Bispos condenam ataque ao Congresso dos EUA

Bispos condenam ataque ao Congresso dos EUA
Manifestantes invadem sede do Congresso dos EUA (Reprodução da internet)

Membros do episcopado dos Estados Unidos condenaram o ataque ao Congresso norte-americano, em Washington, nesta quarta-feira, 6,  por apoiadores do presidente Donald Trump, causando a morte de, pelo menos, quatro pessoas e deixando vários feridos.

O presidente da Conferência dos Bispos dos EUA, Dom José Horacio Gómez, uniu-se às vozes de condenação à violência, repudiando o episódio. “Isso não é o que somos como estadunidenses, onde a transição pacífica do poder é um dos sinais distintivo”, disse, confiando suas orações à intercessão de Nossa Senhora, para que guie todos no caminho da sabedoria e de um patriotismo saudável e autêntico.

“Precisamos parar e rezar pela paz neste momento crítico”, disse o Cardeal Wilton Gregory, Arcebispo de Washington. “O tom de divisão que recentemente dominou nossas conversas deve mudar”, repreendeu o Purpurado, “e aqueles que recorrem à retórica incendiária devem assumir a responsabilidade de incitar à crescente violência em nossa nação”.

Cooperação para o bem comum

Dom Wilton pediu, ainda, para que seja honrado o lugar, que ele chama de “solo sagrado”, onde as leis e políticas da nação estadunidense são debatidas e decididas. O Cardeal rezou pela segurança das pessoas eleitas, dos funcionários, dos trabalhadores, dos manifestantes e das forças de segurança.  “Há feridos e danos ingentes, chamando todos à cooperação, ao respeito dos valores democráticos e do bem comum”, acrescentou.

O Arcebispo de Chicago, Cardeal Blase Joseph Cupich, em uma série de publicações no Twitter, falou de “vergonha nacional”, comentando o ocorrido: “Que o amor de Deus recorde a todos os estadunidenses que a política é a resolução pacífica de pontos de vista opostos. Esta é nossa tradição como nação democrática, e nós a minamos por nossa conta e risco”.

O Cardeal Cupich também apela às pessoas eleitas “que escutem os conselhos de seus anjos melhores para defender a Constituição que juraram defender”, e ainda afirmou que “a violência a serviço de uma falsidade é pior”. “Por muitos meses, temos testemunhado a erosão deliberada das normas do nosso sistema de governo”. Enquanto defende o protesto pacífico, que ele diz ser um direito sagrado, reitera que os eventos no Capitólio devem “chocar a consciência de cada patriótico estadunidense e de cada fiel católico”.

A invasão

O grupo de manifestantes, dentre elas alguns armados, invadiu o Capitólio durante a sessão que reunia parlamentares para a certificação da eleição do candidato Joe Biden para a presidente do país. Senadores e deputados foram evacuados da câmara depois de receberem dos agentes de segurança a ordem de usar máscaras de gás. Os manifestantes tentaram invadir a Câmara dos Deputados e a situação ficou fora de controle.

Além da mulher morta por tiros disparados por um agente do Capitólio, outras três pessoas perderam a vida., 13 ficaram feridas e 52 foram presas. A prefeitura da capital norte-americana prorrogou o estado de emergência pública por mais duas semanas, até o dia seguinte à posse de Joe Biden, que ocorrerá no dia 20.

(Com informações de Vatican News)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter