Confira nossa versão impressa

Fraternidade São João Paulo II: Em busca da restauração de vidas

Fraternidade São João Paulo II: Em busca da restauração de vidas
Fraternidade São João Paulo II

A Fraternidade São João Paulo II, que tem como lema “Totus Tuus Iesu Per Mariam” (Ser todo de Jesus por Maria) foi fundada em 2012, pelo Padre Ailton Fernandes Cardoso. Um dos carismas da comunidade é restaurar vidas e essa missão é expressa no Centro de Acolhida Nossa Senhora de Fátima, localizado em Parelheiros, na zona sul de São Paulo, na Diocese de Santo Amaro, que atua com dependentes químicos e moradores em situação de rua que buscam se libertar dos vícios.

NA BASE DA FÉ E ORAÇÃO

O projeto começou em 2015 e atualmente acolhe 28 homens, grande parte vindos da Cracolândia, no centro de São Paulo. A casa que tem capacidade para 45 membros propõe o tratamento durante um ano e utiliza a laborterapia – também conhecida como terapia ocupacional – somada à fé e à oração como métodos para restaurar vidas.

Os irmãos acordam diariamente às 6h30 para cuidar da horta do ‘Projeto Luz do Sol’ que cultiva frutas, verduras e legumes que são vendidas junto com geleias e doces para ajudar a manter o local, pois todos os projetos da Fraternidade são mantidos por meio de doações. Eles também cuidam dos animais da chácara, se responsabilizam pela limpeza, preparação dos alimentos e conservação de todo o complexo.

Fraternidade São João Paulo II: Em busca da restauração de vidas
Fraternidade São João Paulo II

Além das atividades de Laborterapia os irmãos realizam momentos de oração e reflexão, como a Adoração ao Santíssimo Sacramento e o Terço da Divina Providência antes do café da manhã, o Terço mariano antes do almoço e o da Misericórdia às 17h. O Dia termina com a Celebração da Palavra e três vezes por semana eles assistem filmes religiosos e de auto ajuda.

“Não possuímos nenhum tipo de tratamento químico, para cuidar da dependência química. O que passamos para eles é que quem os cura é próprio Deus. E na base da fé e da oração, pedimos que Deus os mantenha firmes em todo tempo de permanência, sobretudo, quando eles retomarem para vida do lado de fora”, disse o Irmão Felipe Evandro Cossas Figueiredo, um dos responsáveis pelo centro de acolhida em entrevista ao O SÃO PAULO.

RESTITUÍRAM A DIGNIDADE

Fraternidade São João Paulo II: Em busca da restauração de vidas
Fraternidade São João Paulo II

O trabalho de ir ao encontro das pessoas em situação de rua na Cracolândia, atualmente está suspenso devido pandemia, mas normalmente é realizado uma vez por mês, quando os leigos consagrados na Fraternidade preparam alimentos e distribuem na região central. Durante essa iniciativa, é proposto por meio do diálogo e da oração que esses irmãos deixem as ruas e passem por um processo de recuperação na casa.

Segundo Irmão Felipe os irmão são acolhidos como o próprio Cristo e não são todos que entram na casa que permanecem, muitos passam uma noite e acabam retornando para ruas, mas os missionários não desistem da missão. Ao mesmo tempo, muitas vidas são transformadas e retornam para agradecer e ajudar na recuperação dos outros.

“Nós temos inúmeros casos de pessoas que foram recuperadas e continuamos em contato e graças a Deus restituíram a dignidade, pois esse é o trabalho que buscamos. Quando eles entram na casa de recuperação estão totalmente sem motivação para viver, muitos chegam assim e nós conseguimos recolocá-los no mercado de trabalho e retomar a vida com suas familias”, completou o religioso.

MUDANÇA DE VIDA

Fraternidade São João Paulo II: Em busca da restauração de vidas
Fraternidade São João Paulo II

Eduardo Oliveira Santos, 35 anos, é um dos responsáveis pelo Centro de Acolhida. O taxista durante 20 anos foi viciado em drogas e bebida alcoólica, chegou a ser preso duas vezes e ter vários episódios de overdose que o levaram a ficar internado. Segundo ele, graças a oração de sua mãe e a ajuda de duas missionárias que o apresentaram para Deus ele pode conhecer a Fraternidade São João Paulo II e ser restaurado.

Eduardo reiterou que Deus não salvou apenas sua vida, mas de seu pai e de toda sua família. No segundo mês após chegar ao centro de acolhida da fraternidade já foi convidado para auxiliar os missionários, pois estava engajado no processo de recuperação por meio da oração e dos trabalhados realizados pelos internos na chácara.

“Após 3 meses de acolhida, fui realizar uma missão na Cracolândia e trouxe 12 irmãos para casa. Foi uma experiência muito boa, pois pude ajuda-los e sentir na pele o que realmente acontece dentro da Cracolândia, mas dessa vez estava do lado do bem. Comecei a acolhe-los na casa junto com as familias e realizar o trabalho missionário”, disse Eduardo, que após a recuperação tornou-se um dos responsáveis pelo Centro de Acolhida.

INFORMAÇÕES PARA DOAÇÕES

Centro de acolhida Nossa Senhora de Fátima

Rua Artur Augusto 487 – Parelheiros

WhatsApp: 11 93802-3652

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Capela do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus: 80 anos de história

Na série de reportagens sobre as capelas católicas em unidades hospitalares da capital paulista, o destaque de...

Cátedra de Cultura Judaica da PUC-SP comemora dez anos

O evento transmitido pela internet nesta sexta-feira, 23, marcou as comemorações dos dez anos da Cátedra de...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Declaração de Consenso de Genebra: avanço na luta contra o aborto

Brasil é um dos 32 países que assinam o documento que reforça a autonomia dos país na proteção da vida dos nascituros

Relatório da Caritas SP mostra os impactos da pandemia em crianças refugiadas

A equipe de Proteção do Centro de Referência para Refugiados da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) produziu um relatório sobre os...

Newsletter