Sagrado Coração de Jesus: a festa do amor de Deus em Cristo

Na segunda sexta-feira após a Solenidade de Corpus Christi, a Igreja no mundo todo celebra a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, que neste ano será em 24 de junho. Encerrando as grandes festas da Igreja (Páscoa, Ascensão, Pentecostes, Santíssima Trindade e Corpus Christi), a liturgia convida os católicos a contemplarem o Coração de Jesus. 

Sagrado Coração de Jesus: a festa do amor de Deus em Cristo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Essa devoção tem seu alicerce nas Escrituras, na qual São João chama a atenção para o Coração de Cristo, na passagem ocorrida após a morte de Jesus: “Um dos soldados abriu-lhe o lado com a lança, e logo correram sangue e água” (Jo 19,34); e outra passagem que diz: “Um dos discípulos, a quem Jesus amava, estava à mesa reclinado ao peito de Jesus” (Jo 13,23). Sobre esta cena, Santo Agostinho comentou que, ao se recostar sobre Jesus, João bebeu os “segredos sublimes das profundidades mais íntimas do Coração de Nosso Senhor”. 

Ao longo dos séculos, muitos santos tiveram experiências relacionadas ao Coração de Jesus, como São Bernardo, São Boaventura e Santa Catarina de Sena. Já no século XVII, a devoção ao Sagrado Coração destacou-se com a fundação da Ordem da Visitação, por São Francisco de Sales, que ressaltou a devoção ao “Coração do Redentor” e se referia às religiosas da ordem como “Filhas do Coração de Jesus”. 

Uma das jovens religiosas da Ordem da Visitação foi responsável pela maior propagação do culto ao Coração de Jesus: Santa Margarida Maria Alacoque, que teve como missão dar impulso e difusão universal a esta devoção, que na época não era muito conhecida. 

O Papa Pio XII, em sua carta encíclica Haurietis aquas, ressalta que Santa Margarida “merece um lugar especial, pois, com a ajuda do seu diretor espiritual, Padre Cláudio de la Colombière, e com seu zelo ardente, conseguiu que o culto ao Sagrado Coração de Jesus adquirisse grande desenvolvimento e, revestido das características do amor e da reparação, se distinguisse das demais formas da piedade cristã”. 

Santa Margarida teve revelações particulares de Jesus Cristo. Na maioria das vezes, o Coração de Jesus se manifestava a ela como sol ou fornalha. A mais conhecida das aparições, ocorreu em 1675, quando Jesus pediu a Santa Margarida que fosse estabelecida uma festa para honrar seu coração. “Eis este Coração que tanto amou os homens. Por isso, te peço que a primeira sexta-feira depois da oitava do Corpo de Deus seja dedicada a uma festa especial para honrar meu Coração, comungando neste dia.” 

Por meio das visões de Santa Margarida Maria, Jesus fez diversas promessas em favor dos que honrarem o Divino Coração. As promessas foram resumidas em poucos parágrafos e difundidas em todo o mundo: 

1. Darei aos devotos do meu Coração todas as graças necessárias a seu estado de vida.
2. Estabelecerei e farei reinar a paz em suas famílias.
3. Serão por mim consolados em todas as suas aflições.
4. Serei para eles refúgio seguro durante a vida e, de modo especial, na hora da morte.
5. Lançarei bênçãos abundantes sobre todos os seus trabalhos e empreendimentos.
6. Os pecadores encontrarão em meu Coração uma fonte inesgotável de misericórdia.
7. As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática desta devoção.
8. As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição.
9. Minha bênção descerá sobre as casas em que estiver exposta e for honrada a imagem do meu Coração. 10. Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente esta devoção o poder de tocar os corações mais endurecidos. 
11. As pessoas que propagarem essa devoção terão seus nomes inscritos para sempre em meu Coração, e jamais serão apagados. 
12. A todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos darei a graça da penitência final e da salvação eterna. 

Esta última, chamada de “grande promessa” deu início à prática das primeiras sextas-feiras de cada mês. 

A DEVOÇÃO PELO MUNDO 

Em 1856, o Papa Pio IX proclamou a festa do Sagrado Coração de Jesus a toda a Igreja. Já em 1899, o Papa Leão XIII consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Jesus, motivado pelo testemunho de Santa Maria do Divino Coração, que também recebeu revelações do Divino Coração. 

O Apostolado da Oração é, ainda hoje, um dos grandes movimentos da devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Fundada pelo Padre Francisco Xavier Gautrelet, em 1844, na França, a associação de fiéis tem como missão servir ao Coração de Jesus e divulgar a devoção ao mundo. No Brasil, o Apostolado da Oração chegou por meio dos Padres Bento Schembri, que fundou o primeiro centro do Apostolado, em Recife (PE); e Bartolomeu Tadei, que iniciou o centro em Itu, interior de São Paulo. Este último é considerado o fundador e propagador no Brasil. 

Em 2021, o Papa Francisco afirmou que o coração humano e divino de Jesus é a “fonte de onde sempre podemos haurir a misericórdia, o perdão, a ternura de Deus”. 

Deixe um comentário