Confira nossa versão impressa

Federação de Bancos alerta para aumento de fraudes durante a pandemia

Houve alta de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos

Federação de Bancos alerta para aumento de fraudes durante a pandemia
Agência Brasil

Levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mostrou o crescimento de tentativas de fraudes financeiras contra os brasileiros durante a pandemia de covid-19. Neste período, as instituições registraram aumento de 80% nas tentativas de ataques de phishing – que se inicia por meio de recebimento de emails que carregam vírus ou links e que direcionam o usuário a sites falsos.Federação de Bancos alerta para aumento de fraudes durante a pandemiaFederação de Bancos alerta para aumento de fraudes durante a pandemia

O golpe do falso motoboy, em que é oferecido o serviço para recolher o cartão na casa da pessoa, teve aumento de 65% durante o período de isolamento social. Já os golpes do falso funcionário e falsas centrais telefônica cresceram 70%. Além disso, mensagens com ofertas atrativas, clonagem de contas de WhatsApp e avisos para que as pessoas recadastrem urgentemente seus dados junto a uma instituição são algumas das situações usadas para os golpes.

Segundo a Febraban, no período da quarentena houve ainda alta de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos, o que resultou em uma campanha de alerta com o apoio da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, vinculada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e do Banco Central.

“Queremos contribuir para o desenvolvimento de uma cultura de prevenção a fraudes e do uso seguro dos canais digitais no país”, disse Isaac Sidney, presidente da Febraban.

Segundo ele, os bancos investem cerca de R$ 2 bilhões por ano em sistemas de tecnologia da informação (TI) voltados para segurança, que corresponde a cerca de 10% dos gastos totais do setor com TI, com o objetivo de garantir a tranquilidade dos clientes em suas transações financeiras cotidianas.

Alerta

O diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini, alerta que os dados pessoais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras e que, caso haja dúvida, o consumidor deve procurar seu banco para ter esclarecimentos.

“Seja pelo telefone, por e-mail, pelas mídias sociais, SMS, o fraudador solicita dados pessoais do cliente, como números de cartões e senhas, em troca de algo, ou ainda induz o usuário a ter medo de alguma situação”, disse Volpini.

Segundo a federação, atualmente 70% das fraudes estão vinculadas à engenharia social, que consiste na manipulação psicológica do usuário para que ele forneça informações confidenciais, como senhas e números de cartões para os fraudadores.

(Com informações de Agência Brasil)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Retirar-se para ouvir a voz de Deus

O SÃO PAULO apresenta indicações para quem deseja realizar um retiro espiritual de maneira solitária e pessoal

Marcha pela Vida 2020: a mulher e o bebê têm igual direito de viver

Não foi como nos anos anteriores, com centenas de pessoas nas ruas, mas a Marcha pela Vida...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Polônia inaugura mural gigante de São João Paulo II no ano do centenário

Uma cidade polonesa inaugurou um mural gigante de São João Paulo II, em homenagem ao centenário de...

Declaração do Papa sobre homossexuais foi editada com fragmentos de entrevista de 2019

Cineasta utilizou trechos retirados do contexto original de uma entrevista do ano passado para compor afirmação do Pontífice a respeito das uniões...

Newsletter