Dom Odilo fala sobre as etapas finais do sínodo arquidiocesano

Em seu programa de rádio, Arcebispo também comentou sobre o encerramento do ano comemorativo pelo nascimento de Dom Paulo Evaristo Arns

Dom Odilo fala sobre as etapas finais do sínodo arquidiocesano, Jornal O São Paulo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Na terça-feira, 13, o Cardeal Odilo Pedro Scherer conversou com os ouvintes da rádio 9 de Julho em seu programa diário, “Encontro com o Pastor”, sobre a fase final do 1o sínodo arquidiocesano de São Paulo.

O Arcebispo recordou que na segunda-feira, 12, a comissão de coordenação do sínodo esteve reunida para avaliar o caminho já percorrido e preparar a próxima sessão da assembleia sinodal arquidiocesana, a ser realizada em 1º de outubro. 

“Se Deus quiser, chegaremos a dezembro com os trabalhos do sínodo em conclusão”, projetou, recordando que a celebração conclusiva do 1o sínodo arquidiocesano de São Paulo acontecerá em 25 de março de 2023. 

O Cardeal afirmou que o sínodo está indo bem e que produz seus frutos, pouco a pouco, elaborando as questões e propostas sinodais a serem vividas após o sínodo. 

“Nós vimos e ouvimos muita coisa desde o início do sínodo, em 2017, tomamos consciência das belezas que temos na Igreja em São Paulo, e das muitas coisas boas que temos nas paróquias, comunidades, nas casas religiosas e famílias católicas”, destacou, ponderando que também foram vistas carências e a necessidade de trabalhar a questão missionária. 

“Não podemos deixar de ser missionários. A Igreja é missionária, Jesus quis que a Igreja fosse missionária”, destacou, afirmando que o grande desafio do sínodo arquidiocesano será a inserção de “um novo ritmo, um novo espírito missionário, para poder, realmente, renovar a vida da Igreja em São Paulo”. 

O Arcebispo exortou os ouvintes a rezarem pelo sínodo, para que possa ser bem realizado até sua conclusão.

O AGIR DA IGREJA É PARA CRISTO

Dom Odilo também comentou sobre a liturgia do dia, que na primeira leitura (1Cor 12,12-14.27-31a) mostra São Paulo falando sobre a Igreja e a comunidade de fiéis. 

“Cristo é a cabeça deste corpo (a Igreja) e nós somos os membros”, ressaltou, recordando que o apóstolo compara a Igreja a um corpo, formado por um único espírito. “A cabeça é que governa o corpo e que dá o seu espírito, a sua vitalidade”. 

“De fato, o Espírito Santo é aquele que anima, aquele que dá vitalidade e fecundidade à vida e ação da Igreja”, destacou. 

O Arcebispo também ressaltou que o Apóstolo chama a atenção para as consequências da imagem do corpo, dizendo que “mesmo havendo muitos membros, há um só corpo, e que neste corpo, cada membro contribui para o bem de todo o corpo e de todos os membros”.

“Também, os membros da Igreja, mesmo desempenhando diversas funções, estão em função do bem do corpo de Cristo, da Igreja como um todo. Por isso na Igreja, nós não vivemos somente para nós, mas para Cristo, cabeça da Igreja, e vivemos também uns para os outros”, afirmou. 

EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ E DOM PAULO EVARISTO ARNS

Por fim, o Arcebispo recordou a Festa da Exaltação da Santa Cruz, celebrada na quarta-feira, 14. “Olhamos para a Cruz de Cristo com gratidão, com veneração e com adoração. Na cruz, nossa salvação, porque nela Cristo está”, afirmou. 

No mesmo dia, será celebrado o centenário de nascimento do Cardeal Paulo Evaristo Arns (1921-2016), Arcebispo de São Paulo entre 1970 e 1998. “Estaremos festejando seu legado, aquilo que ele deixou para a posteridade”, concluiu Dom Odilo.

OUÇA O PROGRAMA NA ÍNTEGRA 13.09.2022

Deixe um comentário