O que faz o CELAM?

O Conselho Episcopal Latino-Americano e Caribenho (CELAM) é o organismo episcopal continental representativo das 22 Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe, envolvendo a maior parte dos países do continente americano. Ficam de fora apenas Estados Unidos e Canadá, que, por circunstâncias históricas e culturais, integram um outro organismo episcopal no continente. 

Organismos episcopais continentais semelhantes ao CELAM também existem na África, Europa, Ásia e Oceania. Esses Conselhos de Conferências Episcopais surgiram e se desenvolveram, sobretudo, a partir de meados do século XX, com o fim de proporcionar intercâmbio e ajuda entre as Conferências Episcopais de uma mesma área, tendo realidades históricas, sociais, culturais e religiosas em comum. Dessa maneira, fazem um discernimento eclesial sobre o desempenho da missão da Igreja em cada realidade humana. 

Na base desses organismos episcopais continentais está a teologia da colegialidade e da comunhão episcopal: os bispos são responsáveis diretos pela vida da Igreja em suas dioceses; mas não exercem essa missão de maneira isolada: eles agem “em colégio”, ou seja, como corpo unido e corresponsável pelo conjunto da vida e da missão da Igreja. A comunhão episcopal tem a sua expressão visível maior na unidade e comunhão com o Papa, que representa a comunhão universal da Igreja e zela por ela. 

A comunhão da Igreja é, sobretudo, espiritual e tem sua raiz na comunhão com Cristo, fundador e mestre de toda a Igreja, e no Evangelho da salvação, do qual a Igreja é discípula, testemunha e mensageira. É o Espírito de Cristo que assegura a comunhão e a unidade na diversidade de dons e carismas, nas situações e missões mais diversificadas. Tudo é orientado em função de um mesmo Espírito. Os organismos existentes na Igreja estão a serviço da comunhão e da missão da Igreja. Assim, o CELAM, a CNBB, os Conselhos eclesiais, as Cúrias diocesanas e da Vida Consagrada encontram sua razão de ser no serviço à comunhão eclesial nos diversos níveis e expressões da vida da Igreja. 

O CELAM passou recentemente por uma profunda reestruturação e renovação em sua organização e funcionamento para melhor servir às Conferências Episcopais do continente americano. O novo estatuto do organismo expressa a nova impostação de sua organização administrativa e pastoral, sobretudo através da atuação dos três Centros Pastorais, voltados para três grandes áreas de desafios e serviços às Conferências Episcopais: talento humano e formação de pessoas; conhecimento e discernimento sobre a realidade do continente; comunicação a serviço da evangelização. 

A organização do CELAM também procurou assimilar e expressar a sinodalidade, como dimensão a ser promovida e testemunhada em todos os níveis da vida e ação eclesial. E não se perdeu de vista o princípio da subsidiariedade, segundo o qual cada organismo eclesial assume aquilo que é próprio de sua competência. O CELAM não é uma Conferência Episcopal nem uma superdiocese e nem, muito menos, a “Cúria geral” da Igreja no continente americano. É um serviço eclesial às Conferências Episcopais e, por consequência, à Igreja na América Latina e no Caribe. 

Nesse sentido, entende-se também a edificação da nova sede do CELAM, inaugurada no dia 12 de julho passado em Bogotá, Colômbia. A obra vinha sendo preparada na gestão de duas presidências anteriores à atual. 

Finalmente, a pedido da assembleia do CELAM de maio de 2019, o projeto foi executado e concluído com êxito pela atual presidência, que encerra seu mandato em maio de 2023. A nova sede do CELAM foi planejada para ser um centro de referência para os diversos serviços administrativos e pastorais desempenhados pelo organismo. Ela foi dotada de modernos recursos tecnológicos, que favorecem e tornam possível um serviço ágil e eficiente do CELAM em nível continental. Na sede do CELAM está abrigada uma biblioteca riquíssima de temas eclesiais da América Latina e do Caribe, como nenhuma outra em todo o nosso continente. 

Atualmente, o CELAM acompanha os encaminhamentos do sínodo universal convocado pelo Papa Francisco. Após as fases diocesana e nacional, promovidas em cada país pela respectiva Conferência Episcopal, o CELAM promoverá a reflexão e o discernimento sinodal em âmbito continental: primeiramente, mediante encontros sinodais nas quatro Regiões do CELAM: América Central e México; Caribe; Países Bolivarianos; e Cone Sul da América do Sul. Em seguida, haverá também uma assembleia sinodal em âmbito continental, para o discernimento sobre as contribuições da Igreja no continente americano para o sínodo da Igreja. 

1 comentário em “O que faz o CELAM?”

  1. Sempre muito elucidativo transmitindo de forma simples e objetiva conhecimentos necessários para o católico praticante. Obrigada por vossos ensinamentos Dom Odilo Pedro Scherer!

    Responder

Deixe um comentário para Maria Ignez de Oliveira Sampaio Cancelar resposta