Missionários Claretianos comemoram 125 anos de presença no Brasil

Cardeal Scherer preside missa da memória de Santo Antônio Maria Claret (Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Uma missa presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na Paróquia Imaculado Coração de Maria, na Vila Buarque, no sábado, 24, marcou a comemoração da memória de Santo Antonio Maria Claret, fundador da Congregação dos Missionários Claretianos, que, em 2020, comemora 125 anos de presença no Brasil.

A Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria foi fundada em 16 de julho de 1849, na cidade de Vic, Espanha. A congregação nasceu com um forte espírito missionário expresso no seu objetivo vital de anunciar a Palavra de Deus pelo mundo, usando todos os meios possíveis. A congregação é composta de sacerdotes e irmãos consagrados. Também conta com o apoio de inúmeros leigos que vivem a espiritualidade e carisma claretiano na sociedade.

Na homilia, Dom Odilo recordou que Santo Antonio Maria Claret (1807-1870) foi um grande missionário, sendo enviado à ilha de Cuba, onde foi Bispo e realizou um admirável trabalho evangelizador. “Nós lembramos esse grande homem, Bispo, pastor da Igreja, que dedicou sua vida ao Evangelho e aos irmãos, e a Igreja o proclamou Santo para dizer que a vida dele é um exemplo a ser buscado”, afirmou.

NO BRASIL

Os primeiros missionários claretianos chegaram ao Brasil em 19 de novembro de 1895, instalando-se em São Paulo. Os fundadores da missão brasileira eram os padres Raimundo Genover, Eusébio Sacristián Villanueva, José Domingos Aguero, Lorenzo Playán, Geraldo Palomera Font, Rafael Fernandes Palacios e os irmãos Ramon Ramon Solé, Jaime Rovira Solé, José Rosset Torrens e Baldomero Dueñas Hernandes.

“Tudo era novo para estes homens: língua, costumes, clima, manifestações religiosas… No entanto, todos estavam imbuídos de uma mística missionária enfatizada na disposição de entregar a vida pela missão e pela salvação de todos os seres humanos, no espírito de sacrifício e coragem ante os perigos. Todos tinham certeza de que a amada congregação os acompanhava nesta nova e empolgante missão nas terras da Santa Cruz”, afirmou o Padre Marcos Aurélio Loro, Superior Provincial dos claretianos no Brasil.

Inicialmente, os missionários se dedicaram à evangelização por meio das missões populares nas paróquias, dos exercícios espirituais para o clero e os seminaristas. Em 1897, foi lançada a pedra fundamental da Igreja Imaculado Coração de Maria, primeira comunidade entregue aos cuidados dessa congregação e que, em 1965, tornou-se Paróquia.

EDUCAÇÃO

A educação era uma frente missionária dos claretianos na Espanha desde a década de 1860, quando o próprio fundador viu nas escolas um espaço no qual era possível anunciar o Evangelho, não apenas aos alunos, mas também às suas famílias e, consequentemente, à sociedade.

No Brasil, a congregação iniciou as atividades educativas em 1925, ao assumir a administração do Colégio São José, em Batatais (SP). Nascia, assim, a Rede Claretiana de Educação, que hoje está presente em São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pará e Distrito Federal, atendendo tanto na Educação Básica como no Ensino Superior. 

Um de seus ex-alunos é o próprio Cardeal Scherer, que estudou no Studium Theologicum Claretiano, em Curitiba (PR), na década de 1970. 

Igreja Imaculado Coração de Maria, que começou a ser construída em 1897, pelos missionários Claretianos (Arquivo/Claretianos)

EDITORA

Outro marco da história dos claretianos no Brasil foi a publicação da revista Ave-Maria, em 1898, considerada a primeira revista mariana do País, dando origem à Editora Ave-Maria, responsável pela edição de uma das traduções da Bíblia mais vendidas no Brasil, lançada em 1950.

“Recordo que dezenas de irmãos missionários iam de casa em casa evangelizar e levar a Palavra de Deus por meio da revista Ave-Maria”, relatou o irmão Hely Vaz Diniz, missionário claretiano há 54 anos.

Atualmente, os claretianos desenvolvem sua missão por meio da evangelização nas paróquias, educação e obras sociais. Estão presentes nas cinco regiões brasileiras e possuem uma missão em Moçambique, ligada à província.

“Vejo, nesses 125 anos, como legado dos claretianos: homens que não se acomodaram, procuraram e continuam a responder às exigências da evangelização no Brasil”, afirmou o Superior Provincial, salientando, ainda, que o missionário claretiano se esforça para ser aquilo que o Fundador ensinou:

“Um filho do Imaculado Coração de Maria é um homem que arde em caridade e abrasa por onde passa. Deseja eficazmente e procura por todos os meios inflamar o mundo no fogo do divino amor. Nada o detém. Alegra-se nas privações. Enfrenta os trabalhos. Abraça os sacrifícios. Compraz-se nas calúnias. Alegra-se nos tormentos e dores que sofre e gloria-se na cruz de Jesus Cristo. Não pensa senão em como seguir e imitar Cristo na oração, no trabalho e no sofrimento, procurando sempre e unicamente a maior glória de Deus e a salvação dos homens”.

(Colaborou: Flavio Rogério Lopes)

Notícias relacionadas

Comentários

  1. To whom it may concern,
    My name is Fr. Stephen Arabadjis.  I am a member of the Society of St. Pius X.  But I am in my 6th year of Sabbatical.Therefore I was hoping your seminary could do a 54 day rosary novena for my intentions.  But any prayers and sacrifices would be greatly appreciated.  I know Our Lady will reward you generously for this.
    In Our Lady,
    Fr. Arabadjis
    P.S. Thanking you in advance, since I don’t always get all my communications.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter