Fase arquidiocesana do Sínodo dos Bispos é aberta nas regiões episcopais

Além da missa de abertura da fase arquidiocesana do caminho sinodal na Catedral da Sé, na manhã do domingo, 17, presidida pelo Cardeal Scherer, Arcebispo Metropolitano, também aconteceram celebrações de abertura nas regiões episcopais na tarde do mesmo dia, à exceção da Lapa, onde a missa foi antecipada para o sábado, 16. Na Região Sé, a referida missa foi a já mencionada com o Arcebispo.

VEJA TAMBÉM

Mensagem do Cardeal Scherer à Arquidiocese de São Paulo no início da preparação para o Sínodo dos Bispos

Leia a seguir como ocorreram estas celebrações. Os conteúdos foram produzidos pelas equipes da Pastoral de Comunicação de cada região ou por pessoas por elas designadas.

Santana: Dom Jorge destaca o papel dos líderes paroquiais no caminho sinodal

Cerca de 700 fiéis participaram, na Região Santana, da missa de abertura da fase arquidiocesana do caminho sinodal, presidida por Dom Jorge Pierozan na Basílica de Sant’Ana, na tarde do domingo, 17. Participaram mais de 50 padres, três diáconos permanentes e representantes de várias comunidades religiosas.

Juliana Bacci

No início da celebração, Padre Andrés Gustavo Marengo leu a mensagem do Cardeal Scherer ao clero e aos leigos de São Paulo, na qual o Arcebispo Metropolitano destaca que as ações do processo sinodal podem ser exprimidas em três palavras: “encontrar, ouvir e discernir”.

Ao falar sobre o Sínodo durante a homilia, Dom Jorge Pierozan observou que, antes de encontrar – para escutar e discernir –, é preciso entender do que se trata: “Conosco, o Espírito Santo deseja realizar o Sínodo dos Bispos. Contribuiremos melhor se tivermos um entendimento anterior (a priori). É preciso compreender o chão em que estamos pisando”.

O Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Santana também citou uma declaração do Papa Francisco, feita durante a missa de abertura do Sínodo, no dia 10: “Fazer Sínodo significa caminhar pela mesma estrada, caminhar em conjunto”.

Dom Jorge conclamou a todos – leigos, padres, religiosos e religiosas – a atender à convocação do Papa: “Estejamos dispostos a compreender este Sínodo e a contribuir com o chamado da Igreja, cada um segundo a sua função, segundo a sua missão, segundo a sua vocação”.

No final, cada padre coordenador de Setor Pastoral, acompanhado de um leigo, recebeu das mãos do Bispo uma vela, como símbolo da cerimônia de abertura do Sínodo. As velas serão distribuídas a todas as paróquias da Região Episcopal e vão representar a luz ao longo do processo, até 2023.

Antes do encerramento da cerimônia, Dom Jorge Pierozan assinalou que, ao distribuir a comunhão, reconheceu entre os fiéis lideranças pastorais das paróquias. “Esses líderes serão muito importantes no caminho sinodal. Creio que muitos frutos surgirão”, afirmou.

(por Edmilson Fernandes)

Brasilândia: ‘uma convocação guiada pelo Espírito Santo’, diz Dom Carlos Silva

A missa de abertura da fase arquidiocesana do caminho sinodal foi realizada na Região Brasilândia na tarde do domingo, 17, na Paróquia São Luís Gonzaga, presidida por Dom Carlos Silva, OFMCap.

Taíse Cortês

O Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia comentou que o Sínodo é “uma convocação guiada pelo Espírito Santo”, pois nominar este acontecimento como encontro ou evento seria, no mínimo, reduzir significativamente o que ocorreu.

Para simbolizar a ação essencial do Espírito Santo no processo sinodal, todos os presentes acenderam velas. Representando também a esperança de que este Sínodo seja um novo Pentecostes, renove a vida e a vocação da Igreja, foi recebida a corte da Festa do Divino, tradicional manifestação da Freguesia do Ó com mais de 200 anos de existência em honra do Espírito Santo.

Na homilia, Dom Carlos Silva disse que o Papa Francisco sempre tem recordado que “o cristão é imerso nas águas do Batismo e nasce uma nova criatura” e, embora a lógica do mundo seja oposta ao Batismo e aos ideais cristãos, é preciso persistir no caminho.

“O Papa convoca a todos para a ação sinodal, buscando fortalecer a fé e incentivando a fraternidade”, ressaltou. O Bispo concluiu dizendo que o Sínodo “busca a revisão de vida e leva-nos à ação evangelizadora para diminuir o sofrimento e aumentar a esperança”.

Ao fim da missa, o Padre Cilto José Rosembach leu a mensagem do Cardeal Scherer, em que o Arcebispo Metropolitano explica o que é o Sínodo e apresenta os três passos pelos quais será realizado: encontrar (dimensão da Igreja em saída), ouvir (exercício de escuta e  acolhida a todos) e discernir (questionamentos, análises e tomada de decisões e atitudes).

Participaram da missa padres, diáconos e religiosos, leigos em geral e membros de movimentos, grupos pastorais, comunidades de vida e novas comunidades. A celebração foi transmitida pelo Facebook da Pascom Brasilândia (@pascombras), no qual também há fotos da missa.

(por Felipe Marques Ferreira)

Belém: ‘Uma proposta corajosa’, afirma Dom Luiz Carlos sobre o Sínodo

Na Região Belém, Dom Luiz Carlos Dias presidiu, na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, na Quarta Parada, a missa de abertura da fase arquidiocesana do caminho sinodal, na tarde do domingo, 17, com a participação do clero atuante na Região e fiéis que integram diferentes pastorais e movimentos.

Luiz Ivanov

Representantes das paróquias entraram com placas e bandeiras representando os setores pastorais e o Lecionário foi entronizado por membros da Pastoral da Pessoa com Deficiência antes da liturgia da Palavra.

No início da celebração, Padre Marcelo Maróstica, Coordenador Regional de Pastoral, destacou que o Papa “convida toda a Igreja a refletir este tema decisivo para sua vida e missão, pois – segundo Francisco – ‘é precisamente este caminho de sinodalidade que Deus espera da Igreja do terceiro milênio’”.

Após a saudação inicial, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Belém leu a carta escrita pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer a respeito dos propósitos e etapas do Sínodo.

Na homilia, Dom Luiz Carlos ressaltou a importância deste Sínodo: “Trata-se de uma proposta corajosa de um pastor corajoso e desejoso de encontrar um caminho para a Igreja recuperar a dinâmica expressa na primeira leitura [At 2,1-11], para revigorar a missão de semear com decisão em todo solo, como vemos no Evangelho. Neste período difícil pelo qual passamos, de crise interna, desânimo e propostas nem sempre originais que tensionam a vida eclesial, eis um caminho para que todos se manifestem na caridade fraterna”.

O Bispo também falou sobre a sinodalidade e a importância da participação dos leigos no Sínodo, abrindo-se à ação do Espírito Santo. Ao fim da celebração, representantes das 66 paróquias da Região receberam o instrumento de trabalho sinodal.

(por Fernando Arthur)

Lapa: Dom José Benedito ressalta o caminhar conjunto da Igreja

Na tarde do sábado, 16, na Paróquia Nossa Senhora da Lapa, foi realizada a missa de abertura da fase arquidiocesana do caminho sinodal na Região Lapa, presidida por Dom José Benedito Cardoso, com ampla participação do clero, coordenadores de pastoral, religiosos e religiosas, diáconos, seminaristas e leigos.

Benigno Naveira

No começo da missa, o Padre Geraldo Pereira, Assistente Eclesiástico de Animação Bíblico-Catequética da Região Lapa, lembrou que o Sínodo é uma convocação do Papa Francisco para que se faça “uma experiência bonita e rica de uma Igreja sinodal na comunhão, participação e missão, com o envolvimento de todos os membros. Somos chamados a caminhar juntos, a buscar juntos e agir juntos para redescobrir a nossa Igreja, da qual fazemos parte desde o nosso Batismo”.

Na homilia, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Lapa recordou que o Papa Francisco convida toda a Igreja a um caminhar conjunto, e para que, unidos, todos a redescubram.

Após a homilia, houve a entrada do Círio Pascal, momento no qual se recordou que a Igreja sinodal é aquela que tem um só Deus Pai, um só Senhor e Cristo, Salvador de todos, e o mesmo Espírito Santo, que está em todos, dá vida a tudo, anima e faz crescer a Igreja. Na sequência, Dom José acendeu a vela no Círio e os fiéis acenderam as velas que receberam para renovar a profissão de fé e, na sequência, a oração Adsumus, Sancte Spiritus.

Na parte final da missa, houve a entrega de uma vela do Sínodo aos padres responsáveis de cada paróquia. “Lembro que a participação de vocês, padres, diáconos, seminaristas, religiosos, religiosas e leigos das diversas representações pastorais foi muito significativa hoje, o que é muito importante para nós. Vamos ter que trabalhar rápido, pois teremos os meses de outubro, novembro e dezembro para fazer os trabalhos paroquiais, a fim de que, em janeiro, façamos a síntese a ser enviada à Arquidiocese”, recordou Dom José.

(por Benigno Naveira)

Ipiranga: Dom Ângelo diz que o Sínodo é momento para aprofundar a espiritualidade

Na Região Ipiranga, a missa de abertura da fase arquidiocesana do caminho sinodal aconteceu na tarde do domingo, 17, na Paróquia Nossa Senhora de Sião, presidida por Dom Ângelo Ademir Mezzari, RCJ, com a participação do clero, leigos, religiosos e religiosas.

Caroline Dupim

Em gesto simbólico, representantes dos cinco setores pastorais – Anchieta, Cursino, Imigrantes, Ipiranga e Vila Mariana – participaram da procissão de entrada com um punhado de terra nas mãos, que foi depositado em uma muda de oliveira, a fim de simbolizar o enraizamento de uma árvore frutífera neste início de caminho sinodal.

Ao longo da celebração, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga enfatizou a singularidade do início do Sínodo, ressaltando que este é um momento que deve ter destaque na vida pastoral e pessoal dos católicos “Hoje, cada um de nós é testemunha histórica, protagonista e agente da promoção do caminho sinodal”, afirmou na homilia.

Dom Ângelo destacou também o real sentido que o Papa Francisco, inspirado pelo Espírito Santo, propõe que se vivencie. “O Sínodo nos convida a fazer não só uma participação pastoral, mas um momento de aprofundamento em nossa espiritualidade. Este é um caminho de experiência espiritual, estimulada pela Palavra de Deus”, disse, enfatizando também que “a proposta não é alcançar resultados materiais, mas, sim, viver verdadeiramente este momento sinodal, na pluralidade da nossa igreja, caminhando sempre juntos, em unidade”.

(por Caroline Dupim)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter