Confira nossa versão impressa

Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos vão reabrir nesta sexta-feira, 16

Unidades retomam serviços presenciais gradualmente, com horário mais curto e capacidade de atendimento reduzida

Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos vão reabrir nesta sexta-feira, 16
SP Leituras

Com o anúncio da entrada da cidade de São Paulo na fase verde do Plano São Paulo, que regula a flexibilização da quarentena provocada pelo novo coronavírus, as bibliotecas de São Paulo (BSP) e Parque Villa-Lobos (BVL) prepararam a retomada das atividades para receber o público. Tanto a BSP quanto a BVL reabrem nesta sexta-feira,16, às 11h.

As instituições retomam os serviços presenciais gradualmente, com horário mais curto, capacidade de atendimento reduzida e dentro das regras estabelecidas nos protocolos de saúde – incluindo uma dinâmica de higienização das instalações usadas.

A princípio, as bibliotecas funcionam de segunda a sexta-feira, das 11h às 15h, com 25% de capacidade de atendimento. Quando os parques reabrirem nos fins de semana, as unidades voltarão a funcionar normalmente de terça a domingo.

“Estávamos muito aflitos por estar distantes há tanto tempo daqueles públicos mais carentes de biblioteca”, diz Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que gere a BSP e a BVL.

“Muitas pessoas tiveram, ao longo destes sete meses, dificuldade de acesso à internet, de conexão, de estarem ligados remotamente. Isso é muito mais complexo do que se possa imaginar. Por isso, estamos ansiosos por prestar um serviço de qualidade, sobretudo a estas pessoas que têm nossas bibliotecas como referência ou uma segunda casa”, completa.

Programação

Como o horário de atendimento nas bibliotecas é limitado, às atividades presenciais também ficam restritas. A programação cultural segue sendo oferecida em plataformas virtuais ou nas redes sociais. Confira nos sites das unidades: BSP e BVL.

“Escolhemos voltar aos poucos, com serviços que as pessoas sentem muita falta, como espaço reservado de estudo e sessões de acolhimento, ou que podem fazer com segurança, como empréstimo de livros e acesso aos computadores”, pontua Ruprecht. “Aprendemos e melhoramos muito neste período a utilização de ferramentas que vão continuar, como as plataformas virtuais, e que se revelaram exitosas”, acrescenta.

Veja, a seguir, uma lista das regras:

PERMITIDO

– Consultar o catálogo de acervo
– Emprestar, devolver, renovar e reservar livros
– Fazer sua carteirinha de sócio ou renovar seu cadastro
– Usar os computadores por uma hora
– Usar a sala de games e a área de tecnologias assistivas
– Agendar um espaço mais reservado para ler ou estudar
– Inscrever-se para participar das sessões de acolhimento

NÃO PERMITIDO

– Manusear o acervo
– Fazer doações físicas

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Capela do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus: 80 anos de história

Na série de reportagens sobre as capelas católicas em unidades hospitalares da capital paulista, o destaque de...

Cátedra de Cultura Judaica da PUC-SP comemora dez anos

O evento transmitido pela internet nesta sexta-feira, 23, marcou as comemorações dos dez anos da Cátedra de...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Declaração de Consenso de Genebra: avanço na luta contra o aborto

Brasil é um dos 32 países que assinam o documento que reforça a autonomia dos país na proteção da vida dos nascituros

Relatório da Caritas SP mostra os impactos da pandemia em crianças refugiadas

A equipe de Proteção do Centro de Referência para Refugiados da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) produziu um relatório sobre os...

Newsletter