‘Na cruz, o Filho de Deus feito homem entregou a sua vida por nós’

Destacou o Cardeal Odilo Pedro Scherer em seu programa diário de rádio

‘Na cruz, o Filho de Deus feito homem entregou a sua vida por nós’, Jornal O São Paulo
Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO

A Festa da Exaltação da Santa Cruz, celebrada por toda a Igreja na quinta-feira, 14, foi o tema central da reflexão do Cardeal Odilo Pedro Scherer no programa “Encontro com o Pastor”, da rádio 9 de Julho, neste dia.

Inicialmente, o Arcebispo Metropolitano destacou que o cristãos olham para  a cruz de Cristo com fé e esperança, pois se antes ela era sinal de maldição, de condenação, “tornou-se sinal de bênção, de salvação, de vida, de perdão, porque, na cruz, o Filho de Deus feito homem entregou a sua vida por nós. Deus aceitou o sacrifício da sua vida em remissão dos nossos pecados, para que nós, por meio Dele, obtivéssemos graça, perdão, misericórdia”.

Dom Odilo enfatizou que desde o Batismo, o cristão é marcado com o sinal da cruz, e deve repeti-lo cotidianamente para expressar a sua pertença a Cristo e à Igreja.

“Nós somos os discípulos de Jesus crucificado, aqueles que caminham com Ele também carregando a nossa cruz. Por isso, ao longo de toda a vida, somos chamados a ser aqueles que se gloriam, que valorizam Jesus na cruz”, comentou.

CARREGAR A PRÓPRIA CRUZ E AJUDAR O PRÓXIMO

Ao cristão – prosseguiu o Arcebispo Metropolitano – também compete aliviar as cruzes do irmãos – que podem ser diversas, como a dor, o sofrimento, o desprezo, a injustiça e o luto, por exemplo. “Nós devemos ajudar essas pessoas a carregar e aliviar suas cruzes, como fez o bom Cirineu, que carregou a cruz quando Jesus já não conseguia mais carregá-la”.

Dom Odilo pediu para que Deus conceda a todos “a sua graça e a força de carregar a própria cruz todos os dias. Lembremos que se nós quisermos carregar sozinhos a cruz, ela nos esmaga. Porém, se a carregamos com Cristo, a nossa cruz se torna mais leve”.

O Arcebispo Metropolitano também destacou que é preciso transmitir            às novas gerações o hábito de fazer o sinal da cruz. “Os pais podem explicar o que significa o sinal da cruz, por que dizemos tais as palavras ao fazê-lo”, comentou.

MEMÓRIA DO CARDEAL ARNS

Por fim, Dom Odilo recordou que neste 14 de setembro se recorda o aniversário de nascimento do Cardeal Paulo Evaristo Arns, nascido em 1921, e morto em dezembro de 2016, aos 95 anos de idade, tendo sido Arcebispo de São Paulo, entre 1970 e 1998.

Ao meio-dia dessa quinta-feira, Dom Odilo presidiu missa na Catedral da Sé, demarcando o encerramento do ano comemorativo ao centenário de nascimento de Dom Paulo Evaristo Arns, durante o qual ocorreram uma série de eventos recordar os feitos e a biografia do ‘Cardeal da Esperança’.

“Elevamos novamente louvores a Deus, agradecendo pela vida tão operosa, tão fecunda de Dom Paulo no meio de nós, a serviço da Arquidiocese de São Paulo, da Igreja e da humanidade”, concluiu Dom Odilo.

O programa “Encontro com o Pastor” vai ao ar na rádio 9 de Julho, de segunda-feira a sábado, às 7h, com reprise às 12h03.

Deixe um comentário