‘Maria nos acolhe, nos atende como mãe e nos reconhece como filhos’

Em seu programa de rádio, Dom Odilo comentou sobre a festa do Santíssimo Nome de Maria

‘Maria nos acolhe, nos atende como mãe e nos reconhece como filhos’, Jornal O São Paulo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

“Iniciamos mais uma semana, com a graça de Deus e agradecendo que Ele nos dá a vida, saúde para podermos retomar nossas atividades e fazer os nossos trabalhos, e desta forma, ganhar o pão de cada dia e dar a nossa contribuição para este mundo dos homens e de Deus, onde somos chamados a fazer a nossa parte”, assim Dom Odilo Pedro Scherer iniciou a semana no “Encontro com o Pastor” da segunda-feira, 12, na rádio 9 de Julho

SANTÍSSIMO NOME DE MARIA

O Arcebispo recordou a festa litúrgica do Santíssimo Nome de Maria. “No dia 8 de setembro, há poucos dias, celebramos o nascimento de Maria, a festa da Natividade de Nossa Senhora, supõe-se que, depois do nascimento, venha o nome”, afirmou. 

“Maria é o nome da mãe de Jesus e depois de tantas outras mulheres que receberam este nome em honra dela, colocadas sob proteção do olhar materno de Maria, mãe de toda a humanidade, da Igreja e dos discípulos de Jesus”, frisou. 

Dom Odilo também ressaltou que Nossa Senhora é invocada na Ave-Maria, nas ladainhas e em breves orações. “Maria nos acolhe, nos atende como mãe e nos reconhece como filhos”, destacou, exortando os fiéis a honrarem o nome de Maria nas orações, e a colocarem um sinal de Nossa Senhora em casa e no trabalho, como uma vela ou flores em frente a uma imagem mariana ou de um quadro de Nossa Senhora. 

EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

Na quarta-feira, 14, a Igreja celebra a festa da Exaltação da Santa Cruz. Sobre esta liturgia, Dom Odilo ressaltou que a “exaltação da Santa Cruz significa a louvação da Cruz de Cristo, que suportou e carregou o corpo de Jesus”, e afirmou que a “Cruz é a árvore nova que produziu um fruto bom, de vida e salvação, que trouxe esse fruto, que ao invés de levar a humanidade para a morte, levou a humanidade para a vida”, enfatizando que este “fruto” é o próprio Cristo. 

O Cardeal afirmou que nesta celebração, se recorda a Cruz de Cristo, esta que é “salvadora e que honramos e reconhecemos como sinal de Deus e sinal de misericórdia, do amor infinito de Deus por nós”. 

O Purpurado recordou que “também nós temos nossas cruzes” e que devem ser carregadas com paciência e com coragem. “Quem resolve seguir Jesus Cristo, seguir o caminho do Evangelho, prepare-se para as cruzes que elas certamente virão”, afirmou. 

Além disso, ressaltou que essas cruzes são de escolhas difíceis, que envolvem ter perseverança e suportar a perseguição, o desprezo e o sofrimento, que muitas vezes vem por causa do desprezo à religião e ao nome de Jesus. 

Dom Odilo convidou os ouvintes a participarem desta festa litúrgica nas paróquias e comunidades da Arquidiocese, e recordou que às 12h do dia 14, presidirá missa na Catedral, celebrando também a conclusão do ano centenário comemorativo ao nascimento do Cardeal Arns (1921-2016), que foi Arcebispo de São Paulo entre 1970 e 1998.

OUÇA O PROGRAMA NA ÍNTEGRA 12.09.2022

Deixe um comentário