Assembleia Eclesial reforça a unidade de um ‘continente cristão, mariano e cada vez mais sinodal’

Destacou o Cardeal Marc Ouellet, na missa de encerramento, no domingo, 28, do inédito encontro que envolveu toda a Igreja da América Latina e do Caribe

Assembleia Eclesial reforça a unidade de um ‘continente cristão, mariano e cada vez mais sinodal’
Reprodução da transmissão da missa pelo Youtube da Assembleia Eclesial

Aos pés da Virgem de Guadalupe, no santuário mariano na Cidade do México, foi encerrada no domingo, 28, a 1a Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, com a celebração da Santa Missa, seguida por um momento de consagração a Nossa Senhora.

Desde o dia 21, cerca de cem pessoas presencialmente e outros mil de modo on-line participaram do inédito encontro pedido pelo Papa Francisco para retomar os indicativos e reflexões da Conferência de Aparecida, de 2007, e realizar um discernimento sobre as questões que desafiam a missão evangelizadora da Igreja no continente americano.

A missa de encerramento foi presidida pelo Cardeal Marc Ouellet, Prefeito para a Congregação dos Bispos e Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina. Ele lembrou que a missa era em ação de graças e gratidão “pela proteção e presença de Maria Santíssima durante a intensa semana de escuta, fraternidade e entusiasmo pela fé que acabamos de viver”.

O Cardeal Ouellet disse na homilia que a missa indicava um sinal profético, “porque a nossa presença aqui hoje testemunha que o anúncio da Virgem mestiça a São Juan Diego continua mais atual do que nunca e produzindo novos frutos de comunhão, participação e missão, de acordo com o caráter sinodal da Igreja”. E complementou: “Um sinal profético é um acontecimento, uma mensagem, um gesto e uma palavra com a qual Deus fala ao coração das mulheres e dos homens do nosso tempo”.

Entre os concelebrantes estiveram Dom Miguel Cabrejos, Presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam); o Cardeal Odilo Scherer, 1o Vice-Presidente do Celam; Cardeal Mario Grech, Secretário do Sínodo dos Bispos; e o Cardeal Jean-Claude Hollerich, Relator Geral do Sínodo dos Bispos.

Um povo chamado à missionariedade

Assembleia Eclesial reforça a unidade de um ‘continente cristão, mariano e cada vez mais sinodal’
Participantes presenciais da 1a Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe

Ainda durante a homilia, o Cardeal Ouellet ressaltou que a 1a Assembleia Eclesial revelou “um despertar da fé no Espírito Santo, que acende o amor por todo o ser humano, sobretudo pelos mais debilitados, vulneráveis e marginalizados”.

O Prefeito da Congregação para os Bispos disse ainda que com a Assembleia, a Igreja volta a “tomar consciência de sua identidade missionária como povo a caminho; como corpo e esposa de Cristo, como povo sacerdotal, portador e mediador do dom do Espírito Santo a todas as nações”. E complementou: “Nossos dias de convivência presencial e digital tem contribuído para forjar ainda mais a unidade de nosso continente cristão, mariano e cada vez mais sinodal”.

Por fim, lembrou que todos os católicos do continente recorrem à Virgem de Guadalupe “com agradecimento, alegria e esperança, pedindo-lhe que seu Filho Divino seja para nós, como é para Ela, nosso tudo, nossa companhia permanente, nosso único Salvador, nosso tesouro como discípulos missionários, membros da Igreja discipular e sinodal”.

(Com informações do Celam)

Deixe um comentário