Confira nossa versão impressa

Após sete meses fechadas, igrejas reabrem em Bagdá

Após sete meses fechadas, igrejas reabrem em Bagdá
Cardeal Louis Raphael Sako e bispos da Igreja Católica Caldeia (Foto: Patriarcado Católico da Babilônia)

Os templos em Bagdá, no Iraque, da Igreja Católica Caldeia, vão reabrir no domingo, 4. A reabertura será “devagar, com muita esperança, emoção e alegria, de acordo com os meios da cada igreja e na base de um número limitado de fiéis”, afirmou o Bispo Auxiliar de Bagdá, Dom Basel Yaldo.

“Se um lugar de culto tem a capacidade para 550 pessoas, deverão ser acomodadas cem, com, no máximo, duas pessoas por banco. Essa é uma ótima notícia, depois de setes meses de fechamento”, afirmou o Bispo à AsiaNews.

“O governo ordenou a volta de muitas atividades. Por essa razão, devemos agir agora. É necessário viver com o vírus, seguindo as instruções dos profissionais de saúde e das autoridades”, continuou o Prelado.

Em nota publicada em seu site, o Patriarcado Caldeu anunciou que os fiéis poderão voltar gradualmente às igrejas da capital do país para assistir à missa, mas estarão sujeitos a um rigoroso respeito às regulações impostas para impedir o contágio do novo coronavírus.

Higienizadores de mão serão colocados na entrada das igrejas e, depois de cada missa, os templos serão limpos. Além disso, beijos, apertos de mãos e qualquer outro movimento que aproxime as pessoas estão proibidos durante as missas.

“Nos últimos sete meses, as pessoas ficaram com muito medo, e a maioria delas escolheu permanecer em casa para evitar o contágio. Nós, como Igreja, tentamos permanecer próximos às pessoas e dar suporte às famílias mais necessitadas com ajudas e donativos”, afirmou Dom Yaldo.

“A cada mês ou dois, dependendo das circunstâncias, nós demos a cada paróquia 2 mil dólares para comprar bens de necessidade básica. Além disso, para permanecer próximos às pessoas, mantivemos a nossa presença espiritual, visitando as famílias e celebrando missas on-line”, explicou o Prelado.

Por fim, Dom Yaldo salientou um aspecto benéfico da crise vivida pelo país: “Uma das coisas positivas que emergiram durante esses meses de pandemia é precisamente a solidariedade que as pessoas sentiram em uma Igreja viva que não rejeita ninguém”.

Fonte: AsiaNews

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Retirar-se para ouvir a voz de Deus

O SÃO PAULO apresenta indicações para quem deseja realizar um retiro espiritual de maneira solitária e pessoal

Marcha pela Vida 2020: a mulher e o bebê têm igual direito de viver

Não foi como nos anos anteriores, com centenas de pessoas nas ruas, mas a Marcha pela Vida...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Polônia inaugura mural gigante de São João Paulo II no ano do centenário

Uma cidade polonesa inaugurou um mural gigante de São João Paulo II, em homenagem ao centenário de...

Declaração do Papa sobre homossexuais foi editada com fragmentos de entrevista de 2019

Cineasta utilizou trechos retirados do contexto original de uma entrevista do ano passado para compor afirmação do Pontífice a respeito das uniões...

Newsletter