Festa do Batismo do Senhor: ‘Eis meu filho amado’

Festa do Batismo do Senhor: ‘Eis meu filho amado’, Jornal O São Paulo
Reprodução da internet

Com a festado Batismo do Senhor, celebrada no domingo, 9, encerra-se o ciclo litúrgico do Natal.

A partir da segunda-feira, 10, começa a primeira parte do Tempo Comum, que segue até a véspera da Quarta-Feira de Cinzas, em 2 de março, quando começa a Quaresma.

No artigo a seguir, o Cônego Celso Pedro, sacerdote da Arquidiocese de São Paulo e Doutor em Teologia Bíblica, reflete sobre o significado dessa festa litúrgicada Igreja. Confira:

Batismo do Senhor

Hoje Jesus se manifesta ao ser batizado com todo o povo. Ele está em oração, o céu se abre e o Espírito Santo desce sobre ele, em forma corpórea, como pomba, e do céu vem uma voz, que diz: Tu és o meu Filho amado, em ti está o meu agrado. O relato se concentra no Pai, no Filho e no Espírito. A Trindade se manifesta no Filho amado que acaba de ser batizado junto com todo o povo. Não há mais nada na cena descrita por Lucas, nem João Batista. A Carta a Tito vê no Batismo de Jesus a manifestação da graça salvadora de Deus a toda a humanidade. Em sua bondade, Deus nos salva mediante o batismo, que é um banho de novo nascimento e de renovação pelo Espírito Santo. Deus derrama copiosamente o Espírito sobre nós por Jesus Cristo. Todos nós nos tornamos herdeiros, não de coisas que passam, mas da vida eterna.

Assim Jesus dá início à sua missão. Daqui para frente, ele será levado por toda parte pelo Espírito Santo. O Verbo encarnado tem a garantia do amor do Pai e do impulso do Espírito. Ele não é um simples líder, nem ainda uma ideia projetada na história. É o Filho amado, credenciado pelo Pai e pelo Espírito Santo. Podemos segui-lo com segurança. Olhemos novamente a cena descrita por Lucas: “Enquanto todo o povo era batizado e Jesus, batizado, estava em oração…” Jesus está orando no meio do povo batizado. Jesus e o povo batizado formam uma só realidade. Esta realidade é a congregação do gênero humano. Olhar para outro lugar distrai e desvia. Fiquemos com Cristo e o povo.

A iniciação cristã se faz pelos sacramentos do Batismo, da Crisma e da Eucaristia. A graça recebida é a mesma, é a vida de Deus em nós. As circunstâncias são distintas. Viva seu Batismo, participe da Eucaristia e se não foi Crismado, procure sê-lo.

Cônego Celso Pedro da Silva

(Artigo publicado originalmente em 10/01/2016)

Deixe um comentário