desafios internacionais da Pan-Amazônia. 

MIGRAR, REZAR E REEXISTIR

O último dia de conferências, começou com a Sra. Lúcia Bógus, que destacou os desafios da ecologia integral para as religiões na Pan-Amazônia, contando com a presença do Prof. Dr. Moab César Carvalho Costa, docente da Universidade Estadual da Região Tocantins do Maranhão, falando sobre o Pentecostalismo e da Profa. Ms. Jama Wapichana, ressaltando as religiões indígenas. 

Ainda na parte matutina, o Prof. Dr. Edin Sued coordenou o painel que abordou o tema sobre interdisciplinaridade e interculturalidade nas pesquisas sobre migração na Amazônia. 

Por fim, os participantes puderam ouvir o depoimento de migrantes, como também do Povo Sateré Mawé, de Manaus. Além de discutirem sobre as prospectivas globais a partir da Pan-Amazônia e o papel das religiões. 

Deixe um comentário