Nota da Presidência da CNBB sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou, nesta terça-feira, 9 de fevereiro, uma nota na qual esclarece pontos referentes à realização da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, cujo tema é: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema: “Cristo é a nossa paz. Do que era dividido fez uma unidade”,  (Ef 2,14a).

ACESSE A VERSÃO EM PDF DA NOTA

LEIA A ÍNTEGRA A SEGUIR

NOTA DA PRESIDÊNCIA DA CNBB

Irmãos e irmãs em Cristo Jesus,

“Não apagueis o Espírito, não desprezais as profecias,
mas examinai tudo e guardai o que for bom” (1 Ts 5,21)

1. No exercício de nossa missão evangelizadora, deparamo-nos com inúmeros desafios, diante dos quais não podemos esmorecer, mas, ao contrário, buscar forças para responder com tranquilidade e esperança.


2. Nosso país vive um tempo entristecedor, com tantas mortes causadas pela covid-19, um processo de vacinação que gostaríamos fosse mais rápido e uma população que se cansou de seguir as medidas de proteção sanitária. Nosso coração de pastores sofre diante de tantas sequelas que surgem a partir da pandemia, em especial o empobrecimento e a fome.

A Campanha da Fraternidade 2021 e suas características


3. Em meio a tudo isso e atendendo à solicitação de irmãos bispos, desejamos abordar a Campanha da Fraternidade deste ano. Algumas afirmações têm ocasionado insegurança e mesmo perplexidade.


4. Como sabemos, a Campanha da Fraternidade é uma riqueza da Igreja no Brasil, nascida e amadurecida não sem dificuldades e mesmo sofrimentos. A cada Campanha, o aprendizado se fortalece e se mostra continuamente necessário. Assim acontece com cada tema escolhido e assim acontece quando as Campanhas, desde o ano 2000, são feitas em modo ecumênico.


5. Para este ano, o tema escolhido foi o diálogo, com o tema, portanto, fraternidade e diálogo: compromisso de amor. Trata-se, como explicado nas formações feitas pelo nosso Setor de Campanhas, do recolhimento dos temas anteriores, em especial desde 2018, que tratou da superação da violência, até 2020, quando apresentou-se a proposta cristã do cuidado.


6. Para 2021, conforme aprovação em nossa Assembleia Geral de 2018, a Campanha foi construída ecumenicamente e, conforme costume desde o ano 2000, sob a responsabilidade do CONIC. Nas primeiras reuniões, discerniu-se pelo tema do diálogo, urgência num tempo de polarizações e fanatismos, cabendo então ao CONIC a construção do texto-base. Isso foi feito conforme está explicado na apresentação do mesmo, com detalhamento da equipe elaboradora, na pág. 9.

7. Consequentemente, o texto seguiu a estrutura de pensamento e trabalho do CONIC. Foram realizadas várias reuniões, o texto passou por revisão da assessoria teológica do CONIC, uma assessoria com membros das diversas igrejas, chegando, então, ao que hoje temos. Não se trata, portanto, de um texto ao estilo do que ocorreria caso fosse preparado pela comissão da CNBB, pois são duas compreensões distintas, ainda que em torno do mesmo ideal de servir a Jesus Cristo. O texto-base desse ano, por conseguinte, deve ser assim compreendido, como o foi nas Campanhas da Fraternidade levadas a efeito de modo ecumênico.

Algumas questões específicas


8. Nos últimos dias, reações têm surgido quanto ao texto. Apresentam argumentos que esquecem da origem do texto, desejando, por exemplo, de uma linguagem predominantemente católica. Trazem ainda preocupações com relação a aspectos específicos, a saber, as questões de gênero, conforme os números 67 e 68 do referido texto.

9. A doutrina católica sobre as questões de gênero afirma que “gênero é a dimensão transcendente da sexualidade humana, compatível com todos os níveis da pessoa humana, entre os quais o corpo, a mente, o espírito, a alma. O gênero é, portanto, maleável sujeitos a influências internas e externas à pessoa humana, mas deve obedecer a ordem natural já predisposta pelo corpo” (Pontifício Conselho para a Família, Lexicon – Termos ambíguos e discutidos sobre família, vida e questões éticas., pág. 673).

Uma ajuda destacável


10. Já pronto o texto-base, fomos presenteados com a Fratelli Tutti, que recomendamos vivamente seja também utilizada como subsídio para a Campanha da Fraternidade deste ano. Ela estabelece forte conexão entre o tema de 2020 e o de 2021, cuidado e diálogo, e muito ajudará na reflexão sobre o diálogo e a fraternidade.

Coleta da Solidariedade


11. Junto com essas preocupações de conteúdo, surgiu ainda a sugestão de que não se faça a oferta da solidariedade no Domingo de Ramos, uma vez que existiria o risco de aplicação dos recursos em causas que não estariam ligadas à doutrina católica.


12. Lembramos que, em 2019, foi distribuída pelo Fundo Nacional de Solidariedade – FNS a quantia de R$3.814.139,81, fruto da generosidade de nossas comunidades, não se incluindo nessa quantia o que foi destinado aos fundos diocesanos. Em 2020, por causa da pandemia, não ocorreu arrecadação. Somente com a ajuda da instituição alemã Adveniat conseguimos atender a 15 projetos.


13. Sobre isso, recordamos que o FNS segue rigorosa orientação, obedecendo não apenas a legislação civil vigente para o assunto, mas também preocupação quanto à identidade dos projetos atendidos. Desde o início da construção da Campanha da Fraternidade de 2021, temos informado ao CONIC a respeito da dificuldade e até mesmo da impossibilidade de mantermos a estrutura do Fundo de Solidariedade como ocorrido nas Campanhas ecumênicas anteriores. Sobre este ponto, tendo como base a última dessas Campanhas, a de 2016, esta Presidência já manifestou ao CONIC as dificuldades e, por espírito de comunhão e corresponsabilidade, vai conversar sobre o assunto na próxima reunião do CONSEP. A conclusão será informada em seguida.

Desse modo:


14. Em consequência, respeitando a autonomia de cada irmão bispo junto aos seus diocesanos e como não poucos irmãos nos têm solicitado indicações para informar ao povo sobre a CF 2021, consideramos importante que sejam destacados os seguintes aspectos:
1) A Campanha da Fraternidade é um valor que não podemos descartar.
2) Alguns temas, conforme seu modo de ser apresentado, tornam-se mais difíceis que outros.
3) A Igreja tem sua doutrina estabelecida a respeito das questões de gênero e se mantém fiel a ela.
4) Os recursos do Fundo Nacional de Solidariedade serão aplicados em situações que não agridam os princípios defendidos pela Igreja Católica.
5) A causa ecumênica se mantém importante. “Uma comunidade cristã que crê em Cristo e deseja com o ardor do Evangelho a salvação da humanidade não pode de forma alguma fechar-se ao apelo do Espírito que orienta todos os cristãos para a unidade plena e visível … O ecumenismo não é apenas uma questão interna das comunidades cristãs, mas diz respeito ao amor que Deus, em Cristo Jesus, destina ao conjunto da humanidade; e criar obstáculos a este amor é uma ofensa a Ele e ao Seu desígnio de reunir todos em Cristo” (S. João Paulo II, Encíclica Ut Unum Sint, 99)
15. Concluímos lembrando a importância da Campanha da Fraternidade na história da evangelização do Brasil. É nossa marca. Cabe-nos cuidar dela, melhorá-la sempre mais por meio do diálogo, assim como nos cabe cuidar da causa ecumênica, um ideal que se nos impõe. Se nem sempre é fácil cuidar de ambos e de muitos outros aspectos de nossa ação evangelizadora, nem por isso devemos desanimar e romper a comunhão, uma de nossas maiores marcas, um tesouro que o Senhor Jesus nos deixou e do qual não podemos abrir mão. Não desanimemos. Não desistamos. Unamo-nos.

Brasília-DF, 09 de fevereiro de 2021


Dom Walmor Oliveira de Azevedo

Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-Presidente da CNBB

Dom Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima (RR)
Segundo Vice-Presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB

Notícias relacionadas

Comentários

  1. Um bando de hipócritas criticando a Igreja. Não enxergam nem a trave em seus olhos, querem dar pitaco nos pontos defendidos pela CNBB, CONIC etc.
    Reflitam antes critique!
    Cambada de bostas.

  2. Fico triste vendo catolicos julgando sem piedade até aos bispos.
    Catolico é quem vive em comunhao com a igreja, papa e bispos. Quem vos ouve a mim ouve.
    Quem nao vive esta comunhão deixou de ser católico.
    Paramos em uns artigos do texto que podem ser discutíveis, e esquecemos o nucleo importante, a alma desta campanha. O dialogo não a exclusão do diferente.
    As polemicas que existem são a prova que esta campanha vem do Espirito santo que quer unidade, dialogo, respeito ao outro, captar os valores do outro.
    Isso é amar, esta é a alma do cristianismo.
    Precisamos todos nos converter ao dialogo.
    Jesus pede de amar o outro como a si mesmo
    Portanto amar a igreja do outro como a minha, sem desistir da nossa identidade.
    Devo ser eu para amar e ajudar e completar o outro

    Católico é pessoa que é como Deus, de todos, amando a todos. Catolico , significa aberto a todos. Mas com minha identidade.

    Deus é pai de todos
    Portanto nos somos todos filhos e irmãos entre nós
    Todos irmãos. Todos… Todos.

    Quem polemiza já leu o texto?

    Leiam.. é lindo.

    É texto do Conig não da CNBB

    É bonito
    Porque parar em coisas segundarias

    Sofro vendo pessoas acima escrevendo sem amor

    Parem. Seremos julgados na medida que julgamos os outros

    Precisamos de dialogo
    Não conseguimos nem dialogar entre católicos

    Bemvinda campanha sobre o dialogo

    Dialogo onde nao se sabe ou nao se quer dialogar

    Nós fazemos uma linda experiência de ecumenismo

  3. Lamentavelmente, a CNBB legitima um movimento esquerda que vem sendo infiltrado a anos na Igreja Católica. Movimentos sociais a serviço de implantação do comunismo, nunca realizou Missão Evangelizadora, mas missão política e ideológica; no meio da Bíblia santinho de candidatos, cujo senhor absoluto, o bom ladrão; até a pouco era apenas as universidades sob a teoria marxista e escolas sob a filosofia de Paulo Freire; hoje, também a Igreja Católica traz a filosofia de uma militante política e defensora do Aborto e do movimento feminista que apaga o nome Sagrado da Mãe de Cristo. O objetivo do tema da CF deste ano é politico e ideológico; Assim como Mariele muitas pessoas já foram assassinadas, porém, esquecidas por que não tem representatividade politica; ela está posta pelo fato de ser representante LGVT e defensora do ABORTO.
    Pamem, que nem mesmo a Catequese de crianças e adolescentes foge aos olhos dos insensatos. A Igreja precisa trabalhar com as Famílias e ajudá-las em tudo o que precisarem; dar apoio às mães que sofrem e choram por perderem seus filhos as drogas e a prostituição; de acompanhar os jovens que vivem sob a égide da tentação das drogas e da prostituição, muitas vezes por falta de empregos e oportunidades; vemos pais em filas, desempregados e desesperançados sem direção espiritual; mesmo em tempo de pandemia, vemos muitos aposentados e pensionistas fiéis à Sagrada Família que pagam seus dízimos enquanto lutam para conseguir seus medicamentos em filas do SUS; por tudo isso, sou contra doação da Campanha da Fraternidade, Deus nos livre de financiar Aborto.

  4. A voz dos pastores que não rezam, a vos dos pastores que querem fazer o povo engolir a teologia da libertação. Um simples conselho, imitem Jesus que trabalhava pelo povo, curando, pregando, ensinando, mas sempre arrumava tempo para estar a sós com o Pai. Tem muito Bispo mamando nas tetas do povo sofrido, se acham deuses e imortais, ouçam o verdadeiro clamor do povo e a verdadeira voz de Deus.

  5. Não adianta comentar… A CNBB pisou feio na bola e agora colocou um Alan “passador de banha” para remendar o impossível.
    Lamento a CNBB ser conduzida por vermelhos que jamais lutaram pelo Evangelho!

  6. Minha irmã , a senhora conhece os documentos do nosso Papa Francisco? A Alegria do Evangelho, Laudato Si, Fratelli Tutti? Somos chamados a viver o respeito com amor e misericórdia. Amenos o próximo, seja ele quem for, é teremos o Reino Celeste.

  7. O tema é polêmico, mas coerente com as orientações do Santo Padre. Nossos Bispos não podem ser apedrejados, viver o ecumenismo é algo dificil. Saíamos do nosso comodismo e aproveitemos o momento para superarmos velhas práticas que já cativaram e nao São essenciais à vivência do Evangelho. O amor a Deus e ao próximo sim, é essencial.

  8. Que vergonha, que tristeza ver como nossos pastores estão conduzindo suas ovelhas, quero um texto base católico….esse texto está fora do contexto da minha igreja 😢😢😢

    • Minha irmã , a senhora conhece os documentos do nosso Papa Francisco? A Alegria do Evangelho, Laudato Si, Fratelli Tutti? Somos chamados a viver o respeito com amor e misericórdia. Amenos o próximo, seja ele quem for, é teremos o Reino Celeste.

  9. Se o texto foi redigido pela CONIC, por que a igreja é obrigada a engolir o tema?! É uma vergonha esse texto base. Tá explícita a bandeira político/partidária/ideológica. Nós católicos somos os principais “consumidores” da campanha. Afeta a nós.

  10. Deus mandou seu Filho ao mundo para sofrer por nossos pecados, e assim ele o fez, e antes de morrer Ele disse a Pedro: Pedro, em cima de ti construirei a minha (possessivo) Igreja, quer dizer, sobre à autoridade de Pedro, então, podemos dizer que só tem uma Igreja de Cristo, a Igreja Católica. Não é qualquer homem que pode construir uma igreja. Reza que um soldado chegou ao Napoleão Bonaparte e disse: senhor já temos o nosso deus (que era Napoleão), só falta o senhor abrir uma igreja! Ele respondeu: meu bom soldado, para se abrir uma igreja precisa-se de duas coisas, MORRER e RESSUSCITAR: a primeira eu não quero e a segunda eu não posso. Por isso, nos envergonham muito a CNBB fazer a CF ecumênica, não precisamos desses bispos comunistas. Há muito tempo que não dou um centavo pra CF, prefiro com o dinheiro comprar uma cesta básica e uma muda de roupa e dar ao meu irmão mais próximo.

  11. Como deixar “ a Campanha sob responsabilidade do CONIC”? Pra mim, enquanto católico não acho saudável sermos conduzidos por outros “pastores”. CONIC não representa nossa Igreja, definitivamente não me representa! Talvez o maior erro, seja realmente nao ser dos Bispos, ou de uma Congregação, ou algum Padre, ou alguma Comunidade de Vida, etc, etc… católico, a RESPONSABILIDADE da Campanha. Se é dirigida às Paróquias, na minha modesta opinião deve haver uma visão católica, não do CONIC predominantemente não católico. Deixar que alguém que tem declarações pro-abortista seja a “alma” da Campanha, Permitir que se diga que a grande Divisão causada por Lutero foi inspirado pelo Espírito Santo, contradiz a própria ideia de Ecumenismo. (Busca de união…) não podemos dizer, ao menos na minha visão – sem conhecimento – , que o Espírito Santo quem promoveu este cisma. Enfim… acho que ha pontos infelizes nessa Campanha, justamente por não ter sido realizada, escrita sob o Manto de Maria, (nem sequer mencionar Seu nome…), sob a ótica Católica… mas sim, por pessoas que não podem ser nossa referência de pastoreio, nem sequer, pelas falas da “alma” da campanha, como pessoa.

  12. Dar crédito e confiar à pessoas militantes, apoiadoras do aborto e da ideologia de gênero, a responsabilidade de escrever o texto base da Campanha e suas diretrizes, é simplesmente inaceitável, irresponsável e, no mínimo abrir brechas para o inimigo de Deus roubar e saquear a Santa Igreja de Deus. Como católico praticante e que amo Minha igreja, minha indignação e decepção.

    • Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra. Devemos respeito aos sacerdotes! Sao humanos e erram sim, como todos nós batizados, mas são “sacerdotes eternamente segundo a ordem do Rei Melquisedec”. “Não toqueis nós meus ungidos “.

    • Vamos aprender a escrever primeiro… (Fasso?!?!?)

      Faça é uma forma do verbo fazer nomeadamente a primeira e terceira pessoa do singular do presente do conjuntivo e a terceira pessoa do singular do imperativo do verbo do verbo.

      que eu [ faça ], que ele; ela; você [ faça ], [ faça ] ele; ela; você

  13. Gente, ecumenismo não é achar que todas as religiões estão corretas e cada um faz o que quer dentro da Igreja. Achar que devemos perdoar todos, mesmo sabendo que estamos ofendendo à Deus, isso é um absurdo!
    Que pobreza. A secretária-geral do CONIC, pastora Romi é uma lástima!
    Que atraso, que tristeza. Rezar muito pela Igreja, pelo Papa. Que Deus tenha misericórdia de nós!

  14. Não preciso de campanha da fraternidade,ela não leva ninguém a conversão,e esse ecomenismo humano só dá nisso mesmo ,o homem agora é Deus capaz de unir os pensamentos dos outros? Essa unidade é uma ação de Deus e isso vai acontecer no tempo de Deus e não homens mergulhados no pecado do orgulho , homens soberbos querer fazer isso acontecer devemos reconhecer a nossa insignificância .

    • Discordo grandemente da sra. Precisamos de diálogo e campanha sim . Estender a mão e a palavra ao próximo nos aproxima de Deus…. reflita mais sober o tema e seu comentário..

    • Boa tarde, minha irmã. Precisamos sim da Camanha da Fraternidade, a menos que sejamos cristãos alienados, que tavam os olhos pra realidade, à espera de um reino futuro. Mas o reino é vivido já agora, em nosso dia a dia, vivendo o respeito com amor e misericórdia.

    • Me desculpe Alan mas discordo duplamente..
      A campanha da fraternidade só existe no Brasil. Se é tão necessária como vc diz, quer dizer que os outros países , sem CF, estão perdidos e na obscuridade? Claro que não..
      Jesus foi claro para Pilatos: ” o meu reino não é deste mundo”. Me desculpe, o reino não começa aqui…Aqui é preciso salvar almas. Falar a verdade é amar. Acolher é amar…Ser conivente e “passar a mão na cabeça” não é. Jesus sempre que acolhia alguém, dizia ” vá e não peques mais”. Não existe vá e continue na sua vida.. É lógico que TODOS pecamos, mas é por isso que existe a Igreja, para que nos ajudemos mutuamente na caminhada. Não vejo como este texto, mal escrito, com erros teológicos, possa ajudar neste sentido.

  15. Quanta falta de formação cristã católica. Lamentavel. Esqueceram o que disse Jesus? “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,20).” Quem inspira as ações de nossa religião é o próprio Espírito Santo. Portanto quem ataca nossos pastores escolhidos por Deus é a Ele que estão se dirigindo. Tenham fé. Ninguém vai deixar de ir para o céu se seguir as orientações da Igreja. Na sua infinita misericordia e compaixão para com todos as pessoas que seguirem sua consciência encontraremos também muitos irmãos nossos mesmos de outras religiões no céu. Tenham confia ça em Jesus Cristo que morreu na cruz para salvar todo o gênero humano. Que M.SS. e Jesus nos abençõe. Um abraço fraterno e cristão a todos.

  16. Como tem católico enrustido, travestido de cristão dentro da igreja!
    Imagina se tivessem que tomar a posição de Jesus, que perdoou ladrão, hipócrita, prostituta…
    Enquanto imperar o egoísmo nos corações, não adianta falar em penitência, comunhão ou conversão. Desse jeito, não só as Campanhas da Fraternidade que perdem o sentido, mas a própria Quaresma torna-se sem efeito.
    É preciso ressignficar a figura de Cristo nos dias de hoje, na Igreja e fora dela.

  17. Infelizmente tenho a reconhecer que os que se dizem católicos estão precisando se aprofundar no evangelho de Cristo, refletindo profundamente sobre as suas palavras e praticando os seus ensinamentos. Vamos procurar trabalhar a amorosidade entre irmãos. Só assim poderemos crescer em humanidade, em santidade e fazer crescer a nossa Igreja Católica. Abraçar e não rejeitar, acolher amorosamente e não excluir devem ser máximas entre nós, assim como fez Jesus.

  18. Decepcionante!!
    Já ha alguns anos que está uma vergonha, estão abolindo sutilmente a fé católica, e implantando politicagem com a teoria da libertação.
    Este ano extrapolaram todos os limites retirando todos os sagrados de nossa fé católica. “Jesus, Maria e família tradicional”.
    Basta!! Chega de mentiras e falsidades!
    Queremos uma retratação da CNBB e destes bispos responsáveis.
    se é tão importante este coleta da Campanha da fraternidade, que seja feita nova campanha da Fraternidade 2021 com os valores católicos e não está enrolação que estão tentando fazer.

  19. “1) A Campanha da Fraternidade é um valor que não podemos descartar.”

    A CF não é um “valor”. A Igreja não é uma empresa para assumir um projeto ou campanha como “valor” ou “missão”, a Igreja é a Esposa de Cristo e os únicos valores e princípios que devem pautá-la são aqueles de Nosso Senhor Jesus Cristo no Evangelho. Fica evidente, nessa afirmação, que a Campanha da Fraternidade tornou-se uma “marca” da CNBB, uma pauta de marketing, com a qual se ganha imagem e portanto não pode ser tocada ou ajustada no mínimo, mesmo com todas as críticas, todo ano.

    “Concluímos lembrando a importância da Campanha da Fraternidade na história da evangelização do Brasil. É nossa marca.”

    Sim, um importante trabalho que já dura mais de cinquenta anos. Se a evangelização por meio da CF foi assim tão relevante, então digam: quantas conversões ocorreram no Brasil com as CFs ao longo de mais de cinco décadas? Quantas pessoas ingressaram no seio da Santa Igreja? A população católica brasileira cresceu ou diminuiu de 1960 para cá?

    Querem resultados da “marca” da Campanha da Fraternidade – então onde está o resultado da evangelização, onde estão as conversões? Ou, de outro modo, vocês têm uma noção diversa de “evangelização”, que não seja salvar almas por meio da Igreja de Cristo.

    Se acreditam que a CF é tão importante, ótimo: transfiram-na para outra época. Façam dela uma preparação para o Natal, uma campanha de inverno (com as comemorações dos valorosos santos durante as festas juninas), uma celebração da época pascal, etc. Qualquer hora é época de amparar os pobre e os que sofrem, os preferidos de Deus, sempre atendidos pela Igreja.

    Deixem a santa Quaresma para a preparação das almas com os remédios espirituais que a Igreja SEMPRE recomendou: oração, jejum, esmola. Permitam e instiguem que as almas dos católicos cresçam para que sejam capazes de agir com fraternidade durante a Campanha em outra época do ano.

    Ou então a CF ficará vazia como tem sido ultimamente. Ouvirão as mesmas críticas todo ano. Porque sem Cristo, sem força espiritual e a graça do Evangelho, “fraternidade” para dar dinheiro não passará de filantropia, e o “debate” dos temas “difíceis” não será mais do que uma assembléia de universitários.

    • Meu caro Pedro, lendo sua posição, pateceu-me que na sua concepção a Quaresma é mais importante que a,Páscoa, pois ao menosprezar a Campanha você sugere que ela seja feita na Páscoa… A Páscoa é a grande celebração anual da Igreja, a Quaresma com seus santos exercícios devem nós preparar para a Páscoa, que se traduz por passagem, no nosso caso, para uma vida cristã mais autêntica . É hora de revermos como nós tratamos o diferente para construirmos um.mundo de mais amor, de mais misericórdia. Lembre-se de Santa Dulce e Santa Teresa de Calcutá que converteu a muitos com sua atitude de acolhimento misericordioso.

  20. É triste vermos os rumos dos dirigentes inescrupulosos tentam dar à nossa Santa Igreja. Vendo a pastora a favor do aborto!!! Essa CF é mais um pandemônio na Quaresma. Misturam a CF com a Quaresma. Os Salmistas não querem cantar os cantos propostos para a Quaresma, Vou dar sim minha contribuição; para a minha Paróquia.

  21. A campanha da fraternidade aparentemente tem mais caráter arrecadativo do que evangelizador. Se a CNBB se preocupasse mais com as almas, em divulgar os novíssimos do homem e instruísse os católicos à salvação, nas homilias e na catequese, o espírito fraterno e contribuitivo seria imensamente maior.

  22. Se o demônio me arrasta para o inferno, eu não posso resistir. Se resisto, sou chamado de intolerante, violento, que não quero me aliar ao modernismo, que sou antiquado. Vocês falsos católicos, que estão sendo iludidos por essa corja de vigaristas idemoniados por “amizades”, por serem bonzinhos e obedientes, também estam no caminho do inferno. Saibam que ninguém, nem o demônio dividirá a Santa Igreja. Jamais conseguirão uma igreja unica no mundo. Como disse Dom Adair José de Guimarães. ” A Igreja já enterrou todos”.

  23. Por que o tal “CONIC” não tem nenhum representante das igrejas protestantes que defendem alguns valores comuns aos nossos (mais de 98%) ao invés de igrejas insignificantes tomadas por esquerdistas? Por que a Campanha da Fraternidade só aborda temas políticos sempre voltados a Teologia da Libertação? Por que nós que só queremos participar dos sacramentos em tempos de pandemia fomos taxados de “extremistas”, “fanáticos”, “genocidas”, “fundamentalistas”, dentre outros adjetivos pejorativos contidos nesse documento do CF e em palestras? A doutrinação comunista está acabando com a nossa igreja, cada vez mais vazia, mais dessacralizada, mais profanada… Será que levar o rebanho ao céu não é mais a finalidade da Igreja, o negócio é se reduzir a uma mera ONG caritativa?Se for isso não precisamos de Igreja. Enquanto isso as igrejas evangélicas, não essas igrejas insignificantes representadas pelo “ConiC” estão cada vez mais cheias, por que será? Será que a Igreja vai seguir a risca os ensinamentos nefastos da “pastora” abortista e “adaptar” a interpretação da Bíblia às vontades dos depravados e degenerados em geral? A omissão do “Vá e não peque mais!” foi um aperitivo? Tirem o PT do altar!

    • Excelente,
      Ser católico deve ser sinônimo de perdão, de atrair através do exemplo, do amor ao próximo. O exemplo que a igreja de Cristo nos deixou é aquele que ia em busca do pecador para livra-lo do pecado, sem criticar sem ofender sem agredir. Infelizmente vejo aqui irmãos que não toleram a aproximação com outras designações cristãs e querem fechar-se instransigentes em seus pequenos mundos, de preferência obrigando a todos a seguir suas regras, criticando a própria Santa Igreja por não se curvar ao seu egoísmo.
      Precisamos com urgência aprender novamente a amar, precisamos mor tornar instrumentos de Deus, e não querer Deus como instrumento de nossa vontade.
      Que ele tenha piedade de nós Brasileiros

  24. Não concordo o que vi no jornal nacinal da globo que as Igreja inclusivel a católica , fizeram um pedido de imptigmam do presidente do Brasil tem muita gente que não concorda.

  25. Para que haja “um só pastor e um só rebanho”, a evangelização deveria acontecer à luz da eucaristia e de N Sra . “ Eis aí tua mãe” (Jo 19,27) . “Feliz aquele que se assentar à mesa do reino de Deus”.
    “ Meu corpo é verdadeiramente uma comida, meu sangue é verdadeiramente uma bebida “ (Luc 14,25. Jo 6,56)
    O texto da CNBB de 09/02, só complicou e expôs a falta de diálogo dentro da própria igreja católica no Brasil . Então como pode ser este o tema, sem o exemplo de diálogo dentro da CNBB? Gerou polêmica e confusão , infelizmente.
    Sabemos que as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja , mas estamos vendo na CNBB, um reino dividido contra si mesmo ?
    O tema , “Fraternidade e diálogo”, é atualíssimo, pertinente e a acolhida aos excluídos também (Já até foi tema da CF) , mas a “roupa suja deveria ser lavada em casa primeiro” e não deixado para um Conic dar os rumos da campanha . Embora com 2 sacerdotes católicos , porém participando, ao que parece sem escutar as bases.
    Mas enfim , parece ser o sinal dos tempos… joio semeado …
    No mais, para os católicos , é momento de jejum , oração e solidariedade , como em todas as quaresmas e sempre ! Mas de forma mais intensa neste ano , nestes tempos em que a discórdia e polarização vigentes só agradam ao pai da mentira .
    Na certeza de que o Pai, o Filho e o Espírito Santo estão acompanhando tudo … e agindo também . (Jo5,17)
    Por enquanto, diante do documento base da CF e dos mais variados posicionamentos das autoridades da igreja e dos leigos, mais uma vez Jesus está dizendo : “Pai , perdoai-lhes, porque eles não sabem o que fazem”.
    Afinal, parece que estamos temporariamente habitando a torre de Babel?

  26. Eu também esperava que a CNBB se retratasse e assumisse que erraram feio. Não dou um centavo assim como todos os membros da minga família. Minha sugestão ao CONIC é arrecadar o dinheiro nas igrejas protestantes ou até mesmo fazer alguma campanha junto às feministas, já que são tão defendidas pela senhora pastora que escreveu o texto.

  27. Erraram. Erraram. Erraram. E sequer reconhecem. Desconhecem o sacramento da confissão, que nos torna todos miseráveis diante de Cristo. Lamentável o estado de coisas que presenciamnos na Igreja Católica. Desde a Teologia da Liberadção, nos anos 70, as comunidades eclesiais de base (CEBs) insistiram em tornar o Espírito e a Espiritualidade numa força militante de transformação social. Nunc apediram perdão por tal malignidade, por espírito destrutivo e pelao afastamento Cristo Deus em detrimento do Cristo histórico. Pobre Igreja, pobres bispos, pobre comunidade, com c minúsculo, empobrecida pela politização . Vamos denunciar até a nossa última energia eses católicos que tem vergonha de ser católicos, que tem vergonha da família de Nazaré.

  28. Só piorou a situação!
    Bispos da CNBB, reconheçam que a Campanha da Fraternidade é apenas um instrumento ideológico da Teologia da Libertação.
    Convertam-se! Muitos padres não falam nada por medo de perseguição; outros ficam passando panos quentes, porque estão buscando uma mitra…
    Mas, ninguém aguenta mais! Nos envelopes da Campanha só terá exorcismo de São Bento!

  29. A Igreja do Brasil precisa reconhecer que errou, essa campanha não está a serviço da vida, basta ver as entidades que assinaram a nota de apoio à pastora que elaborou o texto base. Com todo o respeito à aquelas instituições, mas os objetivos defendidos por eles não tem nada a ver com os objetivos defendidos historicamente pela Igreja. Ecumenismo é respeitar as diferenças, sem abrir mão dos seus valores. Suplico aos nossos pastores que que não levem o povo de Deus para caminhos diferentes do caminho de Jesus, só Ele é o CAMINHO, a Verdade e a Vida. Que Deus nos abençoe!

  30. A igreja católica acabou de se afundar em um tremedal de lama, começou em 2000 com o ecumenismo, as trevas não tem nenhuma ligação com a luz.
    Quando a luz se acende as trevas tem que sair, o ecumenismo trouxe trevas para dentro da I C . E hoje com essa campanha da fraternidade foi a pá de cal, se vcs defendem a pluralidade e nela também incluem a pratica do homossexualismo rasguem a Bíblia Sagrada , esqueçam os santos que serviram á Deus com temor e reverencia troque o nome pois não é mais uma igreja pela qual Jesus se sacrificou na cruz .

  31. Infelizmente apenas reafirmaram o que o texto base dizia, sei que temos que ter amor ao próximo, todos somos filhos de Deus, mas cadê a reflexão quaresmal, cadê a dia de falar da igreja católica, falar da Santa Mãe de Deus e nossa? Estou muito desapontada, muito triste com a forma em que estamos caminhando ultimamente como CATÓLICOS.

    • Sobre a Campanha da Fraternidade 2021, vi muitos ataques à Igreja e à CNBB. Vejam, eu entendo a motivação para os questionamentos e não afirmo se são ou não corretos, mas queria convidar todos os cristãos a uma reflexão. A obra é sua ou de Deus? Antes de você criticar o trabalho feito, você rezou e consultou a Deus sobre o que Ele acha da campanha? Pediu uma inspiração sobre se você deveria ou não apoiar? Eu pretendo fazer isso, não tenho certeza se serei digno de ter minha prece ouvida e de ter uma resposta, mas creio que posso dizer com certeza que não me acho digno de criticar a Igreja ou a CNBB, sem antes Deus me mostrar qual a opinião Dele. Só ele de fato conhece o coração dos homens e se algum dia ele entender que uma Instituição merece cair, ela vai cair, porque Jericó caiu e tantas outras fortalezas caíram. Mas não foi Josué que decidiu que Jericó deveria cair, foi Deus que decidiu e então escolheu Josué para liderar o povo naqueles tempos. Então cuidado ao querer derrubar igrejas ou bispos, pergunte antes a Deus se é a vontade Dele.

  32. Sinceramente, gostaria de uma quaresma mais voltada para a penitência e para conduzir a nós CATÓLICOS para uma verdadeira conversão. Ou pelo menos que fosse estudada a Doutrina Social da Igreja. Se isso fosse feito, teria um efeito muito melhor que todas essas campanhas.

  33. O intuito da campanha da fraternidade ao meu ver deveria ser de conversão, penitência, se unir a Cristo, não incutir outras pessoas não católicas a realizar textos para campanha, o catecismo da igreja é bem claro, e, nem todos devem concordar com essas decisões, a igreja enqt seus bispos deveriam se preocupar em trazer pessoas para Jesus, não tanto com as partes sociais, acho que isso já tem quem o faça, deveriam pregar o amor a Cristo e a Maria! Com tudo isso, oque causaram foi um afastamento!!

    • A pergunta é: que pastores tem sido alguns bispos que sob a mantra do ecumenismo, abre as portas do aprisco para que os lobos devorem as ovelhas?

    • Se o clero prega o erro, deve sim ser desobedecido, é uma questão de amor à salvação das almas, se o lobo está próximo, e no caso, um lobo vestido em pele de ovelha, deve se bradar com toda força!

  34. Dizer que a campanha da fraternidade é importante… pra quem? Pq o que se tem visto é um paulatino distanciamento do sentido da quaresma para ‘questões sociais e políticas’ até chegarmos nesse absurdo em que se menciona mãe de Santo de terreiro de candomblé enquanto Maria é intencionalmente esquecida. Seria menos ridículo e até traria um pouco de credibilidade tão abalada da CNBB se na nota houvesse apenas uma frase: “Católicos, nos perdoe pq erramos e não vamos adotar esse texto herético”. Mas que ingenuidade a minha. Apenas reafirmaram e justificaram o injustificável e exatamente por isso os senhores não são escusáveis.

    • Vivemos num país com a maior desigualdade social, onde milhões passam fome. E voce acha que a igreja deve se calar?
      Ai de mim se eu me calar!
      As pedras falarão!

  35. Jesus nos ensinou a acolher. Sobretudo os que mais sofrem.
    Em especial os pobres. Àqueles que julgam Jesus disse:
    As prostitutas vos precederão no reino dos céus.
    Tumulos caiados!!

  36. Isso é uma palhaçada! O texto-base da CF 2021 é um acinte a qualquer CATÓLICO que se pretenda minimamente digno desse nome! Não ajudarei e não apoiarei essa campanha infame e nenhuma outra “campanha da fraternidade”! Devolvam a nossa Quaresma!!

  37. Não precisamos de representantes não católicos para discutir assuntos referentes a nossa fé, o inimigo pinta e borda com tanta tolerância da nossa igreja referentes verdades indissociáveis. Os católicos estão ficando cansados com tanto tempo perdido, inclusive com essa campanha da fraternidade

  38. Falácia pura. Seria mais digno, mais católico e mais honesto se assumissem que erraram ao deixar a direção de um tema tão importante nas mãos de uma pastora que defende o aborto e a pauta lgbt. Ainda não esquecemos que vocês se omitiram quando instados sobre o dinheiro que enviavam para ONGs abortistas.

  39. Sou Catolica Apostólica Romana. E não concordo. Pergunto, porque só os católicos tem que engulir esses absurdos. Se é ” as seitas/igrejas ” não tem a quaresma como tempo de reflexão, por que elas estão participando de um texto para os católicos.
    Onde está MARIA no texto? E a Mariele que nem catolica era está como reflexão. ??? Que tipoooo de reflexão? Ei Não darei mais um centavo para qualquer campanha que a CNBB. Acabou… vão buscardinheiro mas igrejasque voces representam e q não é mas a católica.
    Boa noite

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter