Em live, Bispo de Pemba relata desafios da missão em Moçambique

Em live, Bispo de Pemba relata desafios da missão em Moçambique

Por ocasião do Mês Missionário e do Dia Mundial das Missões, comemorado no domingo, 18, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, participou de um diálogo, transmitido pela internet, na sexta-feira, 16, com o Bispo da Diocese de Pemba, em Moçambique, Dom Luiz Fernando Lisboa, que relatou os desafios missionários vividos naquele país africano, um dos dez mais pobres do mundo.

Brasileiro, Religioso da Congregação da Paixão de Cristo (Passionistas), Dom Luiz Fernando é missionário em Moçambique desde 2001 e, em 2013, foi nomeado Bispo diocesano de Pemba pelo Papa Francisco. Desde 2015, existe um projeto de cooperação missionária entre essa Igreja particular e as dioceses do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que compreende o estado de São Paulo.

REALIDADE

A Diocese de Pemba, cuja sede está na capital da província de Cabo Delgado, tem 63 anos de existência, e Dom Luiz Fernando é seu 7º Bispo. Está localizada ao norte do país, uma das regiões mais pobres, marcada por indicadores sociais muito baixos. Este ano, a pandemia de COVID-19 piorou a situação dos moçambicanos que já sofriam com a precariedade do sistema de saúde do país.

Dom Luiz Fernando salientou, porém, que o coronavírus é um problema secundário para a população de Cabo Delgado, que, desde 2017, vem sofrendo com a onda de ataques de extremistas, que já causou inúmeras mortes e o deslocamento interno de mais de 300 mil pessoas de suas casas.

Os autores desses ataques se apresentam como membros do grupo terrorista Estado Islâmico, o que ainda não pôde sercomprovado. A única informação concreta que se tem é que são pessoas vindas de fora, em geral, da Tanzânia, que faz divisa com a província, e estão fortemente armadas.

“Das 17 cidades da nossa província, nove foram atingidas por esses ataques. As outras oito estão acolhendo a população que fugiu de suas casas… Muitos estão vivendo escondidos nas matas”, destacou Dom Luiz Fernando. Na cidade de Mocímboa da Praia, a casa dos monges beneditinos foi atacada. Na mesma localidade, a comunidade das Irmãs de São José de Chambery também foi invadida e as religiosas ficaram 24 dias desaparecidas nas matas, em poder dos extremistas, até serem libertadas.

PASTORAL

“Toda a nossa pastoral está voltada para esse problema”, enfatizou o Bispo, relatando que, em Pemba, muitas pessoas se abrigam nos quintais das casas das famílias. “Há casos de um quintal onde vivem 105 pessoas”, disse. Há, ainda, pessoas vivendo em barracas nos acampamentos improvisados ou dormindo em esteiras debaixo das árvores. Sem casa, os deslocados também não podem trabalhar na agricultura, seu principal meio de subsistência, o que agrava o problema da fome, já comum na região.

Pastoralmente, a Cáritas Diocesana tem atuado no atendimento emergencial da população, com cerca de 70 agentes. Além da assistência material, intensificou-se o atendimento psicossocial, com a ajuda de duas religiosas psicólogas, que prepararam um grupo de voluntários para ouvir os relatos dos deslocados que chegam traumatizados após verem suas casas destruídas e familiares mortos violentamente.

FORÇA DE DEUS

Quando perguntado de onde consegue forças para enfrentar toda essa situação, Dom Luiz Fernando afirmou que vem apenas de Deus. “Não me sinto forte. O que mais peço a Deus é que me dê força, sabedoria para gerir e enfrentar tudo isso. Nem dá tempo de me desesperar, pois os apelos e necessidades são tantos”, afirmou.

O Bispo de Pemba mais uma vez agradeceu a generosidade das Igrejas paulistas no sustento da missão e reiterou o pedido de oração por Moçambique e pela África. “Que rezemos uns pelos outros. A Igreja toda é missionária, e cada um de nós deve assumir o seu papel, dando um pouco de si para fazer o bem ao próximo. A missão é de Deus e nós somos seus instrumentos para mostrar o seu amor por meio de palavras e, especialmente, das nossas atitudes’, concluiu Dom Luiz Fernando.

ASSISTA À ÍNTEGRA DO VÍDEO:

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter