Confira nossa versão impressa

Festa da unidade, Solenidade de São Pedro e São Paulo convida a orações pelo Papa

Festa da unidade, Solenidade de São Pedro e São Paulo convida a orações pelo Papa
(Crédito foto: Vatican Media)

Informalmente apelidada de “Dia do Papa”, a Solenidade de São Pedro e São Paulo é oportunidade de oração pelo Sumo Pontífice e pela unidade dos cristãos. Ela é celebrada em 29 de junho, ocasião na qual o Papa também abençoa os pálios, faixas de lã que simbolizam o vínculo dos arcebispos metropolitanos com o Bispo de Roma, o Sucessor de Pedro.

SINAIS DE UNIDADE

A missa do Papa Francisco será celebrada na Basílica de São Pedro, na segunda-feira, 29, com pequeno número de fiéis. Em 2015, o Papa Francisco modificou o rito dessa cerimônia: ele não mais impõe o pálio nos ombros dos arcebispos na Solenidade de São Pedro e São Paulo, mas o entrega.

Neste ano, não será possível dar todos os pálios pessoalmente, mas permanece o sinal de comunhão com o Papa: o pálio representa o vínculo direto com o Cristo “Bom Pastor” por meio do seu vigário na Terra. É um importante sinal de unidade com o Papa. Mais ainda porque se celebra, juntos e no mesmo dia, o “primeiro Papa”, São Pedro, e o “apóstolo dos povos”, São Paulo, duas colunas da Igreja. Eles também são os padroeiros de Roma, a diocese do Papa.

ORAÇÃO E CARIDADE

Também como sinal de unidade dos cristãos, a data é um convite à oração pelo Papa e à caridade. No ano passado, disse o Papa Francisco: “Peço, por favor, uma oração por mim por intercessão dos Santos Pedro e Paulo”.

A festa também é ocasião de praticar a virtude da caridade. Entretanto, por causa da COVID-19, neste ano foi adiada a coleta mundial para o Óbolo de São Pedro, geralmente realizada no domingo mais próximo a São Pedro e São Paulo. Será em 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, conforme anunciado pelo porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, a pedido do Papa Francisco.

O DIA DO PAPA

Além de o Papa ser o Sucessor de São Pedro, é também desse gesto concreto que vem o apelido do “Dia do Papa”. Trata-se, a rigor, da “Jornada Mundial para Caridade do Papa”, quando todas as igrejas do mundo revertem suas coletas em dinheiro ao fundo chamado de Óbolo de São Pedro. É uma oferta econômica dos fiéis às obras de caridade do Papa e à manutenção das atividades da Santa Sé.

Conforme escreve o vaticanista Andrea Gagliarducci, da ACI Stampa, a prática do Óbolo é antiga: “Ao final do século VIII, os anglo-saxões, depois da sua conversão, sentiram-se tão ligados ao bispo de Roma que decidiram enviar, de maneira estável, uma contribuição anual ao Santo Padre”. Ela recebeu o nome de “Denarius Sancti Petri” (Esmola a São Pedro), e a prática se espalhou pela Europa ao longo dos séculos. Em 1871, o Papa Pio IX instituiu o Óbolo oficialmente.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Missionários Claretianos comemoram 125 anos de presença no Brasil

Uma missa presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na Paróquia Imaculado Coração de...

Prefeitura pede que no Dia de Finados cerimônias religiosas em cemitérios ocorram em espaços abertos

Em nota divulgada à imprensa na tarde da segunda-feira, 26, a Prefeitura de São Paulo recomendou que...

‘Acolhamos com fé a semente e o fermento do Reino de Deus’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta terça-feira, 27, na capela...

Conheça os novos cardeais do Papa Francisco

Entre eles estão os arcebispos de Washington (EUA) e de Santiago do Chile Três...

Capela São Camilo de Lellis é a presença da Igreja no Hospital do Mandaqui

O templo localizado no hospital da zona Norte de São Paulo é o último retratado na série especial de reportagens do O...

Newsletter