Confira nossa versão impressa

Festa da unidade, Solenidade de São Pedro e São Paulo convida a orações pelo Papa

Festa da unidade, Solenidade de São Pedro e São Paulo convida a orações pelo Papa
(Crédito foto: Vatican Media)

Informalmente apelidada de “Dia do Papa”, a Solenidade de São Pedro e São Paulo é oportunidade de oração pelo Sumo Pontífice e pela unidade dos cristãos. Ela é celebrada em 29 de junho, ocasião na qual o Papa também abençoa os pálios, faixas de lã que simbolizam o vínculo dos arcebispos metropolitanos com o Bispo de Roma, o Sucessor de Pedro.

SINAIS DE UNIDADE

A missa do Papa Francisco será celebrada na Basílica de São Pedro, na segunda-feira, 29, com pequeno número de fiéis. Em 2015, o Papa Francisco modificou o rito dessa cerimônia: ele não mais impõe o pálio nos ombros dos arcebispos na Solenidade de São Pedro e São Paulo, mas o entrega.

Neste ano, não será possível dar todos os pálios pessoalmente, mas permanece o sinal de comunhão com o Papa: o pálio representa o vínculo direto com o Cristo “Bom Pastor” por meio do seu vigário na Terra. É um importante sinal de unidade com o Papa. Mais ainda porque se celebra, juntos e no mesmo dia, o “primeiro Papa”, São Pedro, e o “apóstolo dos povos”, São Paulo, duas colunas da Igreja. Eles também são os padroeiros de Roma, a diocese do Papa.

ORAÇÃO E CARIDADE

Também como sinal de unidade dos cristãos, a data é um convite à oração pelo Papa e à caridade. No ano passado, disse o Papa Francisco: “Peço, por favor, uma oração por mim por intercessão dos Santos Pedro e Paulo”.

A festa também é ocasião de praticar a virtude da caridade. Entretanto, por causa da COVID-19, neste ano foi adiada a coleta mundial para o Óbolo de São Pedro, geralmente realizada no domingo mais próximo a São Pedro e São Paulo. Será em 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, conforme anunciado pelo porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, a pedido do Papa Francisco.

O DIA DO PAPA

Além de o Papa ser o Sucessor de São Pedro, é também desse gesto concreto que vem o apelido do “Dia do Papa”. Trata-se, a rigor, da “Jornada Mundial para Caridade do Papa”, quando todas as igrejas do mundo revertem suas coletas em dinheiro ao fundo chamado de Óbolo de São Pedro. É uma oferta econômica dos fiéis às obras de caridade do Papa e à manutenção das atividades da Santa Sé.

Conforme escreve o vaticanista Andrea Gagliarducci, da ACI Stampa, a prática do Óbolo é antiga: “Ao final do século VIII, os anglo-saxões, depois da sua conversão, sentiram-se tão ligados ao bispo de Roma que decidiram enviar, de maneira estável, uma contribuição anual ao Santo Padre”. Ela recebeu o nome de “Denarius Sancti Petri” (Esmola a São Pedro), e a prática se espalhou pela Europa ao longo dos séculos. Em 1871, o Papa Pio IX instituiu o Óbolo oficialmente.

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

Seminaristas da Arquidiocese são admitidos como candidatos às ordens sacras

Cardeal Odilo Scherer celebrou o rito de admissão de três seminaristas como candidatos ao sacerdócio

Nova lei de segurança amplia repressão a dissidentes na China

Sob o argumento de manter a soberania nacional, governo chinês tem perseguidos críticos, como o empresário de mídia Jimmy Lai

Famílias: chamadas à transmissão da vida e à defesa da dignidade humana

'Família e compromisso com vida foi o destaque da live realizada na quinta-feira, 13, na programação arquidiocesana da Semana Nacional da Família

São Domingos de Gusmão é tema de live

A Paróquia Sagrada Família, em parceria com o Frei Franklim Drumond, OP, residente no Convento Nossa Senhora...

São Paulo registra 26,6 mil óbitos e 686,1 mil casos de coronavírus

461 mil pessoas já estão recuperadas da COVID-19; taxas de ocupação de UTIs são de 56,4% na Grande SP e 57,8% no...

Newsletter