Participantes da Assembleia Eclesial analisam como tornar a Igreja mais missionária e sinodal

Dia de atividades contou com a participação do Arcebispo de Bombaim, na Índia, e ênfase para a Igreja em saída

Assessoria Celam

“Ide, pois, e fazei discípulos em todos os povos” foi o trecho da Sagrada Escritura que motivou as reflexões das atividades da quarta-feira, 24, da 1a Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, que acontece até o domingo, 28, reunindo cerca de cem pessoas presencialmente na Cidade do México e outras mil de modo on-line em diferentes partes do continente americano.

A IGREJA EM SAÍDA

As atividades começaram com a saudação do 2o Vice-presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), o Cardeal Leopoldo José Brenes. Ele enfatizou que a Igreja continental ainda precisa colocar em prática muitos dos pontos do Documento de Aparecida.

Cardeal Brenes afirmou que é tempo de aceitar o chamado do Espírito Santo, de manter o coração e a mente prontos para empreender um novo caminho para ouvir o chamado à missão, aceitando com coragem os desafios da realidade e do próprio Evangelho. O primeiro deles é o de ser uma Igreja em saída.

A reflexão inicial do dia ficou a cargo do Padre Carlos Galli, coordenador da equipe teológica do Celam, que falou sobre o tema da Igreja em saída missionária.

O teólogo argentino disse inicialmente sobre o envio missionário relatado no Evangelho de Mateus, e que está sempre em atualização na caminhada da Igreja. Depois, ressaltou a caminhada missionária da Igreja no Magistério do Papa Francisco.

Padre Carlos Galli disse ainda sobre o transbordamento criativo do Espírito Santo que influencia a práxis da sinodalidade missionária e da missão sinodal.

Alguns eixos fundamentais foram apontados pelo teólogo, para que fossem refletidos nos trabalhos em grupo: Cristocentrismo trinitário do querigma, que deve ajudar que a Igreja chegue aos mais jovens; em Cristo recebemos a terna misericórdia de Deus, que vem para tocar as feridas mais profundas; a fraternidade entre todos os povos, um desafio em um continente ferido pela desigualdade; viver a lógica do Bom Samaritano, para que nos tornemos próximos um dos outros, deixemo-nos interpelar por toda a miséria humana, ficando ao lado das vítimas; caminhar para uma nova pastoral urbana, com o desafio de reconhecer que Deus vive na cidade e entre os cidadãos; e que o Espírito se manifesta em um transbordamento de criatividade, que enriquece a missão sinodal.

Como nos outros dias, ocorreram os trabalhos em grupo, cujos resultados foram entregues às comissões encarregadas de sistematizar as conclusões.

PARTICIPAÇÃO DO ARCEBISPO DE BOMBAIM

Durante o espaço dedicado aos testemunhos, ouviu-se a fala do Cardeal Oswald Gracias, Arcebispo de Bombaim, na Índia, que compartilhou algumas perspectivas da realidade daquele país e da Ásia.

Ele lembrou que é missão permanente da Igreja evangelizar, fazer presente os valores do Reino e do Evangelho. Ele estimulou que nas comunidades católicos se identifique aqueles que têm vocação para a vida pública, para que desde cedo sejam bem orientados. Também ressaltou o papel das mulheres na ação missionária da Igreja e lembrou que não deve se considerar que a missão está sendo bem executada quando ainda existem cristãos que não tem acesso à Eucaristia regularmente. Por fim, pediu que todos reflitam sobre os recorrentes pedidos do Papa Francisco para que a Igreja vá às periferias, indo assim ao encontro dos pobres e esquecidos.

EM ORAÇÃO

O dia de atividades foi concluído com o Santo Rosário continental, a celebração da Eucaristia e a serenata à Virgem, espaços de oração e contemplação em que os participantes colocaram aos pés de Maria, em suas diversas invocações, as dores, esperanças e iniciativas pastorais que estão sendo refletidas ao longo desta Assembleia Eclesial.

Na quinta-feira, 25, a programação da manhã terá o painel “Da Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe ao Sínodo da sinodalidade”, com as participações do Cardeal Mario Grech, Secretário Geral do Sinodo dos Bispos; Cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos; Irmã Liliana Franco, ODN, presidente da CLAR; e Maurício López, do Celam. A moderação será do Monsenhor Jorge Lozano e de Maurício Lopes.

VEJA AO VIVO A ASSEMBLEIA ECLESIAL

Fonte: Celam

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter