18º CEN: bispos da presidência da CNBB conduzem catequeses sobre a Eucaristia

Termina na terça-feira, 15, o 18o Congresso Eucarístico Nacional (CEN), que ocorre desde a sexta-feira, 11, na Arquidiocese de Olinda e Recife. A missa de encerramento será às 16h, presidida Cardeal António Marto, enviado do Papa Francisco à atividade. Após a celebração, haverá a procissão com o Santíssimo Sacramento pelas ruas de Recife, com conclusão na Basílica de Nossa Senhora do Carmo.

18º CEN: bispos da presidência da CNBB conduzem catequeses sobre a Eucaristia, Jornal O São Paulo
Foto: comunicação 18o CEN

O Congresso tem como tema “Pão em todas as mesas” e lema “Repartiam o pão com alegria e não havia necessitados entre eles” (At 2,46).

Uma das atividades do 18o CEN foi um simpósio teológico, que ocorreu no Centro de Convenções de Pernambuco, tendo sido encerrado na segunda-feira, 14, com um dos painéis temáticos conduzido por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte (MG) e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ele refletiu sobre “Eucaristia: alimento para a missão”.

De acordo com o Presidente da CNBB, este é o tempo de perceber a beleza do que a Igreja reflete e guarda no seu coração e no seu tesouro que é rico, porque é um tesouro bimilenar. “Nós precisamos nos deixar tocar. Mais do que alimentar a mente com ideias é importante alimentar o coração com o sentimento cristão e à luz dos valores do Evangelho”, disse.

EUCARISTIA: PILAR FUNDAMENTAL

O Arcebispo de Belo Horizonte (MG) defendeu a Eucaristia como um pilar fundamental da fé porque é o próprio Cristo que se oferece a todos como alimento: “Ao alimentarmo-nos de Cristo, nós somos chamados a nos transformar Nele, de ser uma presença amorosa Dele na vida de cada pessoa e na vida do mundo”.

Para Dom Walmor, é assim que a missão do discípulo de Jesus se desdobra com uma força que vai além de pessoa. “Nós não temos força por nós mesmos. Nossos afazeres e nossos programas não são afazeres e programas nossos, são Dele. Por isso, precisamos fazer com a sua força e na força da sua intimidade. Esse foi exatamente o grande ponto que coloquei na reflexão, nessa perspectiva, fazendo-nos capazes de olhar o outro, sobretudo, os pobres e os sofredores”, pontuou.

UNIDADE EM TEMPOS DE POLARIZAÇÃO

Também o Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ) e Secretário-geral da CNBB, Dom Joel Portella Amado, conduziu uma das catequeses públicas do 18o Congresso Eucarístico Nacional. Ele abordou o tema “Eucaristia e unidade em tempos de polarização”.

Em entrevista à Rede Vida de Televisão, Dom Joel destacou que “a polarização é a concretização atual da indiferença”. Citando o tema do Congresso Eucarístico, ele resumiu a reflexão apresentada ao público presente no Centro de Convenções de Pernambuco: “Pão em todas as mesas é um convite a não ser indiferente ao sofrimento dos outros”.

E essa superação da indiferença proposta no Congresso Eucarístico Nacional pode ser luz para as reflexões e iniciativas da Campanha da Fraternidade de 2023.

“‘Pão em todas as mesas’, como? [A resposta é o] lema da Campanha da Fraternidade: ‘Dai-lhes vós mesmos de comer’. Cabe às comunidades acrescentar aquilo que é próprio no seu local, da sua região. A concretização – essa tem sido uma orientação nos três últimos anos – fica por conta de cada comunidade”, disse dom Joel, motivando a mobilização local em vista de ações da CF 2023.

GESTO CONCRETO

O 18o Congresso Eucarístico Nacional  terá como legado a inauguração da Casa do Pão, que funcionará na antiga Casa de Misericórdia, localizada no centro da capital pernambucana. Ali serão ofertados serviços como lavanderia, enfermaria, capela; além de atividades como padaria, atendimentos jurídico, médico, psicológico, grupos de apoio e oficinas profissionalizantes. A inauguração será na terça-feira, 15.

“Casa do pão é um gesto concreto do Congresso Eucarístico que deve iluminar o agir da Campanha da Fraternidade do ano que vem com muitas outras iniciativas que podem ser semelhantes ou não, desde que voltadas para o tema da fome”, comentou Dom Joel.

Fonte: CNBB e Regional Nordeste 2

Deixe um comentário