Confira nossa versão impressa

Proteção de menores: formação do caráter e das virtudes é indispensável aos futuros padres

Proteção de menores: formação do caráter e das virtudes é indispensável aos futuros padres

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, participou, no dia 4, do Congresso Internacional sobre a Proteção de Menores e das Pessoas Vulneráveis.

O evento on-line foi organizado pelo Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico do Rio de Janeiro e Extensões de Goiânia e Londrina; a Sociedade Brasileira de Canonistas (SBC); o curso de Teologia da PUC-Goiás; o Instituto Superior de Direito Canônico Santa Catarina e a Faculdade de Direito Canônico São Paulo Apóstolo, com o apoio das Arquidioceses de Goiânia (GO) e de Londrina (PR).

Dom Odilo fez uma conferência sobre as medidas de prevenção a serem tomadas no processo de formação nos seminários contra os abusos e delitos cometidos por clérigos. “Devemos fazer um grande esforço, em todas as frentes, para que os abusos de menores e pessoas vulneráveis não aconteçam e sejam evitados de toda forma”, disse o Cardeal, explicando sua intenção de lidar com o assunto não como um canonista, mas “a partir de um olhar de pastor muito interessado em que este tema seja tratado e enfrentado”.

Discernimento e atenção

Dom Odilo partiu da Ratio fundamentalis institutionis sacerdotalis (2016), as mais recentes diretrizes da Santa Sé sobre a formação dos sacerdotes, que ressalta que deve ser dada a máxima atenção a esse assunto, cuidando para que aqueles que pedem a admissão a uma casa de for mação “não tenham, por qualquer modo, incorrido em delitos ou situações problemáticas neste âmbito”.

Sobre esse aspecto, o Arcebispo destacou que já na seleção e acompanhamento dos candidatos ao seminário, é preciso discernir e identificar se existem sinais que façam suspeitar de desvios de comportamento sexual e afetivo.

Essa atenção criteriosa também deve se dar nos anos seguintes do processo formativo, quando há a possibilidade de um conhecimento melhor de cada seminarista por meio do convívio cotidiano. Para isso, requer-se dos formadores o devido preparo, idoneidade e a assídua presença junto dos candidatos. Quando identificados sinais de fragilidade ou desiquilíbrio no âmbito afetivo e sexual, o candidato não pode prosseguir para as etapas seguintes da formação até que essas questões sejam acompanhadas com maior cuidado e, quando houver problemas evidentes, deve ocorrer o devido afastamento.

Valores

Outro aspecto enfatizado pelo Cardeal é quanto à formação do caráter. “Isso tem a ver com a verdade, transparência, firmeza de vontade, capacidade de escolha, honestidade, retidão, senso moral”, sublinhou, acrescentando que a formação do caráter também está relacionada com a formação dos valores morais e o cultivo das virtudes.

“Nesse sentido, o ambiente cultural atual dificulta a formação do caráter, porque existem antropologias que desprezam a questão da vontade, da escolha, dos valores, colocando o sentimento e a emoção como valor máximo”, salientou Dom Odilo.

O Arcebispo frisou, ainda, a necessidade da devida formação sobre o valor da castidade. “Temos que nos perguntar se nossos jovens estão, de fato, sendo formados acerca dessa virtude. Porque parece que a castidade virou algo ultrapassado ou um tabu… Quem não consegue cultivar a castidade durante o seminário, vai cultivá-la depois da ordenação?”, indagou o Cardeal.

Para isso, Dom Odilo destacou a necessidade de uma formação madura e consciente a respeito da sexualidade em vista do cultivo de um sadio autodomínio e, consequentemente, da renúncia própria dessa vocação. “Não é manter a pessoa na ignorância, mas educá-la para escolher o valor”, completou.

Vida espiritual

O Cardeal acrescentou que para evitar delitos morais, é imprescindível uma sólida formação espiritual dos futuros padres, por meio da qual se estabelece um verdadeiro encontro com Deus, do qual se recebe a graça e a força para superar as fragilidades humanas e as tentações. “Isso deve ser assimilado como um valor ao longo do período da formação para que, com a graça de Deus, com o auxílio que vem do alto, na humildade, perseveremos até o fim”.

O Arcebispo ressaltou, por fim, a importância de que a formação humana e espiritual não se resuma ao período do seminário, mas seja uma realidade contínua na vida do sacerdote e na vida doada ao povo, por meio de um fecundo exercício do ministério sacerdotal.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Cardeal Scherer envia saudação ao prefeito reeleito de São Paulo

Em mensagem enviada a Bruno Covas, Arcebispo de São Paulo reitera a necessidade de um governo que não se esqueça dos mais pobres e...

Bruno Covas é reeleito prefeito de São Paulo

Ele foi o mais votado em 50 das 58 zonas eleitorais da cidade, tendo mais de 3,1 milhões de votos O candidato do PSDB à...

Padre Vitor Bertoli: uma vida dedicada à caridade e à promoção humana

No cruzamento da Avenida Rebouças com a Rua Henrique Schaumann e a Avenida Brasil, encontra-se a Igreja Senhor Bom Jesus dos Passos, na Praça...

Católicos coreanos abrem jubileu dos 200 anos do nascimento de São Kim Degun

Na manhã deste domingo, 29, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu uma missa na matriz da Paróquia Pessoal Coreana São...

Como denunciar as fake news e outras irregularidades nas Eleições 2020?

Em sites específicos e até pelas redes sociais é possível ajudar a combater a desinformação neste dia de eleições Neste dia de eleição, eleitores que...

Newsletter