Confira nossa versão impressa

Maria Madalena: História, tradição e lendas da primeira testemunha da Ressurreição

Natural de Mágdala, na Galileia, Maria Madalena, após sua cura e conversão, colocou-se a serviço do Reino de Deus

Maria Madalena: História, tradição e lendas da primeira testemunha da Ressurreição
Mosaico Maria Madalena – Mark Ivan Rupnik

Nesta quarta-feira, 22 de julho, a Igreja celebra a memória litúrgica de Santa Maria Madalena. A mulher que foi curada por Jesus, passou por um processo de conversão e se tornou uma fiel seguidora do Cristo. Seu testemunho é encontrado nos Evangelhos: “Os Doze estavam com ele, e também mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças. Maria, dita de Mágdala, da qual haviam saído sete demônios” (Lc 8,1-2).

Natural de Mágdala, na Galileia, Maria Madalena, após sua cura e conversão, colocou-se a serviço do Reino de Deus, que a levou até o momento mais difícil da missão: “Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena” (Jo 19,25). Ela também foi a primeira testemunha da Ressurreição de Jesus: “Então, Jesus disse: ‘Maria!’ Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: ‘Rabôni!’, que quer dizer: Mestre” (Jo 20,16).

HISTÓRIA, TRADIÇÃO E LENDAS

Maria Madalena: História, tradição e lendas da primeira testemunha da Ressurreição
Mosaico Deposição da Cruz, 2006 – Mark Ivan Rupnik

“Para os cristãos, o mais relevante e importante é que Maria Madalena é a prova de que, mais que uma doutrina, o Cristianismo é um encontro, uma experiência pessoal. Um encontro com o amor, única possibilidade para poder mudar radicalmente a vida, dando-lhe sentido. Maria Madalena é o exemplo desse encontro”, disse ao O SÃO PAULO a pesquisadora e doutora em Ciências da Religião, Wilma Steagall de Tommaso, autora do livro “Maria Madalena – história, tradição e lendas”, da editora Paulus.

A obra é um desdobramento da pesquisa de três anos de mestrado da autora, que procurou desvendar o que são fatos e o que são lendas nas diversas tradições sobre esta Santa que é uma das figuras mais importantes da Igreja nascente.

SANTA MARIA MADALENA NA ARTE SACRA

Segundo a doutora Wilma, Maria Madalena foi retratada de diferentes formas ao longo da história da Igreja, sofrendo o que denominou ser uma espécie de “plástica cultural”.  

No século III, era reconhecida com “Apóstola dos Apóstolos”, por ser a mulher que anunciou aos seguidores de Jesus que Ele havia ressuscitado (cf. Jo,20). Nos séculos XVIII e XIX, foi injustamente retratada como prostituta e, na atualidade, desde o pós-Concílio Vaticano II, é celebrada como a primeira testemunha da Ressurreição.

“Na época da Contrarreforma (século XVI), foi a Penitente que se despoja do luxo, das joias, do mundo, para viver como eremita em jejum e oração seu arrependimento dos pecados no combate aos protestantes que não acreditavam no sacramento da Reconciliação”, completou a pesquisadora.

MAL-ENTENDIDO HISTÓRICO

Maria Madalena: História, tradição e lendas da primeira testemunha da Ressurreição
Cláudio Pastro. Betânia 1991. Têmpera sobre eucatex.

Segundo a doutora, seu estudo foi fundamental para discernir os fatos que são historicamente comprovados daqueles que, embora contenham alguma lógica possível, foram descartados por falta total de provas ou conteúdo.

Segundo o Cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, foi por algumas interpretações equivocadas das passagens que narram a conversão de Maria Madalena, como a que Jesus expulsa os sete demônios, que surgiu um “mal-entendido radical”. “Em si mesma, essa expressão na linguagem bíblica poderia indicar um mal físico ou moral muito grave (sete é o número da plenitude) que afetara a mulher e da qual Jesus a libertara.”

“Isso aconteceu apenas porque na página anterior do Evangelho – capítulo 7 de Lucas – é narrada a história da conversão de uma ‘pecadora anônima conhecida nessa cidade’, aquela que derramou nos pés de Jesus óleo perfumado na casa de um fariseu notável, os banhara com suas lágrimas e os secava com seus cabelos. Assim, sem nenhuma conexão textual real, Maria Madalena havia sido identificada com aquela prostituta sem nome”, disse o Cardeal Ravasi, em 2016, na ocasião em que o Papa Francisco elevou a memória litúrgica de Santa Maria Madalena à festa igual aos apóstolos.

CONVERSÃO E HUMANIDADE

Maria Madalena: História, tradição e lendas da primeira testemunha da Ressurreição
El Greco. Madalena Penitente com a cruz. 1587-1596

Para o Padre Mark Ivan Rupnik, um dos mais importantes artistas da arte sacra na atualidade e também responsável pelo prefácio do livro, Maria Madalena se tornou a imagem da humanidade nova, da comunidade eclesial, a humanidade redimida do Filho de Deus.

“A chave da leitura que Maria Madalena nos deu é a do amor […] Portanto, é extremamente importante e enriquecedor realizar uma pesquisa artística sobre essa mulher, sempre com estrito rigor, o objetivo de trazer à tona a autenticidade, a grandeza e o brilho dessa figura tão significativa na primeira Igreja”, reiterou o Padre.

“Cada membro da Igreja que caminha para a salvação deveria se identificar com Maria Madalena, a pecadora (como todos nós) que muito amou (como deveríamos). Ter sido uma pecadora fez Maria Madalena muito humana, seu exemplo se torna para o cristão a esperança da salvação apesar das fraquezas, dos pecados e da culpa inerentes à humanidade”, concluiu Wilma Tommaso.

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

Cardeal Scherer preside missa arquidiocesana com coroinhas

Este ano, o o evento organizado pela Pastoral Vocacional contou apenas com representantes dos coroinhas e foi transmitido pelas mídias digitais

CNBB: ‘Dom Pedro marcou sua vida pela solidariedade em relação aos mais pobres e sofridos’

Bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) faleceu neste sábado, dia 8

Morre Dom Pedro Casaldáliga

A Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de...

Plantas ganham cada vez mais espaço nas casas e apartamentos!

Uma quitinete de um grande centro urbano pode abrigar uma horta? Confira as histórias de quem cultiva plantas em casa e dicas...

‘O Direito Canônico existe para atender ao mistério da Igreja’

Afirmou o Padre Denilson Geraldo, em aula inaugural do semestre acadêmico da Faculdade de Direito Canônico São Paulo Apóstolo

Newsletter