Confira nossa versão impressa

‘O Senhor não rejeita o seu povo’

‘O Senhor não rejeita o seu povo’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa na manhã desta quarta-feira, 15, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Neste dia, celebra-se a memória de São Boaventura, Bispo e Doutor da Igreja. Nascido por volta de 1218, em Bagnorégio, na Etrúria (Itália), Boa Ventura ingressou na Ordem dos Frades Menores, estudou Filosofia e Teologia em Paris e, depois de obter o título doutor, ensinou as mesmas disciplinas aos seus irmãos franciscanos. Eleito ministro geral da Ordem, governou-a com prudência e sabedoria. Foi nomeado Bispo de Albano e foi o primeiro cardeal franciscano. Morreu em Lião (França), no ano de 1274. Escreveu muitas obras filosóficas e teológicas.

“Que São Boaventura interceda por nós e pela Igreja em nossos dias. Interceda por todos os bispos, que são responsáveis por conduzir as Igrejas locais e mantê-las na verdadeira fé, no caminho da missão e da evangelização”, pediu Dom Odilo no início da celebração., pediu Dom Odilo no início da celebração.

DEUS FALA AOS PEQUENOS

O Evangelho do dia (Mt 11,25-27) traz o momento de alegria de Jesus que louva a Deus por ver que o povo estava acolhendo a sua palavra, sobretudo, os mais humildes e simples, que reconhecem nele a presença de Deus. “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos”, disse o Senhor.

“São Boaventura foi um grande e sábio homem, mas,  ao mesmo tempo, alguém que viveu a simplicidade e humildade dos franciscanos”, destacou o Cardeal, na homilia.

Em seguida, o Arcebispo refletiu sobre o trecho do texto em que Jesus afirma que “ninguém conhece o Pai, senão o filho e aquele aquém o Filho o quiser revelar”.

“A condição para conhecer a Deus Pai é se aproximar do Filho, reconhece-lo como aquele que humanamente nos deu a conhecer a Deus”, afirmou Dom Odilo.

SALMO

Referindo-se ao refrão do Salmo Responsorial (Sl 93), “O Senhor não rejeita o seu povo”, o Cardeal explicou que esse texto se trata de uma queixa contra os perseguidores, aqueles que insultam, caluniam e oprimem o povo de Deus.

“Por mais pecador e infiel que tenha sido o povo. Deus não abandona o seu povo, a sua Igreja, os seus filhos, aqueles que se voltam a ele com todo o coração e com toda a humildade”, completou.

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

O primeiro jornalista a ser beatificado

JOÃO FOUTO Manuel Lozano Garrido, incansável autor do meio jornalístico, nasceu há cem anos, em agosto de 1920

COVID-19: para o seu bem e pela vida do próximo, proteja-se!

Aos cristãos, de modo especial, cumprir as orientações sanitárias para evitar a proliferação do novo coronavírus é uma postura de coerência de...

A família é a primeira responsável do processo educativo

Este foi um dos destaques da live da quarta-feira, 12, na programação arquidiocesana da Semana Nacional da Família

Todos Somos Hum

Três amigas mostram a força da solidariedade, em projeto desenvolvido em favor das pessoas em situação de vulnerabilidade social, amplificada com a...

Cura d’Ars é modelo para aqueles que desejam ser bons pastores

É o que destacou o Cardeal Scherer, Arcebispo Metropolitano, em missa no Seminário Maior de Filosofia da Arquidiocese de São Paulo

Newsletter