Confira nossa versão impressa

‘A grandeza da nossa fé vem da pertença a Cristo’

‘A grandeza da nossa fé vem da pertença a Cristo’
(Foto: Bruno Melo)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, na capela de sua residência, em São Paulo, a missa desta quinta-feira, 5, memória do Bem-Aventurado Padre Mariano de la Mata, sacerdote que viveu na capital paulista.

A Eucaristia foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Religioso agostiniano, Padre Mariano nasceu na Espanha em 1905 e foi ordenado Sacerdote em 1930, sendo enviado ao Brasil no ano seguinte. Em São Paulo, esteve à frente de diversas obras, dentre as quais o Colégio Santo Agostinho. Ele também dedicou grande parte de seu ministério à Paróquia Santo Agostinho, onde viveu até a sua morte, em 5 de abril de 1983, e onde seus restos mortais estão sepultados. Foi beatificado em 5 de novembro de 2006, na Catedral da Sé.

“Padre Mariano foi um homem de grande virtude, sacerdote exemplar, que serviu a Igreja com grande dedicação”, afirmou Dom Odilo, invocando sua intercessão pela Arquidiocese de São Paulo, especialmente pelos sacerdotes.

Convite à conversão

Na homilia, Dom Odilo meditou sobre a primeira leitura (Fl 3,3-8a), na qual São Paulo ressalta o grande tesouro que consiste no encontro com Cristo e estimula a comunidade a valorizar a própria fé. “Hoje, há muitos católicos desanimados, que não apreenderam a valorizar a graça da pertença à Igreja que vai além dos nossos pecados e defeitos, pois a força da Igreja vem do Espírito Santo e da presença de Jesus. A grandeza da nossa fé vem da pertença a Cristo”, afirmou o Cardeal.

No Evangelho (Lc 15,1-10), Jesus está em companhia de publicanos e pecadores e é observado pelos fariseus e mestres da Lei. Então, o Senhor conta a parábola da ovelha perdida e da moeda perdida. “Cada pessoa é preciosa aos olhos de Deus. Ele não veio apenas para os justos, mas para procurar os pecadores, para chamá-los à conversão, por isso, Jesus conclui dizendo: ‘haverá alegria entre os anjos de Deus por um só pecador que se converte’”.

“Que tenhamos a medida grande da misericórdia de Deus e o zelo pela conversão dos pecadores. A Igreja não pode ser considerada um clube dos bons. Pelo contrário, chama os pecadores à conversão lhes propõe o caminho do Evangelho”, completou.    

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Novo documento do Vaticano ressalta o compromisso dos bispos pela unidade dos cristãos

“O Bispo e a unidade dos Cristãos: vademecum ecumênico” é o título do novo documento publicado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade...

Dom Jorge Pierozan conclui visitas pastorais na Região Santana

O Bispo celebrou na Paróquia Santa Joana D’Arc, no  Setor Pastoral Tremembé No domingo, 29 de novembro, Dom Jorge Pierozan, Bispo Auxiliar de São Paulo...

Paróquia Nossa Senhora das Graças realiza festa da padroeira na Brasilândia

As festividades foram encerradas com uma procissão luminosa e missa solene Com o tema “Maria, mãe da consolação e de todas as graças”, foi celebrada...

Governo cria Comitê Interministerial de Doenças Raras

Decreto está publicado hoje no Diário Oficial da União O governo federal criou o Comitê Interministerial de Doenças Raras, que funcionará no âmbito do Ministério...

Primeira pregação do Advento, Catalamessa: “irmã morte é fonte de vida eterna”

Nesta primeira sexta-feira do Advento, 4, iniciaram as meditações do pregador da Casa Pontifícia Raniero Cantalamessa, criado cardeal pelo Papa Francisco no Consistório de...

Newsletter