‘Eu sempre admirei Dom Cláudio por sua larga visão sobre as coisas’

Disse o Cardeal Odilo Pedro Scherer em coletiva de imprensa na Catedral da Sé

Cardeal Scherer em coletiva de imprensa na Catedral da Sé, na segunda-feira, 4 (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Na tarde da segunda-feira, 4, horas após o falecimento do Cardeal Cláudio Hummes, aos 87 anos de idade em decorrência de um câncer no pulmão, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, concedeu uma coletiva de imprensa falar sobre o legado de seu predecessor na Arquidiocese, entre 1998 e 2006, e Prefeito da Congregação para o Clero, no Vaticano, entre 2006 e 2010.

“O que Dom Cláudio fez para vida da Igreja e para sociedade permanece. Portanto, não se deve falar em perda. Ele fez o percurso da vida. Nossa vida é limitada, portanto, foi a ordem natural das coisas, sobretudo porque Dom Claudio estava enfermo e combatendo uma doença que o derrubou e ele, já com idade bastante avançada, não conseguiu mais resistir”, observou o Cardeal Scherer na primeira resposta aos jornalistas.

MARCAS NAS DIOCESES POR ONDE PASSOU

Dom Odilo recordou que o Cardeal Hummes foi ordenado bispo em 1975, assumindo sua primeira missão episcopal na Diocese de Santo André (SP), “em pleno contexto das lutas dos direitos dos trabalhadores, das greves do ABC. Portanto, lá foi grande mediador das questões e deu também amparo aos operários, os trabalhadores”.

Após passagem pela Arquidiocese de Fortaleza, entre 1996 e 1998, chegou à Arquidiocese de São Paulo, onde deixou um grande legado, conforme recordou Dom Odilo: “Dom Cláudio deu uma nova estruturação pastoral, levou avante as prioridades que se tinha, cuidou da formação do clero, dos leigos; se interessou pela situação dos desempregados, dos pobres. E, é claro, esteve presente na dimensão pública da vida e ação da Igreja na sociedade”.

Na sequência, foi nomeado pelo Papa Bento XVI como Prefeito da Congregação para o Clero, sendo responsável  “por muitas iniciativas da qual participou e não apareciam tanto, porque trabalhava ao lado do Papa, e são ações do Pontífice”.

CARINHO PELA AMAZÔNIA

Dom Odilo também fez menção a atuação de Dom Cláudio à frente da Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a partir de 2011, na qual acompanhou a vidas das dioceses da Amazônia, “se interessando pelas situações particulares de toda aquela vasta região. Depois de uns anos, foi convocado o Sínodo da Amazônia. A exortação pós sinodal sobre a Amazônia, ‘Querida Amazonia’, foi importante também e está na base da outra encíclica ‘Fratelli tutti’, do Papa Francisco. Finalmente a criação da Conferência Eclesial para a Amazônia [CEAMA], em 2021, envolvendo não só a Amazônia brasileira, mas a parte de outros oito países, criando ali um organismo”, comentou Dom Odilo.

O Cardeal Scherer destacou que Dom Cláudio, em sintonia com a posição da Igreja, defendeu os direitos dos povos indígenas e preservação do meio ambiente da dignidade humana. “Ele se manifestava preocupado com certos rumos que acabam colocando muitos entraves ao reconhecimento do direito dos povos indígenas, para o desenvolvimento das realidades dos povos da Amazônia, para a proteção do meio ambiente, e também em outras questões, como o crescimento da pobreza aqui em São Paulo”, prosseguiu.

Dom Odilo também lembrou que o Cardeal Hummes teve papel fundamental para a realização do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, em 2019, e que nutria um grande carinho pelas questão amazônica.

“Desde que ele foi chamado pela CNBB para assumir a Comissão para a Amazônia, ele se mostrou muito feliz, dizendo que era um sonho desde sua juventude ser um missionário na Amazônia, e que agora, livre de outros encargos na Igreja, ele podia assumir isso de corpo e alma. Ele se sentia muito feliz em participar do debate, da organização, da presença da Igreja na Amazônia, fazendo crer que era possível a realização de um sínodo”, prosseguiu.

UM HOMEM DE FÉ E DE FIRMES POSIÇÕES

Dom Odilo ressaltou, ainda, que Dom Cláudio, como um bispo, cardeal e pastor da Igreja, “sempre se importou com a formação do povo para a evangelização, com a formação boa do clero, com a reta ordem na vida da Igreja”.

Por fim, o atual Arcebispo de São Paulo recordou que foi ordenado bispo por Dom Cláudio em 2002, atuou como seu bispo auxiliar por quatro anos e depois o sucedeu no pastoreio da Arquidiocese de São Paulo, a partir de 2007, além de tê-lo acompanhado nesta fase final da vida, uma convivência fraterna que deixou muitos aprendizados ao Cardeal Scherer.

Eu sempre admirei Dom Cláudio por sua larga visão sobre as coisas; e também pela firmeza com que fazia suas propostas; e, por terceiro, por sua mística cristã, a mística franciscana que está por trás de suas propostas e que ele a traduziu no seu lema episcopal – ‘Vós todos sois irmãos’ – uma frase de Jesus aos apóstolos que Dom Cláudio procurou traduzir em ações na Igreja e na vida em sociedade”, concluiu.

(Colaborou: Júlia Cabral)

2 comentários em “‘Eu sempre admirei Dom Cláudio por sua larga visão sobre as coisas’”

  1. Um homem simples, humilde, de oração, caridoso, piedoso… vai deixar saudade, maior q a saudade, será a falta q ele fará. Descanse nos braços do Pai Dom Cláudio Hummes❤

    Responder
  2. Um homem simples, humilde, de oração, caridoso, piedoso… vai deixar saudade, maior q a saudade, será a falta q ele fará. Descanse nos braços do Pai Dom Cláudio Hummes. Obrigada por tudo sempre ❤

    Responder

Deixe um comentário para Maria Lúcia Destéfano Cancelar resposta