Confira nossa versão impressa

Missão Paz São Paulo: acolhida solidária aos imigrantes durante a pandemia

Missão Paz São Paulo: acolhida solidária aos imigrantes durante a pandemia
Foto: Daniel Aratangy/Missão Paz

Quando houve, em março, o início do isolamento social na capital paulista, a Missão Paz São Paulo, instituição que apoia e acolhe imigrantes e refugiados, hospedava cerca de 80 imigrantes, de 16 nacionalidades. Uma das primeiras atitudes tomadas foi a de conversar com os hóspedes a respeito da necessidade do isolamento total.

“Apenas duas pessoas não concordaram e acabaram saindo; as outras permaneceram isoladas na Casa, que está localizada no Glicério”, explicou em entrevista à reportagem, Padre Paolo Parise, Coordenador da Missão Paz.

A Casa do Migrante acompanhou o ritmo da pandemia, com atenção redobrada em relação à higienização, ao isolamento e à tradução, em vários idiomas, sobre o que estava acontecendo, para que todos pudessem compreender a situação e contribuir com as medidas de prevenção.

“Alguns imigrantes começaram a deixar a Casa somente nas duas últimas semanas, pois foram retomadas as contratações trabalhistas, realizadas por intermédio do Eixo Trabalho da Missão Paz”, disse o Sacerdote, que está na gestão da instituição desde 2010.

ARRUMANDO A CASA

Com a diminuição da chegada de novos imigrantes e refugiados, a Missão Paz atendeu, sobretudo, aqueles que já estavam no País e demonstraram dificuldades no que se refere ao trabalho e à moradia.

“Aproveitamos este tempo para reorganizar os espaços, pintar camas, banheiros, quartos e nos preparar para acolher, agora em setembro, um grupo de venezuelanos que será transferido de Roraima para a Casa do Migrante”, explicou o Padre, que chegou a contrair a COVID-19.

A instituição também aderiu à modalidade de trabalho a distancia para continuar os atendimentos. As aulas de português, com professores voluntários, continuaram sendo realizadas pelo WhatsApp, pois a maioria dos hóspedes não teria condições de acessar outras plataformas como Zoom ou Google Meet. Os atendimentos de saúde também contaram com voluntários, além do apoio da Unidade Básica de Saúde (UBS) Sé. Para a assistência social e jurídica, a Missão Paz disponibilizou números de telefone e WhatsApp e um e-mail. Os atendimentos psicológicos também acontecem na modalidade on-line.

“A assistência social da instituição prestou um serviço importantíssimo para auxiliar os imigrantes a conseguir o auxílio emergencial oferecido pelo Governo Federal”, disse o Padre.

O Eixo Trabalho manteve o contato com grandes empresas para futuras contratações, e a Missão focou a distribuição de cestas básicas.

CESTAS BÁSICAS

Foram entregues 4.357 cestas básicas, atingindo 3.600 famílias de 62 nacionalidades. “Contamos com a ajuda de muitas pessoas físicas e de instituições, como a Laudes Foundation, que doou quase 2 mil cestas básicas, um banco e empresas que doam mensalmente dezenas de cestas”, esclareceu o Padre Paolo Parise.

Imigrantes e refugiados foram contemplados com as doações, bem como moradores do Glicério, aqueles que recebiam visitas da Pastoral da Criança e outras famílias, acompanhadas pela assistente social da instituição.

Já as reformas na Casa do Migrante tiveram o objetivo de renovar todos os espaços e reorganizá-los, pois será preciso diminuir o número de vagas ofertadas a fim de observar o distanciamento social. Além disso, foi criado um espaço laboral, que será destinado à realização de oficinas.

HAITIANOS

Missão Paz São Paulo: acolhida solidária aos imigrantes durante a pandemia
Foto: Daniel Aratangy/Missão Paz

Entre os dias 18 e 21 de agosto, a embaixada do Haiti no Brasil enviou três funcionários para a Missão Paz São Paulo, que disponibilizou o espaço para a renovação dos passaportes dos haitianos. Essa ação foi realizada para facilitar a renovação dos documentos vencidos, que antes, como medida preventiva de segurança contra falsificações, só era possível realizar em Brasília (DF).

“Recolhemos anteriormente os nomes e acolhemos 15 haitianos por hora, das 9h às 17h, para fazer a documentação. Recebemos haitianos do interior de São Paulo, somando cerca de 300 atendimentos”, explicou o Coordenador da Missão Paz.

É importante lembrar que a Polícia Federal estendeu os prazos para a renovação de documentos e, sendo assim, aqueles com datas vencidas, ainda continuam válidos.

ACOLHIDA

Padre Paolo disse ainda que, durante esse período, a Casa recebeu apenas três ou quatro pedidos de acolhida de pessoas recém-chegadas, devido ao fechamento das fronteiras brasileiras.

De acordo com dados do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), houve uma diminuição de 63% nos pedidos de refúgio no Brasil entre os meses de março e maio de 2020 (6.608 pedidos) em relação ao mesmo período de 2019 (17.711 pedidos).

“A Missão Paz compreende a necessidade de restrições por causa da pandemia, mas verificamos que o Brasil não tem testado brasileiros ou residentes que voltam do exterior nem aqueles obrigados à quarentena, mas impede a entrada de migrantes, por questões sanitárias. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e o próprio Ministério da Saúde, porém, publicaram documentos esclarecendo que é possível acolher os solicitantes de refúgio, sem colocar em risco a população autóctone. Por isso, a Missão se posicionou a favor da acolhida, sem colocar, é claro, os brasileiros em risco”, disse o Padre Paolo Parise.

Solidariedade em números

  • Período: de 18 de abril a 25 de agosto
  • + 4.357 cestas básicas entregues
  • 3.600 famílias beneficiadas
  • 1.823 pacotes de leite
  • 295 pacotes de fraldas
  • 1.127 kits de higiene pessoal
  • 3.205 cobertores
  • + 13 mil máscaras
  • 734 kits de limpeza
  • 305 cestas de frutas/verduras
  • + 350 saquinhos com chocolate

Para doar
Mais informações sobre doações ou como ser voluntário na Missão Paz podem ser encontradas no site www.missaonspaz.org ou nas redes sociais da instituição.
Ou, ainda, por meio de depósito bancário: Nome Fantasia: Casa do Migrante Razão Social: Pia Sociedade dos Missionários de São Carlos CNPJ: 62.806.682/0004-24 Banco: Bradesco 237 Agência: 515-0 Conta corrente: 34123-1 É permitido realizar doações diretamente na Casa do Migrante (Rua do Glicério, 225), de segunda a sexta- -feira, das 9h às 11h e das 14h às 17h. Antes de chegar, ligue para (11) 3340- 6950, indicando que horas fará a doação, para que todas as medidas de higiene necessárias sejam tomadas.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Mobilização propõe que escolas comunitárias e confessionais tenham pleno acesso ao Fundeb

Iniciativa tem o apoio do Vicariato Episcopal para a Educação e a Universidade da Arquidiocese de São Paulo

Dom Carlos Lema: constituir uma escola comunitária permitirá às famílias dar uma educação de acordo com seus valores religiosos

Em entrevista ao O SÃO PAULO, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese e Vigário Episcopal para a Educação e a Universidade fala sobre mobilização para que escolas comunitárias, confessionais e filantrópicas possam ter pleno acesso aos recursos do Fundeb

Devemos recuperar a ‘centralidade do ser humano’, diz Cardeal

A crise humanitária provocada pela atual pandemia de COVID-19 é um convite a repensar prioridades e urge “recuperar a centralidade do ser...

Missa pelos 70 anos do movimento da Mãe Peregrina no Brasil

No sábado, 19, foi celebrada na Paróquia Imaculada Conceição a missa em ação de graças pelos 70...

4ª edição das “Jornadas de Teologia Pastoral” acontece na sexta-feira, 25

Evento on-line é promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Newsletter