Confira nossa versão impressa

Santíssima Trindade: mistério central da fé e da vida cristã

O jornal O SÃO PAULO dá continuidade à série de reflexões sobre os sinais da fé cristã

Santíssima Trindade: mistério central da fé e da vida cristã
Renata Sedmakova / Shutterstock

Quando rezamos o Credo, afirmamos, em primeiro lugar, que cremos em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra. Nossa fé nos ensina que Deus é uno e trino, ou seja, é um Deus em três pessoas iguais e realmente distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Essas três pessoas são um só Deus, porque todas as três têm uma só e a mesma natureza divina.  

O jornal O SÃO PAULO dá continuidade à série de reflexões sobre os sinais da fé cristã, a qual tem como referência o livro “Sinais de Vida – Quarenta costumes católicos e suas raízes bíblicas”, do teólogo Scott Hahn, publicado pela editora Quadrante. Neste artigo, vamos refletir a respeito da devoção à Trindade.

“Nós, cristãos, costumamos tratar a Trindade como uma espécie de sinal de pontuação. Invocamos o Santo Nome quando traçamos o sinal da cruz no início de uma oração, e fazemos o mesmo ao concluí-la – ou então rezamos um Glória ao Pai, que é uma oração trinitária. Entre uma coisa e outra, porém, não ficamos muito tempo pensando em como um único Deus pode ser três pessoas. Mas que culpa temos? Trata-se de um mistério profundo demais para ser penetrado. Por que deveríamos nos dar ao trabalho de pensar nisso, então?”, recorda Scott Hahn.

MISTÉRIO DA NOSSA FÉ

Nos Evangelhos, Jesus nos revela o mistério da Santíssima Trindade aos poucos. Primeiro ensinou aos discípulos que O reconheceram com o Filho de Deus. Quando sua vida terrena estava chegando ao fim, prometeu que enviaria o Espírito Santo e, após a sua ressurreição, revelou: “Ide, pois, e ensinai a todos os povos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).

“É uma frase enigmática: Jesus fala em um só ‘nome’, mas em seguida nomeia três pessoas. São Paulo pressupõe esse mesmo mistério quando pronuncia a bênção que utilizamos na missa: A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco! (2Cor 13,13)”, lembra o autor.

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, “o mistério da Santíssima Trindade é o mistério central da fé e da vida cristã. É o mistério de Deus em si mesmo. E, portanto, a fonte de todos os outros mistérios da fé e a luz que os ilumina. É o ensinamento mais fundamental e essencial na «hierarquia das verdades da fé». «Toda a história da salvação não é senão a história do caminho e dos meios pelos quais o Deus verdadeiro e único, Pai, Filho e Espírito Santo, se revela, reconcilia consigo e se une aos homens que se afastam do pecado»”.

PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO

Cada vez que fazemos o sinal da cruz sobre nós, lembramos este sublime mistério de amor. Como recorda Scott Hahn, “a Trindade é a razão de todas as razões, a realidade central de todas as comemorações da Igreja, a fonte de todos os outros mistérios e devoções. Todos os sacramentos e toda a liturgia católica se referem à Santíssima Trindade”.

“A revelação em Cristo do mistério de Deus como amor trinitário é também a revelação da vocação da pessoa humana ao amor. Tal revelação ilumina a dignidade e a liberdade pessoal do homem e da mulher, bem como a intrínseca sociabilidade humana em toda a profundidade: «Ser pessoa à imagem e semelhança de Deus comporta (…) um existir em relação, em referência ao outro ‘eu’», porque Deus mesmo, uno e trino, é comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, revela o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, 34.

“Sabemos que o mistério da Trindade é verdadeiro – ele é, portanto, a coisa mais verdadeira que se pode conceber. Muito mais do que um sinal de pontuação a demarcar o início e o fim de uma oração, a Trindade é a soma, a substância, o sujeito e o objeto da oração”, conclui Hahn.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Novo documento do Vaticano ressalta o compromisso dos bispos pela unidade dos cristãos

“O Bispo e a unidade dos Cristãos: vademecum ecumênico” é o título do novo documento publicado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade...

Dom Jorge Pierozan conclui visitas pastorais na Região Santana

O Bispo celebrou na Paróquia Santa Joana D’Arc, no  Setor Pastoral Tremembé No domingo, 29 de novembro, Dom Jorge Pierozan, Bispo Auxiliar de São Paulo...

Paróquia Nossa Senhora das Graças realiza festa da padroeira na Brasilândia

As festividades foram encerradas com uma procissão luminosa e missa solene Com o tema “Maria, mãe da consolação e de todas as graças”, foi celebrada...

Governo cria Comitê Interministerial de Doenças Raras

Decreto está publicado hoje no Diário Oficial da União O governo federal criou o Comitê Interministerial de Doenças Raras, que funcionará no âmbito do Ministério...

Primeira pregação do Advento, Catalamessa: “irmã morte é fonte de vida eterna”

Nesta primeira sexta-feira do Advento, 4, iniciaram as meditações do pregador da Casa Pontifícia Raniero Cantalamessa, criado cardeal pelo Papa Francisco no Consistório de...

Newsletter