É mentira que Software das UPAs obrigam registro de coronavírus

Diariamente, O SÃO PAULO publica notícia que alerta sobre fake news relacionadas à atual pandemia

Uma mensagem que circula nas redes sociais, informa que enfermeiras de UPAs denunciam que novo software do SUS, para registrar se pacientes tem sintomas de COVID-19 não aceita registrar a opção NÃO, apenas SIM, com o objetivo de disparar o número de mortos por coronavírus.  Essa mensagem é falsa, não compartilhe!

POR QUE?

O Ministério da Saúde esclarece que a isso é Fake News. Não há orientação da pasta aos parentes das vítimas de óbitos recentes para que não aceitem atestados de óbito em que o médico estiver atribuindo a causa morte ao coronavírus (COVID-19).

Todas as orientações do Ministério da Saúde sobre óbitos relacionados ao coronavírus (COVID-19) estão disponíveis na publicação “Manejo de corpos no contexto da COVID-19”, na páginas 9, 11 e 12. De acordo com a publicação, o atestado de óbito é fornecido pelo cartório, a partir da declaração de óbito fornecida pelo médico que assistiu o paciente.

Além disso, para a situação do óbito ser de caso suspeito COVID-19, será realizado exame com coleta pelo serviço de saúde e somente após o resultado será estabelecida a causa da morte. Em sendo confirmado o diagnóstico de coronavírus, haverá notificação compulsória para o sistema de vigilância epidemiológica local.

O Ministério da Saúde reforça que todos os casos graves de síndrome respiratória sob suspeita de coronavírus (COVID-19) passam pelo exame RT- PCR, o que confirma ou descarta a infecção. Caso o paciente evolua para óbito, a causa da morte já estará estabelecida, sendo notificada e atestada na declaração de óbito.

COMBATE ÀS NOTÍCIAS FALSAS

Para combater as Fake News sobre saúde, o Ministério está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população. Vale destacar que o canal não será um SAC ou serviço para esclarecer dúvidas dos usuários, mas um espaço exclusivo para receber informações virais, que serão apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira.

Qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de continuar compartilhando. O número é (61) 99289-4640.

Além disso, o Governo do Estado de São Paulo disponibiliza um canal exclusivo no Telegram de combate notícias falsas sobre coronavírus.

(Com informações de Ministério da Saúde)

+ posts
- publicidade -
- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

- publicidade -

Últimas Notícias

Presidência do Regional Sul 1 da CNBB posiciona-se sobre a atual pandemia

(COM INFORMAÇÕES DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB) A Presidência do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos...

‘A pandemia não deve calar nosso testemunho da fé’, diz Cardeal Scherer

Arcebispo de São Paulo presidiu missa da Solenidade da Ascensão do Senhor e dia Mundial das Comunicações Sociais, na Catedral da Sé

Principais documentos da Igreja sobre comunicação

Em 1963, o Concílio Vaticano II aprovou o Decreto Inter Mirifica, primeiro documento conciliar que trata do tema das comunicações sociais

Magistério da Igreja acompanha o desenvolvimento da comunicação social

No domingo, 24, Solenidade da Ascensão do Senhor, a Igreja também comemora o 54º Dia Mundial das...

Em meio à crise econômica, Igreja no Líbano auxilia os mais atingidos

GUSTAVO CATANIA RAMOS (ESPECIAL PARA O SÃO PAULO) Em entrevista à Asia News, Dom...

Isolamento social permanece abaixo do esperado em SP

Taxa na capital paulista ficou em 52%. Ao todo, 500 cidades já registram casos em no estado

Newsletter