Dom Devair: ‘A despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus’

Bispo auxiliar da Arquidiocese desde 2015, o Prelado presidiu missa na tarde deste sábado, 19, em ação de graças pelos quase 6 anos de trabalho na Arquidiocese de São Paulo. Ele assumirá a Diocese de Piracicaba (SP) em 16 de janeiro

Dom Devair: ‘A despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus’
Missa de despedida de Dom Devair na Paróquia São Luís Gonzaga, no sábado, 19 (fotos: Luciney Martins/ O SÃO PAULO)

O local foi o mesmo onde ele presidiu a primeira missa como Vigário Episcopal na Região Brasilândia, em 7 de fevereiro de 2015: a Paróquia São Luís Gonzaga, na Vila Pereira Barreto.

Quase seis anos depois, Dom Devair Araújo da Fonseca celebrou nesta igreja na tarde deste sábado, 19, a Eucaristia que marcou sua despedida da Região e da Arquidiocese de São Paulo, onde esteve como Bispo Auxiliar nos últimos anos, sendo “sinal da esperança e da bondade de Deus”, como foi lembrado no comentário inicial da celebração.

“São Paulo marca a nossa vida e história. Eu levo a Brasilândia, a Arquidiocese e as amizades do episcopado no meu coração sempre”, disse, no começo da missa, Dom Devair, que em 11 de novembro foi nomeado pelo Papa Francisco como Bispo da Diocese de Piracicaba (SP), função que assumirá em 16 de janeiro de 2021.

Padres da Arquidiocese de São Paulo, a maioria atuante da Região Brasilândia, concelebraram a missa deste sábado, assim como Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, e o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano.

Gratidão

Dom Odilo, no início da missa, agradeceu a dedicação de Dom Devair nos trabalhos desenvolvidos na Arquidiocese, de modo especial como Vigário Episcopal na Região Brasilândia e no Vicariato Episcopal para a Pastoral da Comunicação, além de diretor da rádio 9 de Julho.

“Que essa experiência do trabalho como bispo auxiliar na Arquidiocese de São Paulo lhe seja útil na missão que assume agora em Piracicaba. Que Deus o ilumine e o ajude nessa nova responsabilidade”, expressou o Cardeal. “Que a semeadura feita aqui perdure no tempo e frutifique abundantemente no campo da Igreja”, complementou, destacando, ainda, a dimensão missionária dos bispos em animar as dioceses nos testemunho da fé cristã.

Alegria

Dom Devair manifestou sua a alegria em poder celebrar a missa de despedida, mesmo neste tempo em que a pandemia de COVID-19 exige redobrados cuidados e impede que as igrejas estejam com a completa capacidade de ocupação.

“Para nós, cristãos, a despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus. Nós vamos passando e Deus faz a sua obra. Assim, a despedida é um sinal, um tempo de uma nova etapa na vida de todos nós”, afirmou durante a homilia.

Se submeter à vontade de Deus

Ao refletir sobre a liturgia do 4o Domingo do Advento, o Bispo ressaltou que embora ter planos na vida seja algo importante, o fundamental é sempre se submeter à vontade de Deus.

Também lembrou que confiar no Senhor, assim como fez a Virgem Maria diante do anúncio do anjo de que seria a mãe do Salvador (Lc 1,26-38), ajuda a superar os medos enfrentados ao longo da vida.

Dom Devair recordou que ao ser nomeado pelo Papa Francisco como Bispo Auxiliar de São Paulo, em 10 de dezembro de 2014, sentiu-se assustado em seguir para um lugar que ainda não conhecia. Passados seis anos, o sentimento é outro:

“Saio de São Paulo completamente diferente. Carrego uma mala de gente comigo pelas amizades feitas ao longo de todo este tempo. Para isso, foi preciso vencer os medos, as inseguranças, houve erros também, pois errar é humano, e foi preciso corrigi-los. Vencemos o medo não pela nossa coragem, mas pela experiência fundamental de fé que nos leva adiante”, enfatizou, ressaltando que também pela fé – “na certeza da presença e do amor da graça de Deus” – será possível superar a atual pandemia.

Laços fraternos

Dom Devair: ‘A despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus’

Em nome do clero atuante na Região Brasilândia, o Padre Luciano Andreol, Pároco da Paróquia Santa Rosa de Lima, no Setor Pastoral Perus, agradeceu a Dom Devair pelos anos de atuação como Vigário Episcopal na Região Brasilândia.

“A nossa primeira vocação é de ser humanos em um mundo de tanta indiferença, violência e ódio. Obrigado, Dom Devair, por esse pedaço de humanidade que deixou em nossa querida Brasilândia”, afirmou o Sacerdote.

Após ser presenteado por representantes do laicato, dos religiosos e do clero, Dom Devair agradeceu a acolhida fraterna que recebeu de Dom Odilo desde que foi nomeado Bispo Auxiliar em São Paulo. Expressou, ainda, sua gratidão a todos os padres que atuam na Brasilândia, bem como aos leigos e religiosos, em especial os coordenadores das pastorais, e a todos os fiéis das paróquias e comunidades que visitou e presidiu missas desde 2015. 

Com o povo

O Bispo nomeado de Piracicaba recordou ainda algo que ouviu de Dom Diógenes Silva Matthes (já falecido), durante a cerimônia em que foi ordenado padre, em 20 de dezembro de 1998, na cidade de Franca (SP).

“Passada toda a celebração, ele olhou para nós, os três padres recém-ordenados, e disse: ‘Agora, vocês olhem para o povo’. Ali no ginásio do esporte [local da ordenação] estavam cerca de 4 mil pessoas, e ele falou assim: ‘Este é o povo de Deus que agora vai ensinar vocês como é ser pastor’. Isso foi algo que me marcou. E, de fato, aqui na Brasilândia, eu aprendi muitas coisas pela convivência, e só tenho a agradecer. Fui feliz aqui na Brasilândia, mesmo com todas as situações que, às vezes, é preciso enfrentar. A felicidade não está somente nas coisas externas. Ela está nas nossas atitudes diante daquilo que nos é apresentado. Temos que buscar a felicidade onde Deus nos quer. Tudo que fiz foi com muito amor, muito carinho”, afirmou.

Dom Devair: ‘A despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus’

Por fim, o Bispo confidenciou que se despede com um desejo não realizado:  “Queria ter andado de metrô na Brasilândia. As obras começaram, mas não foram concluídas”, disse em alusão à linha 6-Laranja do Metrô, que se estenderá da Brasilândia até a estação São Joaquim, da Linha 1. As obras, iniciadas em 2015, tiveram períodos de paralisação e agora a nova previsão é que estejam concluídas em 2025: “Um dia, quando estiver pronto, eu venho andar no Metrô ‘só para matar a vontade’, afinal, muitos têm lutado por isso”.

“Rezem por mim, pois eu continuarei rezando por todos vocês”, disse ao concluir a missa de despedida.

POSSE EM PIRACICABA

Dom Devair: ‘A despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus’

Notícias relacionadas

Dom Devair: ‘A despedida é sempre um tempo de alegria, pois indica a continuidade de Deus’

Comentários

  1. Agradeço a Dom Devair por toda a sua dedicação na Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, sobretudo na realização do Dia Mundial das Comunicações Sociais e no Sínodo Arquidiocesano.
    Muita luz em seu pastoreio na Diocese de Piracicaba. Deus continue iluminando seus passos.
    Irmã Helena Corazza Paulinas Sepac

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter