Confira nossa versão impressa

Pandemia piorou a situação dos mais vulneráveis, afirma Caritas Internacional

Pandemia piorou a situação dos mais vulneráveis, afirma Caritas Internacional

As pessoas mais vulneráveis, como os refugiados, imigrantes e trabalhadores informais, foram as mais afetadas pela pandemia e pelas medidas de isolamento social, segundo a Caritas Internacional e a Coatnet, a rede de 46 organizações cristãs que lutam contra qualquer exploração de seres humanos.

A advertência foi feita na terça-feira, 29, junto com um apelo às autoridades para que coloquem em prática medidas urgentes para ajudar os mais necessitados.

O secretário geral da Caritas Internacional, Aloysius John, em um comunicado, salientou a importância de não se negligenciar o cuidado com os mais pobres, sem descurar do foco no combate à pandemia: “Neste momento de difusão do COVID-19, denunciamos a preocupante realidade das pessoas mais em risco de serem vítimas do tráfico. O fato de nossa atenção estar focada na pandemia não deve nos impedir de cuidar dos mais vulneráveis, como fazem em todo o mundo as Caritas locais e as organizações da rede Coatnet”. 

O acompanhamento aos mais necessitados deve ser integral, segundo o secretário geral, incluindo “apoio material, sanitário, legal e psicológico”.

As instituições alertaram que um dos mais graves “efeitos colaterais” da pandemia foi o esquecimento por parte das autoridades públicas dos migrantes e trabalhadores informais, que, hoje, estão mais expostos ao tráfico e à exploração.

Migrantes e menores são os mais afetados

Situação paradigmática da denúncia da Caritas e da Coatnet é a situação de muitos filipinos no Líbano. Segundo Grabriel Hatti, presidente do escritório da Caritas do Oriente Médio e Norte da África, muitos filipinos “esperam em fila em suas embaixadas, sem nenhum tipo de apoio social ou proteção psicológica, e muitos deles estão, inclusive, privados de qualquer tipo de status legal”.

As organizações também denunciaram que as restrições causadas pela pandemia de COVID-19 aumentaram os casos de violência sexual contra menores e crianças, principalmente através da internet. A Caritas Internacional recordou na nota que, em apenas 11 dias de confinamento, apenas na Índia, 92 mil casos de abusos a menores foram denunciados.

“Pedimos às instituições e organizações da sociedade civil que protejam a crianças de abusos e da exploração, que se produzem também por meio dos novos meios”, pede, por fim, o secretário geral da Caritas Internacional, junto com um apelo para que todos denunciem qualquer caso que venham a conhecer de exploração infantil.

FONTE: Vida Nueva Digital

LEIA TAMBÉM

Tráfico de pessoas: problema global que afeta a dignidade humana

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Cardeal Scherer: ‘Fratelli tutti é uma síntese amadurecida de todo o ensino social da Igreja’

O Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, participou de mais uma edição do evento Diálogos com a Cidade, na quarta-feira, 25. Promovido pelo...

Em reunião, CRP concretiza Plano de Ação Pastoral 2021

Dom Luiz Carlos Dias, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Belém, incentivou uma reflexão sobre o atual momento da sociedade e a atuação das...

Vatican News lança subsídio inspirado na vivência do Advento

A partir do próximo domingo, 29, e até o dia 24 de dezembro, internautas poderão acessar os conteúdos produzidos pelo Vatican News, o portal...

Uma nova tecnologia para o tratamento de esgoto na cidade

Microestação compacta poderá ofertar saneamento básico de qualidade às regiões carentes de São Paulo Maior cidade do Brasil, São Paulo possui 12,3 milhões de habitantes....

Dez dias de fé e devoção a Santa Cecília

Festa da padroeira aconteceu entre os dias 13 e 22 A Paróquia Santa Cecília celebrou a festa da padroeira entre os dias 13 e 22....

Newsletter