Confira nossa versão impressa

O Brasil precisa do compromisso cristão centrado no Evangelho

Diante das dificuldades que o Brasil está enfrentando, é preciso que todos os cristãos se mobilizem e exerçam a sua responsabilidade de seguir, anunciar e imitar a Cristo no mundo. Nosso País precisa disso mais do que nunca! Além de ser uma das nações mais desiguais do mundo (fruto, sobretudo, da história de escravidão mais longa e mais extensa da História recente), o Brasil vem enfrentando uma crise econômica, política e sanitária. É o segundo País em pior situação do mundo em termos de contaminação e mortes pela COVID-19. A população desempregada cresce com a crise. Do ponto de vista político, duas correntes de pensamento correm em grande velocidade, e suas vertentes mais ideológicas sacodem os brasileiros de fora, mas também os de dentro da Igreja.

É salutar que existam visões diferentes e pluralismo, porém, para a Igreja, se seguirmos a sabedoria expressa em sua Doutrina Social, o cair numa ou noutra ideologia é idolatria, como já dissemos em artigos anteriores. E as consequências são graves para uma nação quando os próprios cristãos correm o risco de se apoiar em uma ideologia e não na única resposta adequada e exaustiva para todos os seres humanos, que é o próprio Cristo.

Qual o perigo da ideologia, seja ela de esquerda, seja de direita? A ideologia é uma construção feita por um conjunto de pensamentos e visões que tende a se autoavaliar como “perfeita”, “correta”, “exata” e que, portanto, deve ser seguida de forma “absoluta”, como única saída para os problemas da vida e, consequentemente, do País. Dizendo brevemente, para quem se apoia e propaga uma ideologia, há o “salvador da pátria da esquerda” ou o “salvador da pátria da direita”, e em um ou outro está a resposta para os nossos problemas.

A ideologia, por ser absolutizante, tende, aos poucos, a acabar com a democracia e a necessária e fundamental alternância de poder. Numa visão ideológica, a ação política, seja de esquerda, seja de direita, tende a ser o exercício do poder pelo poder. E se passa a fazer qualquer coisa para mantê-lo. Por isso, é fundamental a alternância de poder. Porque o poder, qualquer um, deve sempre ser relativo. Só o poder de Deus encarnado, Cristo, é absoluto.

A ideologia faz com que a esperança cada vez menos se deposite em Cristo, presente e atuante na História, e cada vez mais “nesse” ou “naquele” partido. Cristo? Sim, existe! Não conta muito na vida social concreta, no entanto. Ele fica distante dos nossos problemas reais e cotidianos. Como se não estivesse presente. Nem fosse, de fato, o único Senhor da História. É muito fácil e comum, atualmente, relegar Cristo para o plano espiritual e somente no fim de semana, no ambiente paroquial. No dia a dia, são “outras forças” que movem a História, e, por isso, apoiamo-nos nelas.

Enquanto a democracia desmorona, a pobreza, as mortes e o desemprego aumentam, assim como as rivalidades entre os brasileiros. Nós, que amamos a Igreja e temos consciência do seu papel único na História, devemos nos unir para nos educar todos a voltar os olhos para o que dizem as Escrituras Sagradas e para o ensinamento de como viver o que ali está descrito: como gerar o bem comum, o amor entre as pessoas, o cuidado com todos e não só consigo mesmo ou com a própria família, como amar o inimigo e como construir uma nação. Por isso, o Brasil precisa, mais do que nunca, que a Igreja se una e se mobilize para ajudar o povo neste momento tão difícil. O caminho para sairmos da situação em que estamos é a educação do povo. E a Igreja tem, nessa educação, uma responsabilidade única!

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

No próximo sábado serão criados 13 novos cardeais

Dos 13 novos cardeais, dois não poderão participar das cerimônias por causa da emergência coronavírus: Dom Cornelius Sim, Vigário Apostólico de Brunei e Dom...

Dom Odilo: viver bem cada dia, na esperança de que o Senhor virá

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta terça-feira, 24, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9...

Ordenação marca os 20 anos do diaconato permanente na Arquidiocese de São Paulo

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a ordenação de cinco novos diáconos permanentes para a Arquidiocese no sábado, 21. A...

Butantan anuncia que testes da CoronaVac chegaram à fase final

Os resultados sairão na primeira semana de dezembro Chegou à fase final o estudo clínico da CoronaVac, a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria...

Ministério reconhece estado de calamidade pública no Amapá

Estado ficou mais de 80 horas sem energia elétrica e até agora a situação não foi totalmente restabelecida O Ministério do Desenvolvimento Regional publicou portaria...

Newsletter