Confira nossa versão impressa

Dom Odilo: ‘Santo Inácio de Antioquia foi um corajoso defensor da fé cristã e da unidade da Igreja’

Dom Odilo: ‘Santo Inácio de Antioquia foi um corajoso defensor da fé cristã e da unidade da Igreja’
‘Martírio de Santo Inácio de Antioquia’, de Pier Leone Ghezzi (século XVIII)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, na capela de sua residência, a missa deste sábado, 17, memória de Santo Inácio de Antioquia, Bispo e mártir. A Eucaristia foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Inácio foi o sucessor de Pedro no governo da Igreja de Antioquia. Condenado às feras, foi conduzido a Roma e lá, no tempo do imperador Trajano, foi martirizado, no ano 107. Durante a viagem escreveu sete cartas a várias Igrejas, nas quais se refere, com profunda sabedoria e erudição, a Cristo, à organização da Igreja e aos princípios fundamentais da vida cristã. A sua memória era celebrada neste dia, já no século IV, em Antioquia.

“Pela intercessão de Santo Inácio, peçamos por toda a Igreja, pelos bispos, pelos cristãos perseguidos e por todos, para que tenhamos força e coragem para o testemunho da fé”, destacou Dom Odilo, no início da missa, recordando, de modo especial, os muitos missionários que vivem situações de risco para anunciar o Evangelho.

Na homilia, o Cardeal ressaltou que Santo Inácio foi um corajoso defensor da fé cristã contra a idolatria, pretensões de desvio da fé em Jesus e defendeu a unidade da Igreja.

DOM DA FÉ

Dom Odilo: ‘Santo Inácio de Antioquia foi um corajoso defensor da fé cristã e da unidade da Igreja’
Dom Odilo preside missa na capela de sua residência

Em seguida, o Arcebispo meditou sobre o trecho da primeira leitura (Ef 1,15-23), na qual São Paulo eleva ação de graças pelo dom da fé e da vida cristã e da salvação. “Temos muitos motivos para dar graças a Deus, por sua benevolência e providência. Esse é um tema que perpassa a Carta aos Efésios e convida-nos à reflexão sobre como devemos viver conforme os dons que o Senhor nos deu e não penas sermos como filhos ingratos que não o valorizam”, afirmou Dom Odilo.

Por fim, o Cardeal recordou que neste domingo, 18, celebra-se o Dia Mundial das Missões, que além de ser oportunidade de rezar e apoiar aqueles que se dedicam ao anúncio do Evangelho.

“Amanhã, rezaremos, de modo especial, pelos missionários, mas também recordaremos a nossa parte na missão da Igreja. Somos todos missionários. Todos somos chamados. E como o profeta Isaías respondeu – ‘Eis-me aqui, envia-me’ – também nós devemos nos colocar à disposição de Deus para o serviço na missão da Igreja”, concluiu o Arcebispo.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Dom Odilo: Papa não mudou a doutrina da Igreja sobre o Matrimônio e a família

Durante o programa “Diálogos de Fé”, transmitido pela rádio 9 de Julho (AM 1600 kHz) e pelo...

Por que rezamos pelos falecidos?

Na comemoração dos falecidos (Dia de Finados) deste ano, recordaremos de maneira especial todos os que perderam a vida por causa da...

As mulheres não devem ter voz na Igreja?

Hoje respondo a essa dúvida do Reginaldo de Assis, de São Roque (SP): “Gostaria de entender melhor um trecho da Bíblia que...

Sobre o terrorismo que destruiu templos católicos no Chile

Acordei com as cenas de uma igreja chilena ardendo em chamas. Em nome de ideologias, jovens terroristas...

Solenidade de Todos os Santos

Celebrando Todos os Santos e os Fiéis Defuntos, respectivamente, pedimos a intercessão da Igreja que já triunfa no Céu e oferecemos sufrágios...

Newsletter