Papa, na missa de Natal: ‘Sois Vós, Jesus, o Filho que me torna filho’

Papa, na missa de Natal: ‘Sois Vós, Jesus, o Filho que me torna filho’
(Foto: Vatican Media)

O Papa Francisco presidiu nesta quinta-feira, 24, a missa da noite da Solenidade do Natal do Senhor, na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Este ano, devido à pandemia da COVID-19, e as medidas de segurança sanitária diante do aumento de casos de infeção do novo coronavírus, a celebração aconteceu mais cedo, às 19h30 (15h30 no Brasil), não à meia-noite, como é tradição. Também por essas razões, a celebração não aconteceu no altar principal da Basílica, mas no altar da Cátedra de São Pedro, com a participação de um grupo reduzido de fiéis.

Na homilia, o Santo Padre meditou a partir do trecho a profecia de Isaías, “Um filho nos foi dado”, e destacou que o nascimento de Jesus é a novidade que permite renascer dentro, cada ano, encontrando nele a força para enfrentar todas as provações.

Francisco salientou que Deus vem ao mundo como filho para tornar todas as pessoas filhas de Deus. “Somos filhos amados, não obstante nossos erros e fracassos. E o amor de Deus por nós não depende nem jamais dependerá de nós: é amor gratuito, pura graça. O coração indestrutível da nossa esperança é reconhecer-se filhos de Deus”, recordou.

Em seguida, o Papa afirmou que Deus não consegue deixar de amar o ser humano com um amor concreto a ponto de tocar a pior miséria de cada um, colocando toda a salvação humana na manjedoura de um estábulo, sem temer as pobrezas humanas.

“Deixemos que a sua misericórdia transforme as nossas misérias!”, exortou o Pontífice, acrescentando: “Deus nasceu descartado para nos dizer que cada descartado é filho de Deus.”

Manjedoura da vaidade

O Santo Padre indagou quantas vezes as pessoas, famintas de divertimento, sucesso e mundanidade, nutrem a vida com alimentos que não saciam e deixam um vazio interior. Ele completou que, nesta saciedade interminável por ter, lança-nos em manjedouras de vaidade, esquecendo a manjedoura de Belém”.

Papa, na missa de Natal: ‘Sois Vós, Jesus, o Filho que me torna filho’
(Foto: Vatican Media)

O Papa reforça que aquela manjedoura pobre de tudo e rica de amor, ensina que o nutrimento da vida é se deixar amar por Deus e pelos outros. “Jesus nos dá o exemplo: Ele, o Verbo de Deus, é infante; não fala, mas oferece a vida. Nós, ao invés, falamos muito, mas somos com frequência analfabetos de bondade.”

Deus, continuou o Papa, nasceu menino para impelir as pessoas a cuidarem dos outros. “O seu amor desarmado e desarmante nos lembra que o tempo de que dispomos não serve para nos lamentarmos, mas para consolar as lágrimas de quem sofre”, disse, completando que, servindo os pobres, ama-se a Deus.

O Pontífice concluiu a homilia com a seguinte oração:

“Sois Vós, Jesus, o Filho que me torna filho. Amais-me como sou, não como eu me sonho. Abraçando-Vos, Menino da manjedoura, reabraço a minha vida. Acolhendo-Vos, Pão de vida, também eu quero dar a minha vida. Vós que me salvais, ensinai-me a servir. Vós que não me deixais sozinho, ajudai-me a consolar os vossos irmãos, porque, a partir desta noite, são todos meus irmãos.”

(Com informações de Vatican News)

LEIA TAMBÉM:

No Natal, Papa dará a bênção Urbi et Orbi de dentro do Palácio Apostólico

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter