Confira nossa versão impressa

‘Sempre há esperança quando nos abrimos à ação do Espírito de Deus’

‘Sempre há esperança quando nos abrimos à ação do Espírito de Deus’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa nesta sexta-feira, 21, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Nesta data, a Igreja celebra a memória de São Pio X (1835-1903), Papa do início do século XX, que adotou como lema se seu pontificado “Restaurar todas as coisas em Cristo”, ideal que de fato orientou a seu ministério. “Um Papa santo, pastor, deu grande destaque à renovação interna da Igreja, sobretudo em relação à participação frequente da Eucaristia”, destacou Dom Odilo, que também recordou que foi esse Pontífice que elevou a então Diocese de São Paulo à dignidade de Arquidiocese, em 1908.

MANDAMENTOS

Na homilia, o Cardeal refletiu a partir das palavras de Jesus no Evangelho do dia (Mt 22,34-40), que, após ser questionado por um fariseu sobre qual seria o maior mandamento, respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento!’ Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse: ‘Amarás ao teu próximo como a ti mesmo’. Toda a Lei e os profetas dependem desses dois mandamentos”.

Dom Odilo explicou que a lei e os profetas se refere aos principais livros do Antigo Testamento. Por isso, Jesus quis dizer que toda a religião judaica da época dependem do amor a Deus e do amor ao próximo. “Esses dois mandamentos são inseparáveis e também a síntese de toda a Escritura”, sublinhou o Cardeal.

“Não se pode amar verdadeiramente a Deus se não se ama também ao próximo. E amar o próximo não é apenas com palavras, mas com a vida, com as atitudes”, ressaltou o Arcebispo, reforçando que esse dúplice mandamento é cerne da vida cristã.

VIDA NOVA

Na primeira leitura (Ez 37,1-14), o profeta Ezequiel narra a cena de uma planície repleta de “ossos ressequidos” e Deus o diz a ele que profetize para que esses ossos retornem à vida pela ação de seu Espírito.

“Esses ossos são povo de Israel que está no exílio e se esqueceu de Deus, mas pela misericórdia e poder divinos, podem se levantar novamente e se converter, destacou o Cardeal.

“Se estamos longe de Deus, se lhe somos desobedientes, somos como mortos, como ossos secos. Porém, podemos sempre reviver na medida em que acolhemos novamente o Espírito de Deus, seus mandamentos e sua vontade. Sempre há esperança quando nos abrimos à ação do Espírito de Deus”, concluiu o Arcebispo.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Doação de Sangue: um gesto concreto em favor do próximo

Hemocentros de todo país se unem na campanha ‘Somos todos do mesmo sangue’, em vista do Dia Nacional do Doador de Sangue, em 25...

A Igreja terá 128 novos beatos e 6 novos veneráveis Servos de Deus

O Papa autorizou a Congregação das Causas dos Santos a promulgar os decretos de 128 novos beatos e 6 novos veneráveis Servos de Deus...

‘O embrião é uma pessoa humana’, recordam bispos costarriquenhos

No País da América Central, legisladores debatem projeto de lei que busca reconhecer os direitos dos nascituros

No próximo sábado serão criados 13 novos cardeais

Dos 13 novos cardeais, dois não poderão participar das cerimônias por causa da emergência coronavírus: Dom Cornelius Sim, Vigário Apostólico de Brunei e Dom...

Dom Odilo: viver bem cada dia, na esperança de que o Senhor virá

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta terça-feira, 24, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9...

Newsletter