Confira nossa versão impressa

Museu do Futebol tem ação de diálogo com idosos durante a pandemia

Fechado para visitação pública desde 17 de março, o Museu do Futebol, localizado no estádio do Pacaembu, tem intensificado suas ações pelas redes sociais e escalou o time de colaboradores do núcleo educativo para “uma tabelinha” com os idosos que estão em isolamento social em razão da pandemia do novo coronavírus.

Desde o mês passado, os membros do núcleo educativo do Museu têm feito vídeo-chamada ou ligações por telefone para conversar com os idosos, vivam eles com suas famílias, sozinhos ou em instituições de abrigo. Apenas nos 15 primeiros dias da iniciativa, aconteceram aproximadamente 50 diálogos.

A iniciativa é parte do projeto Revivendo Memórias, que já é realizado pelo Museu em parceria com a Faculdade de Medicina da USP, originalmente voltado ao atendimento de pessoas com a doença de Alzheimer. Diante da pandemia do novo coronavírus e das recomendações de isolamento social, a ação foi ampliada para todos os idosos.

“Muitos dos idosos às vezes muitos moram sozinhos. Com a ajuda da Faculdade de Medicina da USP, estendemos este programa para um atendimento remoto, feito por telefone ou por videoconferência. Por vídeo é mais bacana, porque conseguimos ajuntar várias pessoas: o idoso, algum familiar dele, o pessoal da faculdade e ao menos um educador do Museu, mais a coordenadora do educativo”, detalha Daniela Alfonsi, diretora de conteúdo do Museu do Futebol, em entrevista ao O SÃO PAULO.

Daniela comenta que os rumos da prosa vão além do futebol. “Tem se falado também muito de música, temos descoberto até compositores, é um bate-papo muito agradável”, garante.

COMO PARTICIPAR

Museu do Futebol tem ação de diálogo com idosos durante a pandemia
Crédito: Museu do Futebol

As sessões do projeto Revivendo Memórias #EmCasa acontecem de terça a sexta-feira, em dois horários: das 10h às 11h e das 15 às 16h.

Às terças e quintas-feiras, os atendimentos são individuais; às quartas e sextas-feiras, são atendidas casas de repouso e entidades sociais que atuam com outros grupos fragilizados, como pessoas com deficiência e em situação de vulnerabilidade.

Os interessados em participar devem fazer o agendamento pelo e-mail agendamento@museudofutebol.org.br. O solicitante pode ser o próprio idoso ou seu cuidador. É preciso indicar o dia e horário de preferência e qual o meio de comunicação que deseja fazer a conversa (telefone, Skype, Hangout ou outra ferramenta).

No caso de entidades, devem ser informados também o perfil do público atendido e quantas pessoas participarão da atividade.

O Museu entra em contato para fazer as confirmações. Se não for possível enviar e-mail, os agendamentos também podem ser feitos pelo telefone (11) 99113-0226, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h.

A iniciativa faz parte da campanha #culturaemcasa, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, a quem pertence o Museu do Futebol.

Para as crianças

O Museu também pensou nas crianças neste tempo de isolamento social. Foi lançado o site educar.museudofutebol.org.br com muitas atividades recreativas para se fazer em casa, como paper toys de craques do futebol, testes de conhecimentos em cruzadinhas futebolísticas, jogo dos 7 erros sobre as regras do futebol e desenhos para colorir.

Cinema na rede

Em parceria com o CineFOOT, o Museu do Futebol também tem realizado sessões em streaming todos os sábados, às 21h, pelo Facebook e o YouTube. Após a exibição, os filmes não ficam mais disponíveis para acesso.

“Temos escolhido filmes sobre torcidas físicas ou clubes. Com isso, alcançamos torcedores diferentes a cada semana. Temos percebido que a exibição pela internet atrai um público que não necessariamente conhece o Museu em São Paulo. Quando exibimos o filme sobre o Bahia, por exemplo, o pico de pessoas assistindo foi lá no estado da Bahia”, detalha Daniela Alfonsi.

Além disso, no canal do YouTube podem ser encontrados vídeos dos eventos que já foram realizados no Museu, como debates e palestras, além de alguns documentários. O mais recente envolve entrevistas com os jogadores da seleção brasileira na Copa de 1970.

Exposições on-line

Museu do Futebol tem ação de diálogo com idosos durante a pandemia
Reprodução

O Museu também disponibiliza 15 exposições on-line sobre a história do futebol. A mais atual é sobre os 80 anos do estádio do Pacaembu, completados em 27 de abril.

“É uma exposição com fotos e vídeos, e nos concentramos em mostrar um material que já há na sala do Museu e que conta como foi a construção do estádio, qual foi o interesse dos paulistanos em construir um estádio desse tamanho. Também falamos sobre a arquitetura do estádio, que é única. O Pacaembu tem o diferencial de ter uma arquibancada encostada no morro, no fundo de vale, não é como outros estádios em que parece um disco voador que pousa no terreno, como o Maracanã, e o Mineirão”, detalhou.

Também são encontradas exposições sobre o começo do futebol em São Paulo e a evolução das chuteiras. Essa iniciativa teve início em 2013, em parceria com o Google Cultural Institute, na plataforma Google Arts and Culture, que disponibiliza acervos de mais de 1.200 museus e coleções pelo mundo.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

‘Que sejamos pedras vivas na edificação da Igreja’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa nesta terça-feira, 20, na capela...

Aos 85 anos, morre o Padre Daniel Francis McLaughlin

Sacerdote norte-americano era missionário no Brasil desde 1981, e atuou em paróquias das zonas Leste e Noroeste da cidade de São Paulo

CoronaVac é a vacina em teste mais segura contra covid-19

A informação foi dada hoje pelo diretor do Instituto Butantan O diretor do Instituto...

Vândalos colocam fogo em igrejas em Santiago, no Chile

“A violência é má, e quem semeia violência consegue destruição, dor e morte. Nunca justifiquemos nenhuma violência”, afirmou o Arcebispo de Santiago,...

Número de mortes violentas aumenta 7,1% no 1º semestre, diz anuário

O maior crescimento desse tipo de crime ocorreu no Ceará No primeiro semestre deste...

Newsletter