Confira nossa versão impressa

Dom Eduardo: ‘O nosso sacerdócio é serviço’

Na manhã do dia 4, no Santuário de Nossa Senhora de Fátima, Setor Pastoral Perdizes, os sacerdotes atuantes na Região Episcopal Sé celebraram o Dia do Padre, na memória litúrgica de São João Maria Vianney, com missa presidida por Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, tendo entre os concelebrantes o Padre Aparecido Silva, Vigário Adjunto da Região Sé; e o Frei Jair Roberto Pasquale, Reitor do Santuário.

Dom Eduardo: ‘O nosso sacerdócio é serviço’
Dom Eduardo, em missa na Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Na homilia, Dom Eduardo falou sobre as dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus também para os padres: “Nós, sacerdotes, sentimos na pele o quão difícil foi passar esses quatro meses de pandemia com as nossas igrejas, na sua grande maioria, fechadas, sem o povo, sem atividades e nos desdobrando na criatividade para transmitir as celebra ções, para ir ao encontro das pessoas de alguma maneira e, sobretudo, pedindo a Deus que nada viesse a acontecer nesse contexto aos nossos fiéis e a ninguém”, disse.

O Bispo exortou os padres a refletir como têm vivido o ministério sacerdotal. “Pode ser que tenhamos entrado no automático, em que as ocupações e as obrigações diversas vão nos consumindo. Acabamos não tendo tempo para rezar, para descansar, para o outro e mesmo para a Igreja”.

O Bispo alertou os padres para o risco da superficialidade, do simples cumprir de uma obrigação. “É quando eu, sacerdote, determino: ‘Isso é bom, eu faço; aquilo também é bom, então eu faço, ou seja, eu faço o que me agrada e não aquilo que agrada ao Senhor. Ora! O meu sacerdócio agrada a mim ou agrada ao Senhor? É o questionamento que a Palavra de Deus nos faz. Podemos nos cercar de tantas escusas, de tantas coisas que não percebemos a profundidade, o valor do nosso ministério. E Jesus fala justamente disso, é aquilo que está dentro de nós.

Deus olha para dentro do nosso coração. E é lá no silêncio, no escondido do nosso interior, que Deus nos fala, nos fala de amor. Eu amo o meu sacerdócio? E o que significa amar o sacerdócio. É de fato amar em profundidade essa consagração. Eu não me pertenço mais! O nosso sacerdócio é serviço. Não nos pertencemos mais”, enfatizou.

O Bispo recordou, ainda, que o sacerdote é aquele que indica aos outros o caminho para o céu, mas só pode fazê-lo quem está seguro sobre essa direção, que é o próprio Cristo, “a Quem nós servimos constantemente, diariamente, e mais, a Quem nós consagramos nossa vida a esse serviço!”, disse, agradecendo a cada padre pelo testemunho de fé e zelo pastoral com o povo que lhe é confiado, e pedindo para que sigam o exemplo de São João Maria Vianney, padroeiro dos padres. A íntegra da homilia pode ser vista em www.regiaose.org.br.

POR CENTRO PASTORAL DA REGIÃO SÉ

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

A genialidade da ‘Missa Solemnis’ de Beethoven, em seus 250 anos

A “Missa Solemnis” foi estreada em abril de 1824, em São Petersburgo, na Rússia, por iniciativa do príncipe Nikolai Borisovich Galitzine. Tem...

Dom Ângelo Mezzari é ordenado Bispo

Nomeado pelo Papa Francisco Bispo Auxiliar de São Paulo em 8 de julho, o Monsenhor Ângelo Ademir...

Em Aleppo, na Síria, 2 padres morrem devido à COVID-19

Sacerdotes estavam entre os cinco da Ordem Franciscana que ainda está na cidade e desenvolve ações caritativas à população, fortemente afetada pela...

Monsenhor Ângelo Mezzari se tornará um sucessor dos apóstolos

Na tarde deste sábado, 19, às 15h, no Santuário do Sagrado Coração Misericordioso de Jesus, em Içara,...

Em cada árvore, muitas vidas beneficiadas

Crescem em São Paulo as ações da população para o plantio de árvores. Prefeitura lançará Plano Municipal de Arborização Urbana (PMAU) no...

Newsletter