Confira nossa versão impressa

Universidades pontifícias de Roma se preparam para o retorno às aulas

POR JOÃO FOUTO

Aulas presenciais estão suspensas em toda a Itália desde o início de março

Universidades pontifícias de Roma se preparam para o retorno às aulas
Pontifícia Universidade Gregoriana, administrada pelos Jesuítas (crédito: Reprodução da internet)

Com a constante melhora dos números do coronavírus na Itália e o relaxamento das restrições impostas, as universidades pontifícias estão se esforçando para iniciar o próximo ano acadêmico com aulas presenciais – vale lembrar que, no hemisfério norte, o ano acadêmico começa no segundo semestre, em setembro ou outubro.

No dia 5 de março deste ano, pouco após as autoridades tomarem consciência da gravidade da crise, foi anunciada a suspensão das aulas presenciais em toda a Itália. A princípio, a medida estava destinada a durar duas semanas, mas foi sucessivamente prorrogada, até que se decidiu por concluir o ano acadêmico com atividades à distância.

Algumas residências romanas optaram pelo retorno dos residentes para seus respectivos países, enquanto outras, a maioria, mantiveram-se abertas – foi o caso do Colégio Pio Brasileiro. Em ambos os casos, porém, os alunos seguiram as aulas pela internet.

As universidades tiveram que adaptar-se em pouco tempo, melhorando suas plataformas on-line – para suportar, por exemplo, um fluxo mais intenso de usuários – e orientando seus professores para que adequassem seus cursos à nova modalidade de ensino.

A Universidade da Santa Cruz anunciou que serão oferecidos, no próximo semestre, todos os cursos acadêmicos e que estará preparada para as aulas presenciais. Os alunos com matrículas atrasadas por causa do coronavírus não serão prejudicados. Em carta enviada aos estudantes dia 7 de julho, o reitor Luís Navarro garantiu que será ativado o ensino à distância para aqueles que, por conta da pandemia, não conseguirão chegar a tempo.

MEDIDAS DE PRECAUÇÃO

Várias medidas serão tomadas para corresponder às medidas de segurança exigidas pelas autoridades. O número de alunos por sala de aula será reduzido à metade e a entrada nas aulas e os intervalos serão organizados de modo a minimizar os contatos entre os diferentes grupos.

A equipe responsável pela limpeza seguirá um novo protocolo. Serão tomadas medidas para aumentar a ventilação e os filtros do sistema de ventilação serão trocados com maior frequência. Alunos e professores serão encorajados a lavar as mãos com frequência e, nos casos em que não for possível manter a adequada distância física, será requerido o uso máscaras.

Caso alguém manifeste sintomas do vírus ou entre em contato com alguém que tenha testado positivo, a força-tarefa da universidade para o combate da COVID-19 será informada e, se necessário, serão implementadas medidas de quarentena.

Os alunos foram encorajados a dispor de um computador com webcam e um sinal de internet estável, para o caso em que venha a ser necessário recorrer a aulas online. Ainda que essa não seja a primeira opção, a universidade está se preparando para uma eventual necessidade de retornar ao ensino à distância.

Na Pontifícia Universidade Gregoriana, administrada pelos Jesuítas, serão instalados medidores de temperatura na entrada e aqueles que estiverem com febre serão impedidos de entrar. Também serão adotadas medidas de distanciamento e as salas de aula já foram preparadas para isso. O ensino à distância continuará a ser exercido de modo limitado para alunos que não conseguirem retornar à Roma. A biblioteca da universidade foi equipada para oferecer certos serviços pela internet, inclusive um chat on-line.

Também a Pontifícia Universidade São Tomás de Aquino, conhecida por Angelicum, está adotando algumas medidas de segurança para garantir o início das aulas. A universidade está preparada para continuar com aulas à distância, pois muitos de seus alunos são dos Estados Unidos e da Índia, países mais afetados pelo coronavírus, e poderão ter dificuldades de ir a Roma.

As restrições de viagens para fora da União Europeia começaram a ser relaxadas dia 30 de junho. No entanto, para alguns países considerados de maior risco – é o caso de Estados Unidos, Brasil e Rússia –, as viagens continuam suspensas.

Fonte: Crux

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

Cardeal Scherer preside missa arquidiocesana com coroinhas

Este ano, o o evento organizado pela Pastoral Vocacional contou apenas com representantes dos coroinhas e foi transmitido pelas mídias digitais

CNBB: ‘Dom Pedro marcou sua vida pela solidariedade em relação aos mais pobres e sofridos’

Bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) faleceu neste sábado, dia 8

Morre Dom Pedro Casaldáliga

A Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de...

Plantas ganham cada vez mais espaço nas casas e apartamentos!

Uma quitinete de um grande centro urbano pode abrigar uma horta? Confira as histórias de quem cultiva plantas em casa e dicas...

‘O Direito Canônico existe para atender ao mistério da Igreja’

Afirmou o Padre Denilson Geraldo, em aula inaugural do semestre acadêmico da Faculdade de Direito Canônico São Paulo Apóstolo

Newsletter